380: 13.Mar.2020

 

Dia de visita à campa da nossa querida. Como já não íamos há duas semanas, as flores já estavam murchas, mas levámos um raminho mais fresco e ficou assim:

 

379: 28.Fev.2020

Dia de visita à campa da nossa querida. Como já não íamos há duas semanas, as flores já estavam murchas, mas levámos um raminho mais fresco e ficou assim:

 

376: 03.Fev.2020

Hoje, com enorme dificuldade da minha parte porque tive de ir e vir a pé desde a nossa casa até Alcântara e posso agradecer ao grunho do presidente da C.M.L. que cortou a rua para tapar um buraco há TRÊS SEMANAS e não tenho transportes com a agravante de passe pago e sem poder utilizá-lo. Homens a trabalhar para tapar o buraco ? ZERO!!!

Mas lá fui eu e a Vera colocar-te mais um raminho de flores as da visita anterior ainda estavam boas devido à chuva que tem caído, por isso desta vez a jarra ficou cheia.

 

375: 21.Jan.2020

Hoje foi a Vera sozinha fazer-te a visita e levar um raminho de flores. Outro buraco na estrada, fez com desde há uma semana não tenhamos Carris a circular porque o trânsito (excepto para os moradores que são quase todos que têm pópó podem circular até ao local) e eu não posso andar a pé tanto até à paragem do 727 para ir ao cemitério.

Mas os gajos que gerem a cidade querem lá saber se existem pessoas com mobilidade reduzida e que os passes já tenham sido pagos ANTECIPADAMENTE e não são utilizados… O money já lá está para encher a pança aos pançudos de sempre…

 

371: 06.Jan.2020

Dia de visita, o tempo melhorou, hoje estava um dia de Sol e fomos levar-te mais um raminho de flores para juntar às que tinhas e que até nem estavam más… São iguais às da visita anterior mas não havia outras. A Vera mudou a água como sempre, arranjou o ramo e ficou assim:

 

370: 31.Dez.2019

Véspera de Fim de Ano, dia em que em muitas dessas datas passavas comigo onde estava a actuar e a dar alegria aos outros, a juntar à nossa alegria de vivermos felizes. Ontem, estava a rebuscar uns arquivos e fui dar com um vídeo de uma Passagem de Ano (Arteviva-1989/1990) no Clube Oriental de Lisboa e em que tu também apareces quando fizeram uma panorâmica da sala. Nem imaginas como fiquei…

Mas hoje fui com a Vera visitar a tua campa, levámos umas flores todas catitas, mudou-se a água da jarra e estivemos a fazer-te companhia como nos nossos bons tempos de vida em conjunto. Muito pesado, podes crer, porque ainda não consigo admitir como alguém que dizem ser misericordioso, te levou sem que para isso tivesses feito algo de mal, pelo contrário, no hospital onde trabalhavas, ajudaste centenas de doentes em tarefas que nem eram da tua rotina profissional.

É por isto e por outras coisas que virei ateu. Deixei de acreditar nesse deus misericordioso, que também deixa nascer crianças defeituosas ou com doenças incuráveis e algumas já mortas à nascença.

Creio sim, num ser Criador do Universo e é a ele que peço ajuda para ir enfrentando a negatividade da vida. Hoje, estava um dia nublado mas depois veio o Sol e ajudou à minha deslocação à tua campa. Um beijão do tamanho do Universo para ti, meu amor. Ficam as imagens das flores que te levámos e um pequeno vídeo da Vera a arranjar a campa.

 

 

368: 23.Dez.2019

Mais uma data que passa e a lembrança em que a festejávamos todos à mesma mesa. Hoje, como nos anteriores três anos, não existiu nem existe alegria para festejar seja o que for porque não estás entre nós. Tenho estado adoentado, o tempo está de chuva e hoje foi a Vera que te levou um raminho de flores com um beijinho meu. Um beijo muito grande deste que nunca te esquece.

 

365: 27.Nov.2019

Desde o passado dia 1 de Novembro que não fazíamos uma visita à tua campa e tratávamos das tuas flores porque o mau tempo não deixava e eu andava muito em baixo no que toca a saúde.

Mas pedi à Vera que fizesse uma forcinha para te visitar e tratar das tuas flores e ela lá foi sozinha. Ficam aqui as imagens tiradas do smartphone da Vera. Não foi por não te visitarmos que te esquecemos. Estás e estarás sempre nos nossos corações enquanto formos vivos.

 

363: 01.Nov.2019

Convencionou-se que hoje seria Dia de Todos os Santos, e estipulou-se, na sociedade de consumo em que vivemos, que era o dia de visitar, nos cemitérios, os entes queridos que já partiram na sua última viagem.

Como ateu convicto, e cada vez mais, não necessito deste dia “especial” para ir visitar a campa da minha querida esposa porque faço-o regularmente todas as semanas, quando posso e quando o tempo o permite.

Além disso, também não estou na disposição de alimentar chulices que é o preço das flores aumentarem para o dobro – senão mais -, neste dia, nomeadamente nas barracas das floristas à porta do cemitério e porventura em todo o lado onde se comercialize este produto.

Para alimentar chulices, já basta o que tenho obrigatoriamente de pagar em impostos exorbitantes, nada adequados ao meu rendimento mensal, por isso apelido de chulice, além de ladroagem institucionalizada.

Segunda-feira, se não chover, iremos visitar a nossa querida e levar-lhe o habitual raminho de flores que deixou de estar inflacionado e voltou a preços que, embora normais, continuam a ser uma exorbitância.

 

362: 25.Out.2019

Estivemos contigo na passada segunda-feira e voltámos hoje, sexta-feira. Esta alteração de calendário deve-se ao tempo estar radioso e na próxima semana não sabemos como estará, por isso, alterámos a visita de segunda-feira próxima.

As flores anteriores continuaram porque estão bonitas e comprámos novo raminho no Pingo Doce de Alcântara, agora remodelado e que gostarias muito de ver. Na anterior versão íamos lá todos os dias fazer as compras, beber um café… Aqui ficam as imagens de hoje: