691: Estudo sugere que há quatro tipos de Alzheimer

 

SAÚDE/ALZHEIMER

André Ulyssesdesalis / Pexels

Uma equipa de investigadores sugere que há quatro tipos da doença de Alzheimer, que atacam diferentes zonas do cérebro e têm sintomas distintos.

Um novo estudo sugere que o Alzheimer é uma doença bem mais complexa daquilo que pensávamos. Não existe uma forma “típica” da doença de Alzheimer, uma vez que a condição pode manifestar-se de pelo menos quatro maneiras diferentes, dizem os investigadores.

Cada um destes quatro tipos de Alzheimer ataca diferentes regiões do cérebro, sugerem ainda os autores do estudo publicado na revista científica Nature Medicine.

A proteína tau é considera a culpada do aparecimento e desenvolvimento da doença, embora ainda não haja certezas em relação à sua causa. Alguns especialistas sugerem que a agregação e disseminação desta proteína poderá ser apenas uma das suas consequências.

De qualquer forma, a disseminação de tau pode ser usada para identificar esta doença, que é a forma mais comum de demência, constituindo cerca de 50% a 70% de todos os casos.

A equipa de investigadores analisou os dados de Tomografias por Emissão de Positrões (PET) de 1.143 pessoas para ver onde no cérebro as proteínas tau estavam a acumular-se.

A PET é uma técnica de imagem médica recente que utiliza moléculas que incluem um componente radioactivo. Quando administradas no corpo humano, estas moléculas permitem detectar e localizar reacções bioquímicas associadas a determinadas doenças.

De acordo com o Big Think, um algoritmo foi aplicado a estes dados, sendo capaz de categorizar os padrões nas imagens. Isto pode significar que existem quatro subtipos de Alzheimer, cada um com diferentes áreas afectadas do cérebro, sintomas e prognósticos.

Jacob Vogel
Os quatro tipos diferentes de Alzheimer.

No primeiro tipo, a proteína tau espalha-se dentro do lobo temporal, afectando a memória. Este tipo foi observado em 33% dos casos de Alzheimer, sendo o mais comum.

O tipo dois é o inverso do tipo um. A proteína tau espalha-se principalmente no córtex cerebral. Os pacientes têm menos problemas de memória, mas mais dificuldades para planear e executar acções. Este tipo manifestou-se em 18% dos casos.

O tipo três tem como alvo o córtex visual, a parte do cérebro que processa as informações visuais. Nesta forma de Alzheimer, os pacientes têm dificuldade particular com orientação, movimento e processamento de informações sensoriais. Este tipo ocorreu em 30% dos casos.

Por fim, no quarto tipo, a proteína espalha-se no hemisfério esquerdo do cérebro e parece afectar principalmente a linguagem. Manifestou-se nos 19% restantes casos.

A confirmar-se, um diagnóstico mais preciso de Alzheimer pode ajudar a fornecer tratamento especializado para futuros pacientes.

Por Daniel Costa
9 Maio, 2021

 

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

[ratingwidget_toprated type=”posts” created_in=”all_time” direction=”ltr” max_items=”5″ min_votes=”1″ order=”DESC” order_by=”avgrate”]

 

690: Agendamento a partir dos 60 anos já arrancou

 

SAÚDE/VACINAÇÃO/AGENDAMENTO

O auto-agendamento para a vacinação contra a covid-19 passou a contemplar as pessoas a partir dos 60 anos, em vez dos actuais 65.

As pessoas com mais de 60 anos vão começar a auto-agendar a vacinação
© Rita Chantre / Global Imagens

As pessoas a partir dos 60 anos já podem fazer o agendamento para a vacinação contra a covid-19, que até agora estava reservado a maiores de 65 anos, disse à Lusa a “task force” da vacinação.

A decisão de antecipar a medida de alargar o auto-agendamento para a vacinação às pessoas a partir dos 60 anos prendeu-se com o elevado ritmo de vacinação registado nos últimos dias, explicou à Lusa fonte da “task force”.

À Lusa, o responsável revelou que houve pessoas acima dos 60 anos que já conseguiram uma marcação para quinta-feira, uma vez que serão vacinados em centros onde há menos procura.

Na sexta-feira, a equipa responsável pela operacionalização da vacinação tinha adiantado à agência Lusa que era expectável abrir o auto-agendamento para os maiores de 60 anos.

Esta nova fase começou este fim-de-semana e espera-se que até ao final do mês as pessoas acima dos 60 anos tenham sido vacinadas com, pelo menos, uma dose.

O portal destinado ao auto agendamento para a vacinação começou a funcionar a 23 de Abril, tendo registado, até ao início da semana passada, cerca de 206 mil inscrições para a toma da vacina contra a covid-19.

Portugal atingiu já um milhão de pessoas com a vacinação completa com a segunda dose ou com a inoculação com a vacina de toma única da Janssen, o que corresponde a mais de 10% da população portuguesa.

Na quinta e sexta-feira foram administradas mais de 100 mil doses por dia e a expectativa na task force é ter as pessoas acima dos 60 anos vacinadas com pelo menos uma dose até ao fim deste mês.

Sistema complexo de massivo

“Tratando-se de um sistema complexo e massivo e que se encontra em transição, optou-se nesta fase inicial abrir o auto-agendamento somente a pessoas com mais de 65 anos, sendo expectável abrir o auto-agendamento para as pessoas com mais de 60 anos no final da próxima semana ou início da seguinte”, respondeu a ‘task force’ a uma questão enviada pela Lusa. Mas já este domingo, as datas foram alteradas sendo já possível marcar dia e hora para ser vacinado.

O auto-agendamento visa dar continuidade ao aumento do ritmo de vacinação, com vista a ter toda a faixa etária acima dos 60 anos de idade vacinada com pelo menos a primeira dose “até ao final de maio ou na terceira semana de maio”, como antecipou em 21 de Abril a ministra da Saúde, Marta Temido.

A ‘task force’ responsável pela coordenação do plano de vacinação salientou também o papel do sistema de auto-agendamento pela Internet na intensificação da administração de vacinas para o objectivo de 100 mil inoculações diárias, cuja marcação era anteriormente centralizada nos serviços de saúde, nomeadamente Administrações Regionais de Saúde (ARS) e Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES).

“Esta mudança permitiu um incremento muito significativo de agendamentos e a libertação de profissionais de saúde, que se encontravam empenhados no agendamento local, contribuindo de forma muito significativa para o necessário aumento do ritmo de inoculações. Sem esta mudança não seria possível atingir o ritmo de vacinação necessário”, esclareceu a mesma fonte da ‘task force’.

Em 23 de Abril entrou em funcionamento o portal destinado ao auto agendamento para a vacinação, que tinha registado, até ao início desta semana, cerca de 206 mil inscrições para a toma da vacina contra a covid-19. Portugal atingiu já um milhão de pessoas com a vacinação completa com a segunda dose ou com a inoculação com a vacina de toma única da Janssen, o que corresponde a mais de 10% da população portuguesa.

Em Portugal, morreram 16.989 pessoas dos 838.852 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-Geral da Saúde.

O país registou este domingo uma morte atribuída à covid-19, 324 novos casos de infecção pelo novo coronavírus e uma ligeira subida no número de internamentos em enfermaria, segundo a Direcção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da pandemia, Portugal já contabilizou 839.582 casos de infecção confirmados e 16.992 óbitos.

Notícia actualizada às 14:30

Diário de Notícias
DN/ Lusa
09 Maio 2021 — 11:08

 

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

[ratingwidget_toprated type=”posts” created_in=”all_time” direction=”ltr” max_items=”5″ min_votes=”1″ order=”DESC” order_by=”avgrate”]