730: Lobos estão a deixar Chernobyl e podem espalhar genes radioactivos mutantes pela Europa

frances_marie / MorgueFile

Investigadores encontraram, pela primeira vez, provas de que há lobos a deixarem a chamada Zona de Exclusão de Chernobyl, na Ucrânia, isolada após o desastre nuclear de 1986. Um dado que levanta dúvidas quanto à eventual disseminação de genes radioactivos mutantes pela Europa.

Uma investigação da Universidade do Missouri, nos EUA, que foi publicada no European Journal of Wildlife Research, revela que, pela primeira vez, foi detectado um lobo a sair da Zona de Exclusão de Chernobyl.

Esta “zona morta”, que foi abandonada por milhares de pessoas, após o acidente nuclear de 1986, é hoje ocupada por populações de javalis, linces e lobos que se multiplicaram sem a presença dos humanos.

A população de lobos na zona é, actualmente, sete vezes superior à das áreas envolventes, como apontam os autores da pesquisa.

A área transformou-se numa “reserva natural”, como refere o líder da investigação, o ecologista Michael Byrne, da Universidade de Missouri, em declarações ao Live Science.

Esta pesquisa centrou-se na monitorização de 14 lobos cinzentos, utilizando coleiras com GPS. Foi, assim, que conseguiram detectar a saída de um dos lobos mais jovens da matilha para lá da Zona de Exclusão de Chernobyl.

O lobo afastou-se até cerca de 300 quilómetros de distância, e um problema no seu colar GPS não permitiu apurar “se o animal voltou eventualmente à Zona de Exclusão ou se permaneceu fora permanentemente”, refere o Live Science.

O que é certo é que esta é “a primeira prova de um lobo a dispersar para lá da Zona de Exclusão”, refere Michael Byrne a esta publicação, onde admite também que “é razoável assumir que coisas semelhantes estão a acontecer com outros animais”.

E é aqui que surge o receio de que estas espécies possam transportar genes radioactivos mutantes para outras populações animais, o que poderia ter reflexos por toda a Europa.

Em 2017, foram encontrados elevados índices de radiação em javalis selvagens das florestas da República Checa, a cerca de 1600 km da central nuclear de Chernobyl.

A Zona de Exclusão continua interdita para habitação, mas abriu recentemente para visitas turísticas.

ZAP //

Por ZAP
4 Julho, 2018

 

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=232ba052_1530699584857]