3357: NASA descobre eclipse nunca antes visto em antiga Estrela Polar

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

Um grupo de astrónomos descobriu que Thuban, a estrela que desempenhava o papel de estrela polar, e a sua companheira “mais fraca” têm entre si eclipses curtos de seis horas.

A Alpha Draconis, ou Thuban, e a sua estrela companheira eclipsam-se de forma irregular. Os cientistas já sabiam que este se tratava de um sistema binário, mas desconheciam a existência destes eclipses mútuos. Segundo o Público, com uma pequena ampliação, estes sistemas aparentam ser apenas um.

“Os eclipses são breves e duram apenas seis horas, daí que as observações terrestres possam não os ter captado. E como a estrela é tão brilhante rapidamente saturaria os detectores do Kepler da NASA, algo que também ocultaria os eclipses”, explicou Angela Kochoska, investigadora da Universidade Villanova, nos Estados Unidos, em comunicado.

A equipa conseguiu fazer esta descoberta graças a informações captadas pelo satélite da NASA TESS – Satélite para Levantamento de Exoplanetas em Trânsito, que substituiu o telescópio Kepler em 2018. A descoberta foi apresentada na segunda-feira na 235ª reunião da Sociedade Astronómica Americana em Honolulu, no Havai.

Este sistema está entre os binários eclipsantes mais brilhantes descobertos até agora. Estes sistemas são muito importantes, uma vez que permitem medir as massas e os tamanhos de ambas as estrelas com precisão.

Thuban​ situa-se a cerca de 270 anos-luz da Terra, na constelação Draco, e é apenas a quarta estrela mais brilhante da sua constelação. Há 4.700 anos, desempenhou um importante papel, numa altura em que as pirâmides mais antigas do Egipto estavam a ser construídas.

Naquela época, a Thuban era a estrela do norte (ou estrela polar), ou seja, o astro mais próximo do pólo Norte do eixo de rotação da Terra. Actualmente, este papel é desempenhado por Polaris, a estrela mais brilhante da constelação Ursa Menor.

ZAP //

Por ZAP
13 Janeiro, 2020

spacenews