869: Clientes podem entrar em restaurantes sem teste ou certificado para pagar ou usar sanitários

SAÚDE/COVID-19/RESTRIÇÕES

Esta é uma das excepções às novas restrições decretadas pelo Governo que constam da Resolução do Conselho de Ministros

© Leonardo Negrão / Global Imagens

– Apenas uma questão: o bicho não ataca durante as excepções?

As pessoas em esplanadas que precisarem de entrar nos restaurantes para acesso aos serviços comuns, como instalações sanitárias, ou para efectuarem pagamento, estão dispensadas de apresentar um teste negativo à covid-19 ou o certificado digital.

Esta é uma das excepções às novas restrições decretadas pelo Governo que constam da Resolução do Conselho de Ministros publicada esta tarde em Diário da República e que preveem que os restaurantes em concelhos de risco elevado ou muito elevado – um total de 60 – passam a ter de exigir certificado digital ou teste negativo à covid-19 a partir das 19:00 de sexta-feira e aos fins de semana para refeições no interior.

Segundo o diploma, esta exigência é dispensada “para a permanência dos cidadãos em esplanadas abertas, cujo funcionamento é permitido, nos horários previstos (…), independentemente da realização de teste, bem como para a mera entrada destes cidadãos no interior do estabelecimento para efeitos de acesso a serviços comuns, designadamente o acesso a instalações sanitárias e a sistemas de pagamento”.

Ficam também dispensados do teste ou do certificado digital os “trabalhadores dos espaços ou estabelecimentos”, bem como “fornecedores ou prestadores de serviços que habilitem o funcionamento dos mesmos, excepto, em ambos os casos, se a respectiva testagem for exigida ao abrigo de outras normas”.

A resolução estabelece ainda que “nas áreas de consumo de comidas e bebidas (food-courts) – Cafetarias? – dos conjuntos comerciais deve prever-se a organização do espaço por forma a evitar aglomerações de pessoas e a respeitar, com as devidas adaptações, as orientações da DGS [Direcção-Geral da Saúde] para o sector da restauração”.

Por sua vez, o decreto-lei publicado na sequência das medidas anunciadas pelo Governo na quinta-feira, prevê as sanções no caso de incumprimento, tal como já tinha sido divulgado.

Assim, as pessoas que não apresentarem certificado digital ou teste negativo à covid-19 no acesso a restaurantes e alojamentos turísticos, quando exigíveis no âmbito das novas restrições, incorrem no pagamento de coimas entre 100 e 500 euros.

O incumprimento constitui contra-ordenação, sancionada com coima de 100 a 500 euros, no caso de pessoas singulares, e de 1.000 a 5.000 euros no caso de pessoas colectivas.

A nova medida para a restauração começará a ser aplicada sábado, a partir das 15:30.

A medida aplica-se apenas ao fornecimento de refeições no interior dos restaurantes, deixando de fora as pastelarias e cafés, assim como as refeições servidas em esplanadas.

São quatro as tipologias de testes aceites: os PCR e antigénio com resultado laboratorial (contemplados no certificado digital covid-19) e também os auto-testes feitos presencialmente (à entrada do estabelecimento) ou perante um profissional de saúde (nas farmácias, por exemplo).

Já no caso dos estabelecimentos turísticos, estão abrangidos pelas novas regras todos os estabelecimentos turísticos e de alojamento local, em todo o território continental, independentemente da taxa de incidência existente no concelho em causa.

A medida não abrange crianças até aos 12 anos de idade.

Diário de Notícias
DN/Lusa
09 Julho 2021 — 21:02

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

868: Há 130 concelhos com incidência acima de 120 casos por 100 mil habitantes

SAÚDE/COVID-19/INFECÇÕES

Loulé (1.016) e Albufeira (997), no Algarve, são os dois concelhos que apresentam uma incidência superior ao limite de 960 casos por 100 mil habitantes

© EPA/MARIO CRUZ

Cento e trinta concelhos registam uma incidência de novos casos de infecção pelo vírus SARS-CoV-2 superior a 120 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, mais 43 do que na última sexta-feira.

Segundo os dados esta sexta-feira divulgados no boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS), Loulé (1.016) e Albufeira (997), no Algarve, são os dois concelhos que apresentam uma incidência superior ao limite de 960 casos por 100 mil habitantes.

Os 130 concelhos que apresentam uma incidência superior a 120 casos representam de 42% do total de concelhos do país.

De acordo com os mesmos dados, 27 concelhos apresentam uma incidência cumulativa a 14 dias superior a 480 casos de infecção, e 27 concelhos registam uma incidência superior a 240 casos por 100 mil habitantes.

Outros 58 concelhos registam uma incidência acumulada a 14 dias de entre os 120 e os 239,9 casos por 100 mil habitantes, enquanto 20 concelhos apresentam zero casos nas últimas duas semanas.

Nos concelhos de baixa densidade populacional, que representam mais de metade do território continental, a linha vermelha que obriga os municípios a recuar no plano de desconfinamento está fixada nos 480 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias e os restantes concelhos ficam sob alerta quando ultrapassarem os 240 casos por 100 mil habitantes no mesmo período.

Diário de Notícias
DN/Lusa
09 Julho 2021 — 17:50

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

867: Mais 3.194 casos de covid-19 e sete mortes em 24 horas. R(t) desce e incidência dispara

– Sem problema! Que interessa existirem mais de TRÊS MIL INFECTADOS/DIA e mais SETE MORTOS/dia, se a festa continua impávida e serena, cheia de alegria e boa disposição por parte dos labregos indigentes acéfalos que continuam nas suas marchas populares, indiferentes ao trabalho exaustivo dos profissionais de saúde que dedicam o seu tempo – e a sua vida -, a tratarem de uma choldra de imbecis (os que são, claro!) que andam na farra, sem atenderem ao momento extremamente perigoso que atravessamos com esta “gripezinha” do COVID-19? Não existirá, porventura, um mínimo de CONSCIÊNCIA, de PUDOR, de SERIEDADE nesses cérebros doentios e altamente desequilibrados psicologicamente? Só gente desequilibrada mentalmente pode dedicar-se a actividades em grupo, SEM RESPEITAREM DISTÂNCIAS FÍSICAS, num ESTADO DE CALAMIDADE NACIONAL, com um índice de transmissibilidade da PANDEMIA no limite da linha vermelha! VEJAM O GRÁFICO ABAIXO, imbecis!!! PAREM COM ESSAS MERDAS, PORRA, cambada de ANORMAIS…!!!

SAÚDE/COVID-19/INFECÇÕES/MORTES

Mais 3.194 casos de covid-19 e sete mortes em 24 horas. R(t) desce e incidência dispara

Centro de vacinação ‘drive-thru’, instalado no Queimódromo, junto ao Parque da Cidade, no Porto
© JOSÉ COELHO/LUSA

Foram registados mais 3.194 casos de covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS), elevando para mais de 900 mil o número total de infectados confirmados desde o início da pandemia.

Relatório diário desta sexta-feira (9 de Julho) refere também que sete pessoas morreram devido à infecção por SARS-CoV-2. O número de internados volta a subir. São agora 617 (mais 18 face a quinta-feira), dos quais 141 estão em unidade de cuidados intensivos (mais cinco).

Se o índice de transmissibilidade, o chamado R(t), desce para 1,18 a nível nacional e 1,19 no continente (antes era de 1,20), a taxa de incidência regista uma subida significativa.

O boletim diário mostra que a incidência a 14 dias passa de 247,3 para 272,0 casos de covid-19 em todo o território nacional. Já no continente, este indicador passa de 254,8 para 280,5 infecções por 100 mil habitantes.

Estes são os dois indicadores da matriz de risco, que serve de base ao Governo na gestão do processo de desconfinamento.

© DGS

Lisboa e Vale do Tejo volta a registar o maior número de novos casos, 1.482, o que corresponde a 46,4% do total nacional, sendo a região onde ocorreram, em 24 horas, quatro mortes devido à covid-19.

Os restantes três óbitos foram confirmados no Norte, onde se verificaram mais 891 diagnósticos de infecção pelo novo coronavírus.

Algarve é a terceira região com mais novas infecções, ao registar mais 323 casos. Logo a seguir surge o Centro com 319, o Alentejo com 108, os Açores com 48 e a Madeira com 23.

© DGS

Em 24 horas, foram reportados 1727 casos de pessoas que recuperaram da doença, sendo no total 842 024. Portugal agora contabiliza 902 489 diagnósticos de covid-19 desde o início de pandemia e 17 142 óbitos.

Perante estes dados, Portugal tem, actualmente, 43.323 casos activos de covid-19 (mais 1.460 face ao dia anterior). A DGS indica ainda que há mais 2.451 contactos que estão em vigilância pelas autoridades de saúde.

Com a incidência da infecção a subir no país e com 60 concelhos em risco elevado ou muito elevado, realiza-se no próximo dia 27 a reunião sobre a evolução da situação epidemiológica, que junta especialistas e políticos no Infarmed, em Lisboa. A última reunião realizou-se a 28 de Maio passado.

Ir a restaurantes e alojamentos só com certificado ou teste negativo

O agravamento da pandemia levou o Governo a aprovar na quinta-feira novas medidas, em reunião de Conselho de Ministros, entre as quais insere-se a apresentação de teste negativo ou certificado digital para ter acesso a estabelecimentos turísticos e de alojamento local no território continental.

Os cidadãos terão de fazer o mesmo – apresentar teste negativo ou certificado digital – para frequentarem o espaço interior dos restaurantes durante todo o dia aos sábados, domingos e feriados e às sextas a partir das 19:00. O horário de funcionamento destes estabelecimentos é alargado até às 22:30 nos concelhos de risco elevado e muito elevado (antes era até 15:30), conforme anunciou ontem a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

– O bicho apenas é PERIGOSO nesses horários, srs. governantes?

Novo recorde na vacinação com 158 mil pessoas vacinadas num dia

Entretanto, o ritmo de vacinação continua a aumentar, tendo sido registado um novo máximo diário na quinta-feira, com cerca de 158 mil pessoas vacinadas.

“Ontem (quinta-feira), 8 de Julho, foi novamente superado o máximo diário de vacinação com cerca de 158.000 inoculações. Esta nova marca só foi possível com a compreensão e paciência de todos os utentes e o profissionalismo e a entrega dos profissionais dos centros de vacinação que dão, diariamente, o seu melhor”, indicou a task force que coordena o processo de vacinação, liderada pelo vice-almirante Gouveia e Melo.

“Confirma-se assim a estimativa divulgada ontem, vacinando mais de 611 mil pessoas em apenas 4 dias”, adianta.

Portugal está a acelerar o ritmo de vacinação devido à rápida disseminação da variante Delta do SARS-CoV-2, considerada mais transmissível e que já é a predominante no país.

Pfizer quer aprovar terceira dose da vacina para aumentar imunidade

Ainda no que se refere à vacinação, a Pfizer fez saber esta sexta-feira que, em Agosto, pretende pedir ao regulador norte-americano, a Food and Drug Administration (FDA), “uma autorização de emergência para uma terceira dose” da vacina. A empresa farmacêutica afirmou que outra inoculação em 12 meses poderia aumentar a imunidade.

De acordo com as primeiras impressões do estudo de reforço de vacinação da Pfizer, é demonstrado que os níveis de anticorpos das pessoas aumentam de cinco para 10 vezes mais após uma terceira dose, em comparação com a segunda.

Investigações em vários países mostram que as vacinas utilizadas contra a covid-19 oferecem forte protecção contra a variante Delta, que é altamente contagiosa e está a espalhar-se rapidamente em todo o mundo.

Diário de Notícias
DN
09 Julho 2021 — 15:32

 

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes