176: Rússia ataca Ucrânia com pás (literalmente). Relato impressionante de soldado russo

 

– Enviem os fantoches valentões da merda engravatados do kremlin para a frente de batalha com uma kalashnikov nas mãos! A “heroicidade” dessa escumalha russonazi apenas está na ponta da língua! E já agora, alistem-se todos os pró-russonazis e mostrem a vossa “valentia” com uma arma nas mãos e a pegar a morte pelos cornos!

🇷🇺 MOSCÓVIA // 🇷🇺 RUSSONAZIS // 🇺🇦 UCRÂNIA

Momento emocionante captado em família. “A morte está à tua espera?” – o soldado responde: “Falo asperamente: sim”.

Kateryna Klochko / EPA

Denis Ivanov, nome fictício, foi chamado para a guerra há quase um ano, em Outubro de 2022.

O jovem russo vivia em Saratov e ele – e a sua família – foram o foco de uma reportagem impressionante da Rádio Liberdade.

A sua esposa, Vera (também nome fictício) admitiu que não estava à espera da convocatória. No início, o russo não apareceu mas, após a segunda chamada e após ameaças no emprego de Vera, onde avisaram que a família teria problemas caso recusasse combater, o marido aceitou.

Comprou equipamento com o seu próprio dinheiro. Ele e muitos outros russos de Saratov. Nos exercícios, o equipamento estava bom para o lixo.

Estiveram em Saratov nos primeiros tempos, depois rumaram à Bielorrússia. Em Maio deste ano teria as suas primeiras férias – mas não houve férias para ninguém.

Denis foi para a guerra na Ucrânia. Nos primeiros tempos, sempre que falavam ao telefone, o soldado respondia “está tudo bem”.

Mas, na semana passada, Vera entrou em pânico: “Ele ligou na quinta-feira e disse que as Forças Armadas ucranianas estavam a controlar Andreevka e a avançar para Bakhmut. E eles são colocados em Andreevka praticamente sem armas”.

Denis contou a Vera que os russos, no geral, estão a atacar “com pás e sem apoio de artilharia”. E não dá para recuar porque, se recuarem, serão assassinados.

Eram 1.000, passaram a ser 400 soldados. Naquela zona de combate, em dois dias morreram 600 russos, segundo Denis – embora os relatórios oficiais indiquem que morreram três soldados russos.

A mãe do soldado queria divulgar esta informação, sobretudo a escassez de armas. Mas foi logo atacada por mães e esposas de outros soldados: “O mundo não precisa de saber disso”.

As esposas preocupam-se mais com os seus salários do que com os seus maridos. Estão preocupadas com a possibilidade de que, se os nomes dos rebeldes vierem à luz, eles simplesmente sejam considerados “desaparecidos em combate” e não recebam quaisquer pagamentos”, explica Vera.

Até que, a meio da entrevista…

…Denis telefona.

“A Ucrânia estes a controlar Andreevka, basicamente somos carne para canhão. As pessoas morrem por nada. As pessoas vão para um lado e não voltam”, ouve-se do outro lado da linha.

Quando os soldados avisam os superiores que, se entrarem em Andreevka nunca mais vão sair de lá vivos, os superiores respondem: “E daí?”.

Denis tem noção de que “dificilmente” vai conseguir sair daquela zona.

À pergunta “Qual o sentido de recapturar a aldeia?”, Denis responde: “Também fazemos essa pergunta ao comando. Não temos resposta”.

Denis quer voltar para casa: “Não tenho nada para fazer aqui”. E acha que o significado da guerra, no geral, depende da pessoa: “Uns vêm para aqui para melhorar a sua situação financeira. Outros são mesmo patriotas”.

“Mas eu não estou na minha terra agora. E se me perguntarem: “Porque estás a lutar?”, então não darei resposta. Eu não tenho uma resposta para dar”.

“Não sei por que estou aqui”.

E depois, a emoção: “Não sei se algo vai mudar na nossa situação aqui, após a publicação desta reportagem na rádio, mas sei que amanhã partiremos para o ataque. E posso nunca mais ligar para casa”.

A sua esposa tira o altifalante do telemóvel, corre para a varanda a chorar e continua a falar com o marido: “Volta, por favor”, ouve-se.

A morte

Antes do telefonema de Denis, o filho do soldado, que ainda nem tem 2 anos, estava sentado ao colo da mãe e começou a tocar com o dedo no telemóvel, onde está uma fotografia do soldado.

“Pai!”, diz a criança.

“Sim, é o pai”, diz Vera para o filho. A seguir comenta com o repórter da rádio: “Não quero que o meu filho conheça o pai apenas por fotografias”.

Depois, a meio do telefonema, a pergunta dura: “A morte está à tua espera? Se não for de um lado, será do outro?”.

A resposta de Denis não é menos dura: “Falo asperamente: sim”.

ZAP //
20 Setembro, 2023

 


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 2 dias ago

Loading

Fundação Nobel recua e retira convite a embaixadores russo e bielorrusso após “fortes reacções”

 

– Roeu-lhes a “consciência”… Convidar terroristas nazis para a entrega do Nobel quando um deles está preso na Bielorrússia…

🇸🇪 SUÉCIA // 🪙 NOBEL // 🇷🇺 DITADORES MOSCÓVIA

“Decidimos repetir a excepção do ano passado à prática habitual, ou seja, não convidaremos os embaixadores de Rússia, Bielorrússia e Irão”, diz o comunicado.

© DR

A Fundação Nobel, responsável pela atribuição dos prémios Nobel, recuou este sábado na decisão de convidar “todos os embaixadores” para a cerimónia de entrega, depois de ter recebido “fortes reacções” ao convite aos diplomatas da Rússia e da Bielorrússia.

“Decidimos repetir a excepção do ano passado à prática habitual, ou seja, não convidaremos os embaixadores de Rússia, Bielorrússia e Irão para a cerimónia de entrega do Prémio Nobel em Estocolmo”, refere um comunicado este sábado divulgado no seu portal.

No ano passado, este organismo decidira não convidar os embaixadores russo e bielorrusso por causa da guerra na Ucrânia, assim como o embaixador iraniano devido à repressão ao movimento de protesto.

Ao contrário do que aconteceu então, a fundação que organiza a cerimónia de entrega de prémios e um grandioso jantar de gala na capital sueca anunciou, na sexta-feira, que iria convidar todos os embaixadores dos países presentes na Suécia para promover o diálogo em favor da paz.

A decisão de convidar este ano todos os embaixadores foi criticada pelo primeiro-ministro Sueco, por Kiev e pela oposição bielorrussa. E a bielorrussa no exílio, Svetlana Tikhanovkaïa, apelou à Fundação Nobel para inverter a decisão.

Na Suécia, o primeiro-ministro Ulf Kristersson manifestou-se “muito surpreendido” com os convites.

A cerimónia realiza-se todos os anos em Estocolmo em 10 de Dezembro, dia em que os vencedores dos prémios de medicina, física, química, literatura e economia recebem os seus prémios das mãos do rei Carlos XVI Gustaf, seguindo-se um jantar de gala que reúne cerca de 1.200 convidados.

Um evento separado é organizado em Oslo, no mesmo dia, para o vencedor do Prémio Nobel da Paz, para o qual são convidados todos os embaixadores presentes na Noruega, sem excepção.

DN/Lusa
02 Setembro 2023 — 13:40


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 3 semanas ago

156: Prigozhin está vivo? Kremlin luta contra rumores de que o líder do Grupo Wagner forjou a morte

 

É PRECISODESNAZIFICARA MOSCÓVIA
DOS NAZIS E DE TODOS SEUS APOIANTES,
PARA O BEM DA HUMANIDADE!

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦

– “Dmitry Utkin, o mercenário neo-Nazi que foi co-fundador do Grupo Wagner e que lhe deu o nome“.

E quer o russonazi nacional-imperialista socio-psicopata terrorista da Moscóvia, eliminar com a sua “operação especial” de invasão da Ucrânia, a desnazificação e desmilitarização da Ucrânia! Lida com nazis (Wagner), ele próprio desenvolve um regime de ditadura nazi e chama nomes aos outros!

🇷🇺☠️ RUSSONAZIS // MOSCÓVIA // 💀⚰️PRIGOZHIN ❓

A morte de Yevgeny Prigozhin, o famigerado líder do grupo mercenário Wagner, num acidente de avião, tem estado envolta em controvérsia e rumores — que o Kremlin tenta afincadamente combater.

Segundo a posição oficial do governo russo, o líder do Grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin, está morto, vítima de um acidente de aviação causado por uma “falha técnica simples”.

No entanto, alguns comentadores e analistas independentes suspeitam de que o desaparecimento de Prigozhin poderá ter sido encenado — provavelmente, pelo próprio.

E, reporta o Político, os rumores de que a notícia da morte do chefe mercenário poderá ter sido exagerada não tardaram a espalhar-se entre apoiantes do paramilitar e seus adversários políticos.

Até agora, a confirmação da morte de Prigozhin é baseada na identificação, entre os destroços do avião, de um corpo com tatuagens e um pedaço de dedo a menos na mão esquerda — um ferimento sofrido pelo mercenário há alguns anos quando se encontrava detido numa colónia penal.

Esta identificação carece para já de confirmação após análise de DNA aos corpos encontrados, entre os quais se encontra também o de Dmitry Utkin, o mercenário neo-Nazi que foi co-fundador do Grupo Wagner e que lhe deu o nome.

Duas horas após a queda do avião, a agência federal de aviação da Rússia confirmou o acidente fatal e a presença de Prigozhin a bordo. O Comité de Investigação da Rússia está a investigar a queda, e o Presidente Vladimir Putin pediu paciência pelos resultados.

Mas enquanto a análise de DNA não apresenta resultados conclusivos, a incerteza persiste — e alastra.

Prigozhin, recorda o Politico, tem um largo histórico de teatralidade, recurso a truques e uso frequente de sósias — o que ajuda a alimentar as especulações sobre uma possível reviravolta no caso.

Contrastando com a narrativa clara do governo, o canal GreyZone no Telegram, ligado ao Grupo Wagner, reportou inicialmente que um segundo avião pertencente a Prigozhin estava intacto e a sobrevoar Moscovo.

A analista política independente Yekaterina Schulmann descreveu mesmo o cenário como “uma oportunidade adequada para desaparecer para sempre“.

As actuações públicas habitualmente teatrais de Prigozhin como líder do Grupo Wagner, a descoberta de passaportes falsos e fotos em vários disfarces na sua mansão, e um incidente semelhante em 2019, em que foi dado como morto num acidente, só acrescentam mais lenha à suspeita.

Encenar a própria morte não seria algo demasiado complexo para alguém com as capacidades de Yevgeny Prigozhin, desde sempre um mestre do disfarce e do engano, à altura de Houdini. “É mesmo ao seu estilo“, diz ao Político o jornalista de investigação búlgaro Christo Grozev.

Menos de 48 horas após o acidente que o terá vitimado, muitos questionam se é verdade que Prigozhin está mesmo morto. Mas a sua lenda está claramente viva.

ZAP //
25 Agosto, 2023


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 4 semanas ago

Presumível morte de Prigozhin é uma “coisa boa”, diz Zelensky

 

🇺🇦🔱 UCRÂNIA // 🇷🇺☠️ RUSSONAZIS // 🇷🇺☠️ MOSCÓVIA // 🇷🇺💀 PRIGOZHIN

“Não temos nada a ver com isso, sabemos quem foi”, disse o presidente ucraniano, na primeira reacção à presumível morte do líder do grupo Wagner. “Quando eu pedi apoio aéreo aos parceiros não era isto que tinha pensado”, brincou Zelensky.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, com o homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, em conferência de imprensa conjunta
© ANTONIO PEDRO SANTOS

O presidente da Ucrânia considerou esta quinta-feira que a presumível morte do líder do Grupo Wagner é “uma coisa boa” para a Ucrânia e até fez uma piada sobre o assunto.

“Claro que é uma coisa boa para a Ucrânia. Não temos nada a ver com isso, sabemos quem foi”, disse Volodymyr Zelensky, na primeira reacção à presumível morte de Yevgeny Prigozhin, em conferência de imprensa conjunta com homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio Presidencial, em Kiev.

E no humor a que por vezes recorre, reminiscência do passado como comediante, brincou com o assunto: “Quando eu pedi apoio aéreo aos parceiros não era isto que tinha pensado.”

Na quarta-feira, a Agência Federal de Transporte Aéreo da Rússia (Rosaviatsiya) indicou que Yevgeny Prigozhin, líder do grupo mercenário russo Wagner, era um dos passageiros do jacto privado que se despenhou a norte de Moscovo, matando todos os ocupantes.

Segundo a mesma fonte, estava também entre os passageiros Dmitry Utkin, um dos fundadores do grupo Wagner e ex-oficial das forças especiais russas.

Partido russo acusa “canalhas específicos” da morte de Prigozhin

– A cobardia destes russonazis que não têm 🍅🍅para acusarem directamente o socio-psicopata czar nacional-imperialista do reino da Moscóvia! Cuidado, porque quem se mete com o gajo, leva!

O líder do partido Rússia Justa, Serguei Mironov, denunciou, entretanto, que o chefe do Grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin, foi morto por “canalhas específicos”, que não identificou, cujo “castigo será inevitável”.

“Prigozhin estava no caminho de muitos na Rússia, na Ucrânia e no Ocidente”, escreveu Mironov nas redes sociais, citado pela agência espanhola EFE.

O nome de Prigozhin, 62 anos, constava da lista de passageiros de um avião privado que se despenhou por razões desconhecidas na quarta-feira, durante um voo entre Moscovo e São Petersburgo, segundo as autoridades russas.

O líder do Rússia Justa fez eco das acusações nas redes sociais de que o avião em que viajaria Prigozhin teria sido abatido por um míssil ou por uma bomba colocada no interior do aparelho.

Mironov disse que, “a certa altura, o número de inimigos [de Prigozhin] atingiu o pico”.

“Por isso, no caso de Prigozhin, não é que uma morte abstracta tenha encontrado a sua vítima, mas sim que foram canalhas específicos que o fizeram”, afirmou.

“Onde quer que estejam, o castigo será inevitável”, acrescentou Serguei Mironov.

O Rússia Justa tem 28 deputados e é o terceiro partido do parlamento russo, dominado pelo partido Rússia Unida, que apoia o Presidente Vladimir Putin, com 321 dos 450 eleitos.

O avião privado fabricado pela brasileira Embraer despenhou-se na região de Tver, a norte de Moscovo, provocando a morte das 10 pessoas a bordo.

A agência de aviação civil Rosaviatsia disse que na lista de passageiros constava também o nome de Dmitri Utkin, braço direito de Prigozhin e antigo oficial dos serviços secretos militares russos.

O Grupo Wagner esteve muito activo na guerra da Ucrânia, lançada pela Rússia em 24 de Fevereiro de 2022.

No final de Junho, depois de ter conquistado a cidade ucraniana de Bakhmut, na mais longa e sangrenta batalha da guerra, o grupo protagonizou uma rebelião contra o ministro da Defesa russo, Serguei Shoigu.

Prigozhin exigiu na altura a demissão de Shoigu e do chefe do Estado-maior, Valery Gerasimov, a quem acusou de mandar atacar os militares do Grupo Wagner e de incompetência na guerra contra a Ucrânia.

Durante a breve rebelião, o antigo aliado de Putin ocupou o comando militar russo na cidade de Rostov-on-Don, sudoeste da Rússia, e mandou avançar uma coluna de mercenários para Moscovo.

A coluna voltou para trás após um acordo alegadamente mediado pela Bielorrússia, para onde se terão transferido milhares de mercenários do Grupo Wagner.

Prigozhin esteve ausente das redes sociais durante algum tempo, mas surgiu esta semana num vídeo alegadamente gravado em África, antes do acidente do avião em que supostamente viajava.

O Kremlin (Presidência russa) ainda não comentou o acidente aéreo que terá vitimado o chefe do Grupo Wagner.

Notícia actualizado às 12:54

DN/Lusa
24 Agosto 2023 — 12:42


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 4 semanas ago

150: Sete feridos em ataque russo a Dnipro

 

É PRECISODESNAZIFICARA MOSCÓVIA
DOS NAZIS E DOS SEUS APOIANTES,
PARA O BEM DA HUMANIDADE!

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦

🇺🇦🔱 UCRÂNIA // 💥 BOMBARDEAMENTOS // 🇷🇺☠️RUSSONAZIS // 🇷🇺☠️ TERRORISMO

Autoridades ucranianas indicaram que foram danificados “um banco, uma estação de serviços, um hotel”, uma empresa agrícola e outra de fabrico de mobiliário e “um edifício administrativo”.

A destruição em Dnipro causada por ataque russo
Foto X (antigo Twitter)

A destruição em Dnipro causada por ataque russo
Foto X (antigo Twitter)

A destruição em Dnipro causada por ataque russo
Foto X (antigo Twitter)

Um ataque com mísseis russos à cidade ucraniana de Dnipro feriu sete pessoas e atingiu uma infra-estrutura de transportes e uma dezena de instalações privadas de vários sectores económicos, informou esta quinta-feira a Administração Militar local.

Durante a noite, registaram-se fortes explosões em Dnipro. O inimigo atacou a cidade com mísseis. Um deles foi abatido”, escreveu, na plataforma de mensagens Telegram, o chefe da Administração Militar da região de Dnipropetrovsk, da qual Dnipro é a capital.

“Um banco, uma estação de serviços, um hotel, uma empresa agrícola, uma empresa de fabrico de mobiliário e um edifício administrativo” foram danificados no ataque, acrescentou Sergei Lisak.

Dnipro, no centro da Ucrânia, é uma das principais cidades industriais do país e serve de centro logístico para as forças armadas ucranianas, devido às suas boas ligações e à relativa proximidade da frente de batalha.

DN/Lusa
24 Agosto 2023 — 07:39


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 4 semanas ago

143: Bombardeamentos russos fazem três mortos em Lyman, no leste da Ucrânia

 

É PRECISODESNAZIFICARA MOSCÓVIA
DOS NAZIS E DOS SEUS APOIANTES,
PARA O BEM DA HUMANIDADE!

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦

🇺🇦🔱 UCRÂNIA // 🇷🇺☠️ RUSSONAZIS // 🇷🇺☠️MOSCÓVIA // 🇷🇺☠️ TERRORISMO // 🇷🇺☠️ ATAQUES // 💀 TERRORISMO

Três pessoas foram mortas e uma ficou ferida em Torske, e outro civil ficou ferido em Zakitne

© IHOR TKACHOV / AFP

Três pessoas morreram e outras duas ficaram feridas esta terça-feira na sequência de bombardeamentos russos contra duas cidades perto de Lyman, no leste da Ucrânia, anunciou o líder da administração da região de Donetsk, Pavlo Kyrylenko.

As forças russas “atingiram as cidades da comunidade de Lyman esta noite: três pessoas foram mortas e uma ficou ferida em Torske, e outro civil foi ferido em Zakitne”, escreveu Kyrylenko no Telegram.

A ofensiva militar russa no território ucraniano, lançada a 24 de Fevereiro do ano passado, mergulhou a Europa naquela que é considerada a crise de segurança mais grave desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

DN/AFP
22 Agosto 2023 — 23:52


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 4 semanas ago

Três mortos em ataque com ‘drones’ na região russa de Belgorod

 

É PRECISODESNAZIFICARA MOSCÓVIA
DOS NAZIS E DOS SEUS APOIANTES,
PARA O BEM DA HUMANIDADE!

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦

“… “As forças armadas ucranianas lançaram um engenho explosivo a partir de um ‘drone’ no momento em que as pessoas estavam na rua””. Este russonazi (o governador regional, Vyacheslav Gladkov) só não mencionou que “Três pessoas morreram e outras duas ficaram feridas esta terça-feira na sequência de bombardeamentos russos contra duas cidades perto de Lyman, no leste da Ucrânia” (https://www.dn.pt/internacional/russia-volta-a-atacar-com-drones-regiao-de-odessa-16901580.html).

Cada vez mais tenho a noção ou que estes russonazis estão bêbados antes de vomitarem informação nazi, ou então têm mesmo a noção da merda que vomitam o que os torna em primatas selvagens sem qualquer conotação com seres humanos.

🇷🇺☠️ RUSSONAZIS // 🇷🇺☠️ MOSCÓVIA // TERRORISMO 🇷🇺☠️

“As forças armadas ucranianas lançaram um engenho explosivo a partir de um ‘drone’ no momento em que as pessoas estavam na rua”, denunciou o governador regional.

– “ Três pessoas morreram e outras duas ficaram feridas esta terça-feira na sequência de bombardeamentos russos contra duas cidades perto de Lyman, no leste da Ucrânia”

Foto EPA/YURI KOCHETKOV

Foto X

Foto X

Foto X

Três pessoas morreram esta quarta-feira num ataque de um ‘drone’ ucraniano na região russa de Belgorod, que faz fronteira com a Ucrânia, disse o governador regional, Vyacheslav Gladkov, na plataforma de mensagens Telegram.

“Três civis foram mortos na aldeia de Lavy, no distrito de Valuysk”, escreveu Gladkov.

“As forças armadas ucranianas lançaram um engenho explosivo a partir de um ‘drone’ no momento em que as pessoas estavam na rua”, acrescentou.

Também esta quarta-feira, a defesa aérea russa voltou a abater dois drones em Moscovo e na região da capital, alvo pelo sexto dia consecutivo de ataques, informou esta madrugada o presidente da autarquia.

“Ontem à noite [terça-feira], a defesa aérea abateu um drone no bairro de Mojaiski, na região de Moscovo. O segundo drone atingiu um edifício em construção na cidade”, declarou Sergei Sobyanin na plataforma de mensagens Telegram, acrescentando que, segundo as primeiras informações, não houve vítimas.

A agência de notícias russa RIA Novosti já noticiara uma “explosão” na zona comercial da cidade de Moscovo.

“Um edifício em construção na cidade de Moscovo sofreu danos menores”, informou outra agência de notícias russa, TASS, citando os serviços de emergência.

O tráfego aéreo nos aeroportos internacionais de Moscovo Domodedovo, Sheremetyevo e Vnukovo foi interrompido, informou também a TASS.

O território russo tem sido alvo de ataques de drones quase diariamente. Na madrugada de terça-feira, dois aparelhos foram abatidos sobre a região de Moscovo, nomeadamente em Krasnogorsk, a noroeste da capital, onde as janelas de um edifício foram destruídas.

Durante o verão, foram destruídas aeronaves sobre a zona comercial de Moscovo e, em maio, dois drones foram abatidos perto do Kremlin.

Rússia volta a atacar com drones região de Odessa

A Rússia voltou a atacar na terça-feira à noite com drones a região de Odessa, no sul da Ucrânia, atingindo infra-estruturas de produção e transporte de mercadorias para exportação e causando danos em celeiros.

“Infelizmente, houve impactos nas infra-estruturas de produção e transporte, onde se registou um incêndio numa área de 700 metros quadrados”, escreveu o chefe da Administração Militar da região de Odessa, Oleg Kiper, na sua conta na plataforma de mensagens Telegram.

O fogo foi extinto, disse Kiper, que falou de “danos em celeiros” localizados no local do ataque. De acordo com o chefe da administração militar da região de Odessa, as defesas antiaéreas ucranianas abateram nove drones lançados pela Rússia durante o ataque.

Segundo vários canais ucranianos do Telegram, o ataque teve lugar no porto de Ismail, no Danúbio, no extremo sudoeste da Ucrânia e muito perto da fronteira com a Roménia, membro da NATO.

Desde o fim, em meados de Julho, do chamado acordo sobre os cereais, em que Moscovo se comprometeu, durante um ano, a permitir a exportação de produtos agrícolas a partir de três portos ucranianos do Mar Negro, a Rússia tem bombardeado repetidamente as infra-estruturas portuárias e agrícolas ucranianas.

Desde o início da invasão russa em grande escala, a Ucrânia tem aumentado as exportações agrícolas através do Danúbio, face ao bloqueio militar russo no Mar Negro.

DN/Lusa
23 Agosto 2023 — 07:47


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 4 semanas ago

141: General russo ligado a Prigozhin afastado do comando pode ter sido demitido

 

É PRECISODESNAZIFICARA MOSCÓVIA
DOS NAZIS E DOS SEUS APOIANTES,
PARA O BEM DA HUMANIDADE!

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦


🇷🇺☠️ MOSCÓVIA // 🇷🇺☠️ RUSSONAZIS // GENERAL DEMITIDO 🪖

Sergei Surovikin, chefe das Forças Aeroespaciais da Rússia, é conhecido como “General Armagedão” pelas campanhas de bombardeamentos que empreendeu na Síria.

© Gavriil GRIGOROV / Sputnik / AFP

O general Sergei Surovikin, chefe das Forças Aeroespaciais da Rússia e conhecido pela proximidade ao líder do grupo mercenário Wagner, Yevgueni Prigozhin, está afastado do cargo, segundo o diário russo RBC, ao qual uma fonte indicou a sua demissão.

“Ele está actualmente no meio de umas férias curtas”, disse uma fonte ao diário russo, enquanto uma segunda fonte afirmou que Surovikin foi demitido pelo Ministério da Defesa russo, decisão que não é conhecida oficialmente.

Surovikin, de 56 anos, conhecido como “General Armagedão” pelas campanhas de bombardeamentos que empreendeu na Síria, também terá deixou automaticamente de ser vice-comandante das forças russas que operam na Ucrânia como parte da invasão iniciada em Fevereiro de 2022.

O general assumiu o comando daquelas tropas em Outubro do ano passado, mas depois de ordenar a retirada de parte da região ucraniana de Kherson, foi substituído em Janeiro de 2023 pelo chefe do Estado-Maior, Valeri Gerasimov.

Nos primeiros meses da guerra, participou na captura de várias cidades na região oriental de Lugansk.

Surovikin caiu em desgraça após a fracassada rebelião armada liderada por Prigozhin, que na altura reconheceu ter planeado pessoalmente com o referido general a operação para tomar a cidade de Bakhmut, algo que os mercenários conseguiram em maio passado.

Criticando Gerasimov e o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, Prigozhin garantiu que, com Surovikin no comando, os seus homens nunca teriam tido problemas com o fornecimento de equipamento e munições, pelos quais culpou os dois primeiros em diversas ocasiões.

Desde a revolta do Grupo Wagner, em 23 e 24 de Junho, Surovikin desapareceu dos olhos do público, embora em meados de Julho um deputado, Andrei Kartapolov, tenha garantido: “Ele está a descansar”.

O Kremlin nunca confirmou a prisão do general por apoiar o motim, o que também foi refutado pela sua própria filha.

Posteriormente, os mercenários Wagner foram enviados para a sua nova base, a Bielorrússia, de onde retomaram as suas operações em África, confirmou Prigozhin.

Surovikin liderou, com excepção de alguns meses, o contingente militar russo na Síria entre 2017 e 2019, pelo que foi distinguido pelo Presidente russo, Vladimir Putin, como Herói da Rússia.

Ficou conhecido como “General Armagedão” pela brutalidade das suas operações contra cidades como Aleppo, controladas pela oposição ao líder sírio Bashar al-Assad.

DN/LUSA
22 Agosto 2023 — 21:11

– Ele está a descansar… 🙂



Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 1 mês ago

Loading

138: Três militares que defenderam Mariupol condenados a 20 anos pela Rússia

 

É PRECISODESNAZIFICARA MOSCÓVIA
DOS NAZIS E DOS SEUS APOIANTES,
PARA O BEM DA HUMANIDADE!

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦

– Diz o roto ao nu, porque não te vestes tu? A imaginação destes psicopatas russonazis é do pior que existe num ser que de humano, apenas sobressai a natureza animalesca selvagem primata! Invadiram a Ucrânia, bombardeiam diariamente edifícios e residências civis, assassinam pessoas de todas as idades, roubam, violam e ainda têm a distinta lata de acusarem soldados que defendem o seu país (Ucrânia) de “alegados abusos contra civis”? Montesdemerda atrasados mentais!

🇷🇺☠️ RUSSONAZIS // 🇷🇺☠️ MOSCÓVIA // ASSASSINOS 🇷🇺☠️

Separatistas pró-russos no leste da Ucrânia condenaram hoje cinco militares ucranianos a pesadas penas de prisão por alegados abusos contra civis, anunciou o Comité de Investigação da Rússia.

© Getty Images

Servindo no regimento Azov, que se destacou na defesa da cidade de Mariupol em 2022, Andrey Klementovitch, Ivan Melnikovich e Artur Sivitsky foram considerados culpados de ferir civis, de acordo com um comunicado de imprensa.

Os militares ucranianos foram condenados a 20 anos de prisão num estabelecimento penal por “tratamento cruel de civis” e “tentativa de assassínio em grupo de várias pessoas com base no ódio ideológico”.

Estes homens foram capturados durante a ofensiva russa na Ucrânia contra fileiras do regimento Azov, formado por nacionalistas ucranianos e considerado uma organização terrorista por Moscovo.

Segundo o Comité de Investigação separatista, os militares tinham “recebido ordem para impedir a retirada para a Rússia” das populações e “matar os suspeitos de ajudar” civis.

A entidade publicou um vídeo no seu ‘site’ onde se vêem os três soldados algemados ouvindo a sentença atrás das grades no banco dos réus, antes de deixarem a sala.

Estas sentenças foram proferidas pelo “Supremo Tribunal” da República Popular de Donetsk (DNR, no leste da Ucrânia), controlada por Moscovo, que no ano passado reclamou a sua anexação, não reconhecida pela comunidade internacional.

Um soldado ucraniano, Bogdan Smaga, também foi condenado a 17 anos de prisão por alegados abusos contra civis perto da cidade de Lugansk (leste), de acordo com o Comité de Investigação da Rússia.

E outro soldado, Igor Lemechev, foi sentenciado a 20 anos anos de prisão pela morte de um civil durante o bombardeamento de uma localidade próxima.

Notícias ao Minuto Notícias ao Minuto
21/08/23 20:37
por Lusa


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 1 mês ago

Loading

137: Ucrânia destrói bombardeiro supersónico russo a sul de São Petersburgo

 

É PRECISODESNAZIFICARA MOSCÓVIA
DOS NAZIS E DOS SEUS APOIANTES,
PARA O BEM DA HUMANIDADE!

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦

– A propaganda russonazi em acção; “… O Ministério da Defesa da Rússia adiantou que o “ataque terrorista” ocorreu na base militar de Soltsy-2, na região de Novgorod, tendo sido apenas registados danos materiais.“.

Se este foi um ataque “terrorista” ucraniano, que chamar à invasão, guerra, bombardeamentos, chacinas, assassínios, destruição, torturas, violações e afins dos russonazis desde que invadiram a Ucrânia? Será que estes psicopatas russonazis antes de fazerem este tipo de afirmações já têm o bandulho cheio de Stolichnaya?

🇷🇺☠️ RUSSONAZIS // 🇷🇺☠️ MOSCÓVIA // BAIXAS 💥

O Ministério da Defesa da Rússia adiantou que o “ataque terrorista” ocorreu na base militar de Soltsy-2, na região de Novgorod, tendo sido apenas registados danos materiais.

– Mais um Tupolev Tu-22 p’ró galheiro! 😂

© Reprodução/Twitter

A Ucrânia terá destruído um bombardeiro supersónico russo num ataque com drones levado a cabo a sul de São Petersburgo, no sábado.

Imagens publicadas nas redes sociais, e verificadas pela BBC, mostram a aeronave Tupolev Tu-22 em chamas.

O Ministério da Defesa da Rússia adiantou que o “ataque terrorista” ocorreu na base militar de Soltsy-2, na região de Novgorod, tendo sido apenas registados danos materiais.

Além disso, imagens de satélite aparentam dar conta de que aviões anteriormente estacionados na base militar desapareceram, ainda que possam ter sido relocalizados.

Já o Ministério da Defesa do Reino Unido considerou, no seu mais recente relatório, que os ataques com drones que têm assolado a Rússia nos últimos dias deverão estar a ser lançados a partir do interior do território daquele país, esta terça-feira.

https://twitter.com/NOELreports/status/1693870274662253025?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1693870274662253025%7Ctwgr%5Ef81213b99d776be957e1b4a089ecf7cc24b40679%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.noticiasaominuto.com%2Fmundo%2F2384753%2Fucrania-destroi-bombardeiro-supersonico-russo-a-sul-de-sao-petersburgo

Dando conta dos relatos de que um bombardeiro supersónico russo foi destruído no dia 19 de Agosto, os serviços secretos acreditam que o território russo está a ser atacado a partir de dentro, uma vez que “é improvável que veículos aéreos não tripulados tenham a capacidade de chegar a Soltsky-2 vindos de fora da Rússia”.

Isto porque, conforme assinalado pelo organismo, a base de Soltsy-2 fica a cerca de 650 quilómetros da fronteira entre os dois países.

https://twitter.com/DefenceHQ/status/1693864216107643122?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1693864216107643122%7Ctwgr%5Ef81213b99d776be957e1b4a089ecf7cc24b40679%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.noticiasaominuto.com%2Fmundo%2F2384753%2Fucrania-destroi-bombardeiro-supersonico-russo-a-sul-de-sao-petersburgo

Segundo a BBC, Kyiv ainda não comentou o sucedido, nem assumiu responsabilidade pelo alegado ataque.

Lançada a 24 de Fevereiro, a ofensiva militar russa na Ucrânia já provocou a fuga de mais de 14,6 milhões de pessoas, segundo os dados mais recentes da Organização das Nações Unidas (ONU), que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A entidade confirmou ainda que já morreram mais de 9.444 civis desde o início da guerra e 26.384 ficaram feridos, sublinhando, contudo, que estes números estão muito aquém dos reais.

Notícias ao Minuto Notícias ao Minuto
22/08/23 08:21
por Notícias ao Minuto


Ex-Combatente da Guerra do Ultramar, Web-designer,
Investigator, Astronomer and Digital Content Creator



published in: 1 mês ago