4493: O vulcão mais activo da Islândia pode estar prestes a entrar em erupção

CIÊNCIA/VULCANOLOGIA/GEOLOGIA

gsfc / Flickr
Vulcão Grímsvötn

O vulcão Grímsvötn, na Islândia, pode estar prestes a entrar em erupção. Em 2011, lançou cinzas de 20 quilómetros na atmosfera, levando ao cancelamento de cerca de 900 voos.

Em 2011, o vulcão Grímsvötn, coberto de gelo, produziu uma poderosa explosão, lançando cinzas de 20 quilómetros na atmosfera que causaram o cancelamento de cerca de 900 voos.

Agora, segundo o Science Alert, há sinais claros de que o vulcão islandês está a preparar-se para entrar em erupção novamente. As autoridades já elevaram o nível de ameaça do vulcão e há preocupações crescentes na indústria das viagens aéreas, que actualmente está a recuperar do rombo provocado pela pandemia de covid-19.

Grímsvötn é peculiar, já que fica completamente debaixo do gelo. A sua única parte visível é uma crista no lado sul, que forma a borda de uma grande cratera. É ao longo dessa crista, sob o gelo, que ocorreram as erupções mais recentes.

Contudo, o vulcão não é tão gelado assim: a sua produção de calor é extraordinariamente elevada (2000-4000MW), o que derrete o gelo sobrejacente e produz um lago sub-glacial oculto de água derretida com até 100 metros de profundidade e gelo de até 260 metros de espessura.

O gelo flui continuamente para a caldeira. Lá, derrete e faz com que o nível da água suba continuamente. Por sua vez, a água derretida pode escapar repentinamente e, depois de viajar para sul, pode emergir na margem como se se tratasse de uma inundação. Este fenómeno já destruiu estradas e pontes no passado.

Outra peculiaridade é o facto de este vulcão ter um gatilho sensível: quando o lago de água derretida é drenado, a remoção da água do topo do vulcão reduz rapidamente a pressão, o que pode desencadear uma erupção.

Grímsvötn é o vulcão activo com erupções mais frequentes da Islândia.

ZAP //

Por ZAP
15 Outubro, 2020