392: 29.Out.2020

 

Desde que a pandemia do COVID-19 chegou a Portugal e devido à situação pandémica, nunca mais pudemos ir visitar-te regularmente ao cemitério. Fomos hoje antecipadamente levar-te um raminho de flores e cuidar da tua campa a fim de evitar o aglomerado de pessoas que se prevê para o Dia de Finados.

Felizmente e após este tempo de ausência, a campa estava quase impecável – choveu nos últimos dias – mas quase que nem se notava. Nunca te esquecemos nestes longos dias de isolamento social.

Nesta visita de hoje, como em todas as outras anteriores, senti sempre uma paz interior enorme, uma tranquilidade entre os mortos, que não sinto entre os vivos.

Panorâmica das floristas em frente ao Cemitério

Onde quer que te encontres, espero que finalmente estejas em Paz, depois de tantos anos de sofrimento.