874: Num mês duplicaram os internamentos. Incidência ultrapassa os 300 casos por 100 mil habitantes

SAÚDE/COVID-19/INFECÇÕES/MORTES

Portugal registou, em 24 horas, mais 1.782 casos de covid-19 e oito mortes. O número de internamentos continua a subir. Há agora 729 pessoas hospitalizadas (mais 57), sendo que nas unidades de cuidados intensivos estão 163 doentes (mais 10).

Campanha de testagem à covid-19 na ilha de São Miguel, nos Açores
© EDUARDO COSTA /LUSA

Foram confirmados 1782 novos casos de covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas, segundo os dados da Direcção-Geral da Saúde (DGS). O relatório desta segunda-feira (12 de Julho) indica ainda que morreram mais oito pessoas devido à infecção pelo novo coronavírus.

Aumenta a pressão nos hospitais portugueses, com mais 57 pessoas internadas, são agora 729. Este ​​​​​​​é o maior aumento diário desde 8 de Fevereiro, dia em que a DGS reportou, de um dia para o outro, mais 96 doentes hospitalizados.

A tendência crescente regista-se também nas unidades de cuidados intensivos, onde estão internados 163 doentes (mais 10 face ao dia de ontem).

Em cerca de um mês, Portugal duplicou o número de hospitalizações devido à covid-19. A 17 de Junho estavam 363 internados, dos quais 88 em unidades de cuidados intensivos.

Também se verifica um aumento significativo da incidência cumulativa a 14 dias, com Portugal a ultrapassar os 300 casos de infecção por 100 mil habitantes.

Os dados da DGS mostram que a incidência passou de 272 para 315,6 casos por 100 mil habitantes a nível nacional. No que se refere ao continente, passou de 280,5 para 325,2 infecções por SARS-CoV-2 por 100 mil habitantes.

Em sentido inverso, o índice de transmissibilidade, o denominado R(t), desceu para 1,16.

Estes são os dois indicadores da matriz de risco, que serve de base ao Governo na gestão do desconfinamento.

© DGS

Com mais 864 casos reportados em 24 horas, Lisboa e Vale do Tejo mantém-se como a região com o maior número diário de infecções – o que corresponde a 48% do total nacional -, logo seguida do Norte que reportou mais 536 diagnósticos.

Verificaram-se mais 202 novos casos no Algarve, 87 no Centro, 38 no Alentejo, 40 nos Açores e 15 na Madeira.

© DGS

Das oito mortes registadas entre ontem e esta segunda-feira, três ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, duas na região Norte, mais duas no Centro e uma no Algarve.

Desde o início da pandemia (em Março de 2020), as autoridades de saúde registaram em Portugal 909.756 casos de covid-19, 17.164 óbitos e 846.544 recuperados da doença, dos quais 1.028 foram reportados de ontem para hoje.

Portugal soma agora mais 746 casos activos da doença, elevando para 46.048 o número total.

Relatório da DGS indica ainda que há mais 1.137 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Impacto da pandemia nos jovens

Há mais de um ano que o mundo vive em pandemia e os efeitos fazem-se sentir em várias áreas e faixas etárias. Os jovens representam, no entanto, o grupo que mais tem sofrido no dia-a-dia com a pandemia, conclui o estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS) “Impactos económicos, sociais e políticos da covid-19 em Portugal”, apresentado esta segunda-feira.

Metade dos entrevistados com idades entre os 15 e os 20 anos referem alterações de peso ou do sono, 20% admitem um aumento do consumo de álcool e de tabaco e 11% iniciaram-se nos fármacos psicotrópicos.

Os resultados são preliminares e fazem parte de uma investigação a concluir na primavera de 2022. Nesta primeira fase, foram inquiridas, de 16 de Março a 20 de Maio, 2.307 pessoas.

Na população em geral, 35% dos entrevistados dizem ter sofrido alterações no peso habitual, 30% sofrem distúrbios nos padrões de sono, 9% têm alterações no consumo habitual de álcool e tabaco ou na ingestão de calmantes, tranquilizantes ou outros fármacos com efeito psicotrópico. Percentagens inferiores às verificadas entre os mais jovens.

Marrocos impõe quarentena a viajantes de Portugal, Espanha e França

A actual situação epidemiológica no país levou Marrocos a decidir pela imposição de uma quarentena de dez dias aos viajantes não vacinados provenientes de Portugal, uma medida que entra em vigor já esta quarta-feira e que abrange também quem viaja a partir de Espanha e França, conforme anunciou o Ministério dos Negócios Estrangeiros marroquino.

A nova medida corresponde à última actualização das recomendações de viagens feitas pelas autoridades marroquinas, que passou a incluir Portugal, Espanha e França na lista B, de áreas de alto risco, para a propagação da covid-19 e a sua variante Delta.

Os viajantes dos países da lista B – que actualmente inclui 81 países – devem apresentar teste PCR negativo feito a menos de 48 horas e, se não forem vacinados (com as duas doses), devem passar por uma quarentena de dez dias num hotel designado pelas autoridades e pagar pela sua estadia.

Boris Johnson apela à “cautela” perante levantamento de restrições

Também o aumento de casos e a propagação da variante Delta leva o primeiro-ministro britânico a pedir “cautela” perante o levantamento de restrições, previsto para 19 de Julho. De referir que Boris Johnson deverá confirmar esta segunda-feira, em conferência de imprensa, se o país vai ou não avançar para a última fase de desconfinamento.

Apesar de ter anunciado na semana passada que pretendia levantar a maioria das medidas ainda em vigor para controlar a pandemia covid-19, como o uso obrigatório de máscaras e os limites aos ajuntamentos em espaços abertos e fechados, a decisão final está dependente da análise dos últimos dados.

Reconhecendo que o número de infecções vai aumentar devido ao desconfinamento, Johnson diz que “a cautela é absolutamente essencial” e urgiu “responsabilidade” às pessoas para evitar comportamentos de risco.

Em todo o mundo, a pandemia já matou pelo menos 4,03 milhões de pessoas

No que se refere ao balanço da pandemia a nível mundial, a agência de notícias AFP indica que pelo menos 4.035.567 pessoas morreram devido à infecção por SARS-CoV-2, desde que foi notificado o primeiro caso na China no final de 2019.

Mais de 186.740.300 pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus em todo o mundo, refere ainda o balanço da AFP feito com base em fontes oficiais.

Registaram-se, no domingo, mais 6.605 mortes e 362.178 novas infecções, segundo os números da agência de notícias francesa

Os países que registaram mais mortes nesse dia foram a Indonésia (1.007), Índia (724) e Rússia (710).

Os EUA continuam a ser o país mais afectado, tanto em número de mortes como de infecções, com um total de 607.156 mortes e 33.853.971 casos, segundo os dados da universidade Johns Hopkins.

Diário de Notícias
DN
12 Julho 2021 — 15:04

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes