1698: Fotografaram pela primeira vez as ondas de choque de voo supersónico

Ao fim de dez anos de investigação para a construção de uma futura aeronave supersónica, a NASA conseguiu captar as ondas de choque de voos de dois aviões da Força Aérea norte-americana.

As imagens, originalmente monocromáticas e depois coloridas, foram captadas durante uma série de voos supersónicos para compreender melhor como os choques interagem com as aeronaves.
© NASA

A agência espacial norte-americana testou com êxito ​​​​​​​uma avançada tecnologia fotográfica que demorou dez anos a desenvolver, ao conseguir captar as primeiras imagens de sempre da interacção de ondas de choque de dois aviões supersónicos.

As imagens mostram duas aeronaves T-38 da Força Aérea norte-americana em pleno voo num teste realizado no Centro de Investigação de Voo Armstrong da NASA em Edwards, Califórnia.

A série de voos do teste Air-to-Air Background Oriented Schlieren, ou AirBOS, teve sucesso ao conseguir imagens de alta qualidade de ondas de choque, ou seja, mudanças rápidas de pressão que são produzidas quando uma aeronave voa mais rápido do que a velocidade do som. As ondas de choque produzidas pelos aviões fundem-se à medida que viajam pela atmosfera e são responsáveis pelo que é ouvido no solo como uma explosão sonora.

“Estou extasiado com o resultado das imagens”, disse o cientista da NASA J.T. Heineck. “Com este sistema actualizado, melhorámos imensamente a velocidade e a qualidade de nossas imagens de investigações anteriores”, prosseguiu.

O sistema será usado para obter dados essenciais para o projecto da aeronave X-59 QueSST da NASA, que será supersónico, mas irá produzir ondas de choque que, em vez de uma explosão sonora, irá emitir um ruído leve. Essa capacidade permitirá a essas aeronaves escaparem às restrições actuais dos aviões supersónicos em terra.

07 Março 2019 — 18:35

[vasaioqrcode]