1876: O terrível tubarão-branco fica apavorado com outra criatura marinha

CIÊNCIA

George Probst / Flickr

O tubarão branco (Carcharodon carcharias) pode não ser o “rei” dos oceanos. Uma investigação, levada a cabo pelo Monterey Bay Aquarium, nos EUA, refuta a ideia que este seja o predador mais temido dos oceanos, revelando mesmo que o animal foge quando há orcas (Orcinus orca) na zona em que está a caçar.

Quando confrontados com orcas, explicou o líder da investigação, Salvador Jorgensen, “os tubarões brancos deixam imediatamente o seu território de caça favorito e não voltam durante um ano, mesmo que as orcas estejam apenas a passar por lá”-

Durante a investigação, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica Scientific Reports, os cientistas documentaram quatro encontros entre estas espécies perto de Los Farallones, um grupo de ilhas na costa de São Francisco.

Os cientistas analisaram as suas interacções a partir de dados anteriores de 165 tubarões brancos recolhidos entre 2006 e 2013. Posteriormente, compilaram vários estudos sobre estes dois animais, bem como elefantes marinhos que também habitam a mesma área.

Como resultado, completou o cientista Jim Tietz, a equipa foi capaz de “mostrar conclusivamente como é que os tubarões brancos deixam a área quando  aparecem orcas”. Em todos os casos analisados, os tubarões fugiram das águas destas ilhas assim que os cetáceos chegavam e não voltavam ao local até à temporada seguinte.

A equipa descobriu ainda que os elefantes marinhos beneficiam indirectamente desta situação: como os tubarões se ausentam, é menos provável que se tornem presas.

Contudo, importa frisar, o estudo não concluiu se as orcas consideram os tubarões brancos presas, ou se apenas competem por comida. A importância do estudo, sublinhou Jorgensen, passa por demonstrar que “as cadeias alimentares nem sempre são lineares”.

“As chamadas interacções laterais entre os principais predadores são bem conhecidas em terra, mas são muito mais difíceis de documentar no oceano“, rematou.

ZAP //

Por ZAP
23 Abril, 2019

[vasaioqrcode]