900: Portugal com mais 2.706 casos e quatro mortes. Número diário de recuperados ultrapassa os quatro mil

SAÚDE/COVID-19/INFECÇÕES/MORTES

Há agora 854 pessoas com covid-19 internadas, das quais 177 estão em unidades de cuidados intensivos, indicam os dados da DGS.

Campanha de testagem em São Miguel, nos Açores
© EDUARDO COSTA /LUSA

Relatório da Direcção-Geral da Saúde (DGS) indica que Portugal registou, em 24 horas, 2.706 novos casos de covid-19. Boletim epidemiológico desta terça-feira (20 de Julho) refere também que morreram mais quatro pessoas devido à infecção pelo novo coronavírus.

Os dados sobre a pressão nos hospitais portugueses mostram que há agora mais três pessoas internadas, elevando para 854 o total de hospitalizações devido à doença. Nas unidades de cuidados intensivos há, no entanto, menos quatro doentes, são agora 177.

O boletim da DGS mostra que num dia foram confirmados mais de quatro mil casos de pessoas que recuperaram da doença, mais concretamente 4.451 – no total, são 867.540.

O número diário de recuperados é, portanto, superior ao de novas infecções, levando a que os casos activos da doença recuem para 50.487 (menos 1.749 face ao dia anterior).

Lisboa e Vale do Tejo volta a ser a região com o maior número de novos casos

Com 1.196 novos casos, Lisboa e Vale do Tejo volta a ser a região com o maior número diário de infecções – corresponde a 44.2% do total nacional -, seguindo-se o Norte com mais 953 diagnósticos.

Foram confirmados mais 219 casos no Centro, 199 no Algarve, 77 no Alentejo, 39 na Madeira e 23 nos Açores.

Das quatro mortes reportadas entre ontem e esta terça-feira, duas ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo e os restantes no Norte e no Algarve.

© DGS

O relatório da DGS indica que Portugal contabiliza agora um total de 935.246 casos de covid-19 e 17.219 óbitos, sendo que há agora mais 1.057 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Variante Delta tem uma prevalência de quase 95% em todo o país

Também foi divulgado esta terça-feira o relatório sobre a situação da diversidade genética do novo coronavírus, do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), no qual é referido que a variante Delta do SARS-CoV-2 tem uma prevalência de 94.8% em todo o país, tendo em conta dados referentes à semana de 5 a 11 de Julho, “mantendo-se dominante em todas as regiões”.

O documento do INSA mostra a prevalência desta variante por regiões, sendo que é de 100% no Alentejo e nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo com 97,2%. o Centro com 96,3%, Algarve com 94,1% e o Norte com 87,0%.

Costa prevê “libertação total da sociedade” no fim do verão

Números divulgados no dia em que a modalidade de vacinação “casa aberta” passou a estar disponível a quem tem 35 anos ou mais, segundo informou a task force que coordena o processo de vacinação.

A partir desta terça-feira, está disponível “para a vacinação de primeiras doses de utentes que não estejam agendados, com idade igual ou superior a 35 anos e que não tenham sido infectados com covid-19 nos últimos seis meses”, informou a task-force da estrutura que coordena a vacinação e que é liderada pelo vice-almirante Gouveia e Melo.

Como acontece desde segunda-feira, “a modalidade Casa Aberta está condicionada à utilização da vacina da Janssen, adianta a estrutura que coordena o processo de vacinação.

A campanha de imunização contra a covid-19 registou nas últimas semanas um aumento de ritmo, o que levou o primeiro-ministro, António Costa, a afirmar que Portugal deverá atingir no final do verão a imunidade de grupo, “um momento importantíssimo para a confiança e libertação total da sociedade”.

No que se refere à evolução da pandemia a nível global, a infecção pelo novo coronavírus matou pelo menos 4,10 milhões de pessoas em todo o mundo, desde que foram detectados os primeiros casos em Dezembro de 2019.

O mais recente balanço da agência de notícias AFP indica ainda que mais de 190.824.510 pessoas foram infectadas pelo Sars-Cov-2.

Os EUA continuam a ser o país mais afectado, tanto em número de mortes como de infecções, com um total de 609.231 mortes e 34.132.079 casos, segundo os dados da universidade Johns Hopkins.

Diário de Notícias
DN
20 Julho 2021 — 14:35

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes