727: Portugal volta a ter mais de 700 novos casos de covid-19 em 24 horas

 

SAÚDE/COVID-19/ESTATÍSTICAS

O boletim diário da DGS indica que morreram mais três pessoas devido à covid-19 e há uma nova diminuição no número de internamentos. Estão hospitalizadas 254 pessoas com a doença, das quais 52 em unidades de cuidados intensivos.

Centro de vacinação contra a covid-19 na Maia
© JOSÉ COELHO/LUSA

Foram registados mais 769 casos de covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas, de acordo com o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS). São mais 45 novas infecções face ao reportado no dia de ontem (724). O relatório desta quinta-feira (3 de Junho) indica que morreram mais três pessoas devido à infecção por SARS-CoV-2 .

Os dados mostram, no entanto, uma diminuição no número de hospitalizações. Há agora 254 pessoas com covid-19 internadas (menos 10 face ao dia anterior), das quais 52 estão em unidades de cuidados intensivos (menos uma).

Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a região com o maior número de novos casos, com 385 diagnósticos, o que representa 50,07% do total nacional de novas infecções.

Segue-se o Norte, com 240 novos casos, o Centro com 54, o Algarve com 36 e o Alentejo com 12. Confirmaram-se mais 30 infecções nos Açores e 12 na Madeira.

Das três mortes registadas em 24 horas, duas ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo e uma na região Centro.

Uma das vítimas mortais era um homem que tinha entre 30 e 39 anos. Os restantes óbitos dizem respeito a duas mulheres, uma que tinha entre 60 e os 69 anos e outra que tinha entre 70 e 79 anos.

Portugal com 23.343 casos activos de covid-19

O relatório da DGS mostra também que recuperaram da covid-19 mais 388 pessoas, elevando para 810.659 o total de recuperados da doença.

Desde o início da pandemia (em Março de 2020), Portugal já confirmou 851.031 diagnósticos de infecção por SARS-CoV-2 e 17.029 óbitos

Perante estes dados, há agora 23.343 casos activos de covid-19, o que representa mais 378 face ao que foi reportado no dia anterior.

O índice de transmissibilidade, R(t), actualizado na quarta-feira, está acima de 1, ao registar 1,07 a nível nacional e 1,08 no continente. Já a taxa de incidência a 14 dias situa-se nos 66,4 casos por 100 mil habitantes em todo o território nacional e 63,7 casos no continente.

Aumento de casos associado ao reforço de testagem, diz especialista

Os dados da DGS indicam ainda que há 24 929 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde (mais um).

Ao DN, o professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Carlos Antunes explica que o aumento de novos casos é uma situação normal, que tem a ver com o reforço da testagem em Lisboa.

“A explicação está no aumento significativo da testagem, que tem como consequência, numa primeira fase, o aumento no número de casos e da incidência, porque está a apanhar casos mais rapidamente, mas, a prazo, vamos ver que a incidência vai estabilizar e diminuir”, esclarece o especialista.

Nova fase de desconfinamento a partir de 14 de Junho

O boletim epidemiológico desta quinta-feira surge também após os portugueses conhecerem as novas medidas de desconfinamento, anunciadas ontem pelo primeiro-ministro, António Costa., que vão entrar em vigor a partir de 14 de Junho.

Entre as medidas aprovadas em Conselho de Ministros, está o teletrabalho que passa a ser “recomendado” (e não obrigatório) nas actividades que o permitam. Os restaurantes, cafés e pastelarias passam a ter um horário até à meia-noite para admissão e 01:00 para encerramento.

Os espectáculos culturais até à meia-noite e as salas de espectáculos com a lotação a 50% também foram aprovados pelo Governo.

Já a partir de 28 de Junho, abrem ao público os espectáculos desportivos nos escalões profissionais ou equiparados com outras regras a definir pela DGS, os transportes públicos deixarão de ter restrições de lotação. Os jogos de futebol profissionais – e de outras modalidades – já poderão decorrer na pré-época abertos ao público. Só que a lotação será limitada a um terço.

O Executivo também decidiu que a matriz de risco, que inclui a taxa de incidência e o índice de transmissibilidade, se manteria a mesma, mas com leituras diferentes, tendo em conta os concelhos de baixa densidade populacional.

Veja todas as medidas anunciadas pelo primeiro-ministro aqui

Pandemia já matou mais de 3,69 milhões de pessoas no mundo

No que diz respeito à evolução da pandemia a nível mundial, a covid-19 já é responsável por mais de 3,69 milhões de mortes.

Até esta quinta-feira, pelo menos 3 693 717 pessoas morreram no mundo devido à infecção pelo novo coronavírus, desde o final de Dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias AFP, com base em fontes oficiais.

Mais de 171 584 840 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia do SARS-CoV-2.

Diário de Notícias
DN
03 Junho 2021 — 14:53

 

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

[ratingwidget_toprated type=”posts” created_in=”all_time” direction=”ltr” max_items=”5″ min_votes=”1″ order=”DESC” order_by=”avgrate”]