847: Nova tecnologia diagnostica doenças infecciosas em minutos

CIÊNCIA/TECNOLOGIA/DIAGNÓSTICOS

Artem Podrez / Pexels

Investigadores da Universidade McMaster, no Canadá, desenvolveram uma nova tecnologia que permite fazer o diagnóstico de uma doença infecciosa, comprovado cientificamente, em menos de uma hora.

Ir ao médico e sair do consultório com um diagnóstico cientificamente confirmado está muito mais próximo da realidade devido à nova tecnologia desenvolvida pelos investigadores da Universidade McMaster.

Os cientistas, especialistas em engenharia, bioquímica e medicina, criaram um teste rápido para a detecção de infecções bacterianas que pode produzir resultados precisos e fiáveis em menos de uma hora, eliminando a necessidade de enviar amostras para um laboratório.

A investigação, publicada no dia 24 de Junho na revista Nature Chemistry, descreve a eficácia do teste no diagnóstico de infecções do trato urinário a partir de amostras clínicas reais, mas a equipa está a adaptar o teste para detectar a presença de outras bactérias e para o diagnóstico rápido de vírus, incluindo o SARS-CoV-2, responsável pela covid-19.

Além disso, planeia também testar a sua viabilidade para a detecção de marcadores de cancro.

“Isto significa que os pacientes vão poder obter melhores tratamentos, resultados mais rápidos e evitar complicações graves. Pode também evitar o uso desnecessário de antibióticos, que é algo que nos pode ganhar tempo na batalha contra a resistência anti-microbiana”, disse Leyla Soleymani, co-autora do artigo e professora associada de engenharia física, citada pela Phys.

“Isto dará aos médicos a ciência para apoiar o que já suspeitam com base nas suas capacidades e experiência”, acrescentou a também co-autora Yingfu Li, professora de bioquímica e ciências biomédicas.

A nova tecnologia baseada no ADN utiliza um dispositivo semelhante a um medidor de glicose no sangue – um micro-chip analisa uma gota de fluido corporal (sangue, urina ou saliva) utilizando moléculas que podem detectar a assinatura proteica específica de uma infecção. O dispositivo, do tamanho de um dispositivo USB, liga-se a um smartphone e este exibe o resultado.

Soleymani et. al / McMaster University

“Como cientistas, queremos fazer as coisas acontecer”, disse Li.

A nossa equipa tem conhecimentos em diferentes áreas científicas e de engenharia, e “quando os juntamos para ajudar as pessoas, dá-nos sentimento especial”, concluiu.

Actualmente, a confirmação de diagnósticos é um processo que pode levar dias, até porque implica o envio de amostras para laboratório, que as cultiva. Mas o fornecimento de resultados imediatos aos pacientes pode reduzir a propagação da infecção, melhorar a qualidade de vida dos pacientes e simplificar o trabalho dos médicos.

A nova tecnologia pode distinguir estirpes das mesmas bactérias, ajudando a decidir qual o antibiótico mais indicado para aquela infecção — o que pode ajudar a combater o problema associado à resistência anti-microbiana.

“Médicos identificaram os atrasos nos testes como um problema que precisava de ser resolvido”, disse Soleymani, explicando que a sua equipa procurou construir um sistema que pudesse dar o máximo de informação possível ao médico durante a primeira visita do paciente.

Agora, os investigadores estão a testar adaptar o dispositivo à detecção do vírus que causa a covid-19, utilizando amostras de uma clínica.

“Esta tecnologia é muito versátil e estamos muito próximos de a utilizar para testes covid-19”, revelou Li.

Os investigadores estão a explorar aprovações regulamentares e parcerias industriais para que a tecnologia seja utilizada o mais rapidamente possível, não só no Canadá, mas em todo o mundo.

“Penso que esta tecnologia é um passo no sentido de democratizar o diagnóstico e gestão de doenças”, disse a autora principal Richa Pandey.

ZAP //

Por ZAP
5 Julho, 2021

 

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes