1322: Um meteorito pode ter aniquilado comunidade ancestral do vale do Jordão

CIÊNCIA

Hoshvilim / Wikimedia

O impacto de um meteorito pode ser a causa da erradicação de comunidades humanas do vale do Jordão, no norte do Mar Morto há 3.700 anos.

A datação por radio-carbono e minerais descobertos que instantaneamente cristalizaram em altas temperaturas indicam que uma enorme explosão causada por um meteoro que explodiu na atmosfera destruiu instantaneamente a civilização na planície circular de 25 quilómetros de extensão chamada Middle Ghor.

O evento também poderá ter impulsionado a salmoura borbulhante de sais do Mar Morto por mais de 11 terras agrícolas férteis, de acordo com Phillip Silvia, arqueólogo da Universidade Trinity Southwest, na sua apresentação na reunião anual do American Schools of Oriental Research.

Escavações em cinco grandes locais do Médio Oriente, no actual Jordão, indicam que todos foram continuamente ocupados por pelo menos 2.500 anos até um súbito colapso no final da Idade do Bronze. Estima-se que habitavam em Middle Ghor entre 40 a 65 mil pessoas quando a calamidade cósmica o território.

A evidência mais abrangente da destruição causada por uma explosão de um meteoro de baixa altitude vem da cidade de Tall el-Hammam, onde uma equipa tem escavado nos últimos 13 anos. A datação por radio-carbono indica que as paredes de tijolos de barro de quase todas as estruturas desapareceram de repente há cerca de 3.700 anos, deixando apenas fundações de pedra.

Além disso, as camadas externas de muitas peças de cerâmica do mesmo período mostram sinais de ter derretido.

Ventos de alta força criaram minúsculos grãos minerais esféricos que aparentam ter caído sobre Tall el-Hammam. A equipa identificou estes pedaços minúsculos de rocha em fragmentos de cerâmica no local.

Existem outros exemplos de rochas espaciais que explodiram, causando estragos na Terra. Uma aparente explosão de meteoros numa região pouco povoada da Sibéria em 1908 não matou ninguém, mas destruiu dois mil quilómetros quadrados de floresta. Já em 2013, uma explosão de meteoros em Chelyabinsk, na Rússia, feriu mais de 1.600 pessoas.

ZAP // RT / ScienceNews

Por ZAP
23 Novembro, 2018

[vasaioqrcode]