377: 14.Fev.2020

DIA DOS NAMORADOS

Sabes que nunca liguei a este tipo de datas consumistas, mas acabava sempre por trocar presentes contigo porque tu gostavas e se tu gostavas, eu também gostava.

Por isso não queria deixar passar este dia sem lembrar-me dos dias 14 de Fevereiro, nomeados Dia dos Namorados que afinal sempre fomos ao longo dos nossos 52 anos de casados.

Desde o primeiro dia em que começámos a namorar até tu deixares este mundo, amei-te sempre com a mesma intensidade, com o mesmo fervor, com o mesmo amor.

Já partiste há quase quatro anos mas onde quer que estejas querida, continuarei a amar-te e estarás para sempre guardada num cantinho do meu coração.

Feliz Dia dos Namorados amor.

 

376: 03.Fev.2020

Hoje, com enorme dificuldade da minha parte porque tive de ir e vir a pé desde a nossa casa até Alcântara e posso agradecer ao grunho do presidente da C.M.L. que cortou a rua para tapar um buraco há TRÊS SEMANAS e não tenho transportes com a agravante de passe pago e sem poder utilizá-lo. Homens a trabalhar para tapar o buraco ? ZERO!!!

Mas lá fui eu e a Vera colocar-te mais um raminho de flores as da visita anterior ainda estavam boas devido à chuva que tem caído, por isso desta vez a jarra ficou cheia.

 

370: 31.Dez.2019

Véspera de Fim de Ano, dia em que em muitas dessas datas passavas comigo onde estava a actuar e a dar alegria aos outros, a juntar à nossa alegria de vivermos felizes. Ontem, estava a rebuscar uns arquivos e fui dar com um vídeo de uma Passagem de Ano (Arteviva-1989/1990) no Clube Oriental de Lisboa e em que tu também apareces quando fizeram uma panorâmica da sala. Nem imaginas como fiquei…

Mas hoje fui com a Vera visitar a tua campa, levámos umas flores todas catitas, mudou-se a água da jarra e estivemos a fazer-te companhia como nos nossos bons tempos de vida em conjunto. Muito pesado, podes crer, porque ainda não consigo admitir como alguém que dizem ser misericordioso, te levou sem que para isso tivesses feito algo de mal, pelo contrário, no hospital onde trabalhavas, ajudaste centenas de doentes em tarefas que nem eram da tua rotina profissional.

É por isto e por outras coisas que virei ateu. Deixei de acreditar nesse deus misericordioso, que também deixa nascer crianças defeituosas ou com doenças incuráveis e algumas já mortas à nascença.

Creio sim, num ser Criador do Universo e é a ele que peço ajuda para ir enfrentando a negatividade da vida. Hoje, estava um dia nublado mas depois veio o Sol e ajudou à minha deslocação à tua campa. Um beijão do tamanho do Universo para ti, meu amor. Ficam as imagens das flores que te levámos e um pequeno vídeo da Vera a arranjar a campa.

 

 

366: Cuidador Informal

O Cuidador é toda a pessoa que assume como função a assistência a uma outra pessoa que, por razões tipologicamente diferenciadas, foi atingida por uma incapacidade, de grau variável, que não lhe permite cumprir, sem ajuda de outro (s), todos os actos necessários à sua existência, enquanto ser humano (Oliveira et al., 2007).

Direitos e os deveres do cuidador e da pessoa cuidada aprovados.

06/09/2019

A Lei n.º 100/2019, publicada hoje, dia 6 de Setembro, em Diário da República, aprova o Estatuto do Cuidador Informal, que regula os direitos e os deveres do cuidador e da pessoa cuidada, estabelecendo as respectivas medidas de apoio.

O diploma define que a regulamentação do estatuto do cuidador informal deve ser feita no prazo máximo de 120 dias a contar de hoje.

O Governo terá também 120 dias para identificar as medidas legislativas ou administrativas necessárias para o reforço da protecção laboral do cuidador informal não principal, ou seja, o que cuida de forma regular e não permanente.

O Estatuto do Cuidador Informal explicita, entre outras medidas, um subsídio de apoio aos cuidadores, o descanso a que têm direito e medidas especificas relativamente à sua carreira contributiva.

De acordo com a nova lei, a prova da condição de cuidador informal principal é feita oficiosamente pelos serviços competentes da segurança social.

O cuidador principal é o cônjuge, unido de facto ou parente afim até ao 4.º grau da pessoa cuidada, que acompanha e cuida de forma permanente, que com ela vive em comunhão de habitação e que não aufere qualquer remuneração de actividade profissional ou pelos cuidados que presta à pessoa.

O diploma define que serão desenvolvidos projectos piloto experimentais para as pessoas que se enquadrem no estatuto de cuidador. Estes projectos piloto devem vigorar por 12 meses.

A atribuição de subsídio de apoio ao cuidador informal depende da apresentação de requerimento junto dos serviços da segurança social.

A lei que cria o Estatuto do Cuidador Informal foi aprovada, por unanimidade, em 5 de Julho, na Assembleia da República.

Estima-se que em Portugal existam entre 230 mil a 240 mil pessoas cuidadas em situação de dependência.

Para saber mais, consulte:

Lei n.º 100/2019 – Diário da República n.º 171/2019, Série I de 2019-09-06
ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA
Aprova o Estatuto do Cuidador Informal, altera o Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social e a Lei n.º 13/2003, de 21 de Maio.

Lar de idosos, eu entendo como ser um “caixote de lixo” onde se depositam pessoas que dão muito trabalho em casa aos seus parentes e/ou familiares próximos.

Salvaguardo a situação dos familiares que se encontram empregados e com necessidade de ganharem a vida para sobreviverem, mas acuso terminantemente todos aqueles que depositam os seus familiares nos “caixotes de lixo” (lares) sem terem este problema de emprego ou de doença que os impeçam de cuidar dos seus entes queridos, apenas para não terem trabalho e ficarem presos em casa 24 horas por dia.

Vem este artigo à baila porque durante mais de seis longos anos, 24 horas por dia, cuidei de minha esposa com as doenças de Alzheimer e DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica) em simultâneo. (https://www.saudecuf.pt/mais-saude/artigo/dpoc-sabe-o-que-e).

Se um doente de Alzheimer requer cuidados muito específicos, a DPOC não lhe fica atrás e quando existente, em simultâneo, com Alzheimer, requer ainda mais cuidados.

Passei noites inteiras sem dormir, descansava duas a três horas quando a minha filha vinha do emprego e aos fins de semana e feriados quando ela estava em casa. O que me valeu – e isto não é comum à maioria dos cuidadores informais -, foi ter mais de 50 anos de actividade musical (hobby desde os 10 anos de idade) em que chegava a casa vindo de um espectáculo, descansava uma hora ou duas e ia de seguida trabalhar das 09:00 às 18:00 horas.

O sistema “habituou-se” a esta acção e foi isso que meu as forças necessárias e indispensáveis para poder cuidar de minha esposa, sem um desfalecimento.

Mas existe gente, não direi pessoas porque não têm direito a este tratamento social, que encontrando-se na situação de reforma, completamente válidas, sem doenças graves ou que as impossibilitam de cuidar seja de quem for, deitam o marido no “caixote do lixo” (lar), para não terem o trabalho de cuidar dele.

É completamente desumana, indigna e miserável este tipo de actuação. Lastimam-se que a vida está cara, a pensão é pouca, mas têm 600 ou 700 euros para atirarem o parente para o lixo só porque dá muito trabalho! Por muito que esses “lares” cuidem deste tipo de doentes, nunca será igual ao carinho dispensado pelos que lhe são mais próximos! NUNCA!

Desabafei.

 

363: 01.Nov.2019

Convencionou-se que hoje seria Dia de Todos os Santos, e estipulou-se, na sociedade de consumo em que vivemos, que era o dia de visitar, nos cemitérios, os entes queridos que já partiram na sua última viagem.

Como ateu convicto, e cada vez mais, não necessito deste dia “especial” para ir visitar a campa da minha querida esposa porque faço-o regularmente todas as semanas, quando posso e quando o tempo o permite.

Além disso, também não estou na disposição de alimentar chulices que é o preço das flores aumentarem para o dobro – senão mais -, neste dia, nomeadamente nas barracas das floristas à porta do cemitério e porventura em todo o lado onde se comercialize este produto.

Para alimentar chulices, já basta o que tenho obrigatoriamente de pagar em impostos exorbitantes, nada adequados ao meu rendimento mensal, por isso apelido de chulice, além de ladroagem institucionalizada.

Segunda-feira, se não chover, iremos visitar a nossa querida e levar-lhe o habitual raminho de flores que deixou de estar inflacionado e voltou a preços que, embora normais, continuam a ser uma exorbitância.

 

355: 22.Set.2019

Deste-me a suprema felicidade de ter duas filhas lindas, a Vera e a Sandra. Faz hoje 46 anos que a nossa filha mais nova Sandra nasceu e também foi num dia de Aniversário que ela se casou. Antes, éramos uma Família feliz e com a tua doença e depois o teu falecimento, tudo se desmoronou.

Hoje, resta a extrema Saudade desses dias felizes em que os quatro éramos unidos e felizes. Creio que no lugar onde estás, não te esqueces deste dia, como de todos estes dias enquanto foste viva.

Descansa em Paz meu amor.

Depois, vieram as duas netas que tão esmeradamente cuidaste desde os 4 meses até irem para a escolinha.

e é sempre bom – e agora muito triste -, lembrar os tempos que todos passámos juntos

 

347: 02.Ago.2019

Dia de visita à campa da nossa querida, muito calor, flores secas, tudo reposto e um lindo ramo de flores.

Infelizmente o gajo que tratou da campa, ainda não foi colar a pedra e depois de uma troca de SMS muito desagradáveis, disse que tinha tido um “acidente” e não podia trabalhar…

Como se eu fosse bruxo e tivesse adivinhado que ele sofreu um “acidente” – se é que sofreu, as suas melhoras -, mas deduzo que é mais desculpa esfarrapada. É o país e a sociedade que actualmente existe.

[vasaioqrcode]

 

344: 15.Jul.2019

A pedra da campa continua por colar desde há 3 SEMANAS!!! Incrível como esta gente respeita a escolha que fizemos para tratar da última morada da Tina! E eram alguns…

Flores secas retiradas, a Vera colocou água no copo mais o novo raminho, ficou muito bonito.

Como dia 18 fazes 3 anos que nos deixaste, faremos uma visita especial nesse dia, isto se o tempo deixar… Hoje, ficam as imagens que representam a nossa eterna Saudade minha querida.

[vasaioqrcode]

 

335: 01.Jun.2019

Dia de visita, minha querida e no regresso a casa, fiquei extremamente chocado mas isso conto mais adiante.

Ainda tinhas as flores desta semana em boas condições, a Vera apenas mudou a água do copo e fez-se novo arranjo com o ramo que te levámos, oferta da senhoria que esteve cá de passagem.

E agora vamos à história do ter ficado chocado. Estava na paragem do autocarro em Santo Amaro com a Vera para regressarmos a casa, sentei-me no banco da paragem e quando olhei para o meu lado direito vi uma senhora sentada, cujo perfil e físico era uma cópia da tua imagem, nos últimos anos da tua existência, excepto quando se levantou e verifiquei que era mais baixa que tu.

Chorei, não sinto vergonha de o dizer, porque fez-me lembrar a tua imagem e parecia que estavas ali sentada ao meu lado! O perfil do nariz, da face, o queixo, o pescoço, o corpo, a boca, os óculos e até o cabelo que era dourado e atrás tinha canudos, como uma vez fizeste num dos muitos penteados que fazias questão de ter… Apenas as calças de ganga não condiziam com a tua indumentária habitual pois não gostavas de andar de ganga.

Não resisti a tirar, dissimuladamente, uma fotografia com o smartphone, para relembrar aquele momento e o tremendo choque que me causou, E aqui estão as imagens:

Desculpa comparar-te a alguém porque tu foste única, mas as semelhanças são tão impressionantes que das irmãs que tens – e nenhuma é parecida contigo – até parece que eram irmãs gémeas…

[vasaioqrcode]

 

333: 31.Mai.2019

Hoje, íamos fazer-te uma visita, mas os transportes (Carris) não deixaram, porque depois de 45 minutos à espera do 727 e nos entretantos terem passado 2 carreiras 742, 4 carreiras 751, 3 carreiras 756 e duas carreiras 714, desistimos porque a Vera tem aulas às 14:00 horas e já não dava para irmos ao cemitério e voltarmos a tempo. Isto, porque estamos reduzidos ao 727, dado que os eléctricos 18 já não funcionam há mais de dois meses penso que por obras no palácio da Ajuda (para as festanças de suas excelências os políticos deste país e convidados estrangeiros).

Mas amanhã, apesar de ser sábado e os mesmos transportes públicos continuarem a ser a mesma merda do costume, quer aos fins de semana, quer aos dias de semana, apesar das fake news do responsável pela C.M.L. a tentar angariar novos clientes, esperamos ir visitar-te com mais calma e sem estarmos sujeitos a horários.

O raminho que hoje levávamos – e será depositado amanhã na tua campa -, é este, incluindo ortênsias que tanto gostavas:

[vasaioqrcode]