3315: NASA dá luz verde ao seu novo avião supersónico silencioso

CIÊNCIA/NASA

A NASA acaba de dar luz verde à montagem final e integração dos sistemas do seu primeiro avião supersónico silencioso tripulado (X59). O avião já passou os testes de desenvolvimento e está agora na sua fase final.

Em nota publicada na sua página, a NASA explica que a autorização foi agora conseguida depois de uma revisão administrativa conhecida como Key Decision Point-D (KDP-D).

Este era o último obstáculo programático que a aeronave X-59 QueSST (Transporte Silencioso Supersónico) tinha de ultrapassar antes de as autoridades competentes se reunirem no final de 2020 para aprovar o primeiro voo do avião, programado para 2021.

“Com a conclusão do KDP-D, mostramos que o projecto está programado, bem planeado e no caminho certo (…) Temos tudo para continuar esta missão histórica de investigação para o público de viagens aéreas do país”, disse Bob Pearce, administrador da NASA.

O X-59 testará as suas tecnologias supersónicas silenciosas sobrevoando algumas comunidades nos Estados Unidos, precisa a agência espanhola Europa Press.

A aeronave da NASA foi projectada para que as pessoas em Terra oiçam nada mais do que um “ruído surdo e silencioso” durante o voo supersónico.

Segundo o Sapo Tek, o avião deverá produzir um “boom” sónico de apenas 75 decibéis, o equivalente ao barulho da porta de um carro a fechar. O aparelho, que será autorizado a voar a baixa altitude, poderá dar início a uma nova era para a aviação comercial.

A construção do aparelho, orçamentada em mais de 247,5 milhões de dólares, está a decorrer na fábrica da Skunk Works da Lockheed Martin Aeronautics Company, em Palmdale, no estado norte-americano da Califórnia.

A montagem final e a integração dos sistemas está prevista para o final de 2020.

ZAP //

Por ZAP
5 Janeiro, 2020

Avatar

 

1305: X-59: A nova aeronave supersónica experimental da NASA entrou em produção

TECNOLOGIA

Artist’s concept of Lockheed Martin’s Quiet Supersonic Technology (QueSST) X-plane(Credit: Lockheed Martin)

A Lockheed Martin iniciou a produção do avião supersónico experimental X-59, um contrato, encomendado pela NASA, no valor estimado de cerca de 230 milhões de euros.

O X-59 surgiu como a solução da empresa norte-americana para responder ao pedido da NASA de desenvolver uma aeronave capaz de atingir velocidades supersónicas sem produzir o estrondo ensurdecedor que ocorre quando ultrapassa a barreira do som, segundo informa a CNBC.

O  X-59 é projectado para voar a cerca de 17 quilómetros de altitude e atingir uma velocidade de 1.500 quilómetros por hora.

As actuais regulamentações limitam os voos de aeronaves supersónicas comerciais, mas empresas como a Boom Technology estão a tentar adoptar a tecnologia supersónica para usar em rotas transatlânticas.

A Lockheed Martin e a NASA pretendem agora acelerar o desenvolvimento da tecnologia através da redução do ruído e, assim, contornar as regulamentações. Para tentar ultrapassar este entrave, a NASA apresentou recentemente a QueSST, Quiet Supersonic Techonology, ou Tecnologia Supersónica Silenciosa em português.

Esta nova tecnologia permitirá que os X-planes atinjam uma velocidade superior à do som produzindo um barulho quase imperceptível para quem os observa a partir do chão.

“O design alongado e fino da aeronave é a chave para alcançar a redução do estrondo. Ao entrarmos na fase de construção, a estrutura da aeronave começa a tomar forma, aproximando-nos das viagens supersónicas de passageiros em todo o mundo”, explicou Peter Iosifidis, director do programa Low Boom Flight Demonstrator da Lockheed Martin.

O primeiro voo do X-59 está programado para 2021, com o objectivo principal de recolher dados sobre a aceitabilidade do nível de ruído gerado pela aeronave — o que ajudará a NASA a estabelecer um padrão de ruído supersónico comercial aceitável para uma possível mudança dos regulamentos da aviação civil.

ZAP // Sputnik News / CNBC

Por ZAP
18 Novembro, 2018

[vasaioqrcode]