3040: Encontrado templo milenar usado em rituais pagãos de veneração da água

CIÊNCIA

(h) Andina

O local tem 3.000 anos, onde investigadores encontraram 21 sepulturas, bem como várias peças de cerâmica e anéis de cobre. O templo era usado em rituais pagãos de veneração da água.

Uma equipa de arqueólogos encontrou um templo cerimonial com 3 mil anos na região de Lambayeque, no noroeste do Peru. No sítio arqueológico também foram achadas 21 sepulturas e uma série de itens usados como oferendas durante os enterros da época, relata a Agencia Andina.

O templo tem 40 metros de largura e 56 metros de comprimento. A descoberta, entre grandes blocos de granito, possui também sinais de gravuras rupestres, e é a única estrutura megalítica da região. “É um templo para venerar a água, porque na frente há um altar com buracos, que eram altares ligados à adoração da água“, explicou Walter Alva, director do Museu das Tumbas Reais de Sipán, à agência peruana.

Alva afirmou que a descoberta teve lugar numa zona onde se encontram dois rios, um ponto conhecido como Tinkuy, que era considerado um espaço sagrado pelas culturas da época.

Nas sepulturas estavam localizadas peças cerâmicas, elementos metálicos como facas e tupus (ornamentos usados pelas mulheres incas) e anéis de cobre de criança.

Além disso, os objectos também forneceram pistas para conhecer as diferentes fases do templo. “Todos eles tinham vasos colocados como oferendas e mostram que depois de quase 2 mil anos, eles usaram este lugar novamente como um espaço para enterros populares“, acrescentou o director do museu.

Alva acredita que a descoberta é importante para o desenvolvimento de investigações sobre Lambayeque.

ZAP // Sputnik News

Por ZAP
16 Novembro, 2019

 

773: Terramoto no México revelou templo Asteca secreto com quase mil anos

Tony Rivera / EPA

Os terramotos são conhecidos pelo seu poder destrutivo, mas um recente terramoto no México teve um resultado surpreendentemente positivo. Arqueólogos encontraram um templo oculto no interior de uma pirâmide, que esteve escondido durante centenas de anos.

A 19 de Setembro de 2017, um terramoto de magnitude 7,1 sacudiu o centro do México, pouco depois de um outro terramoto, de magnitude 8,1, que tinha ocorrido 12 dias antes, de acordo com o Serviço Geológico dos EUA.

O segundo terramoto matou mais de 360 pessoas e danificou várias estruturas – incluindo uma pirâmide no sítio arqueológico de Teopanzolco, a cerca de 70 quilómetros ao sul da Cidade do México.

Quando os arqueólogos usaram um radar para avaliar a extensão dos danos na pirâmide – que data do século XIII -, descobriram um templo ainda mais antigo escondido dentro da própria pirâmide. Segundo aponta a BBC, acredita-se que a ruína escondida tenha mais de 800 anos.

Investigadores do Instituto Nacional de Antropologia e História do México disseram em declarações à BBC que o templo foi provavelmente construído em 1150 pelos Tlahuica, povo da cultura Asteca. A estrutura media cerca de 6 metros de comprimento e 4 de largura, sendo que estavam preservados no seu interior fragmentos de cerâmica e um queimador de incenso.

Durante o terramoto, os tremores causaram um colapso parcial na estrutura central da pirâmide, afectando dois templos conhecidos: um que foi dedicado ao deus da chuva asteca Tlaloc, e outro honrando Huitzilopochtli, o deus da guerra, apontou a cadeia australiana ABC.

Segundo o Instituto Nacional de Antropologia e História do México, o templo recém-descoberto é muito semelhante aos outros templos da pirâmide, possuindo paredes de estuque, uma fachada construída com pedras alongadas e com os restos de um pilar que, provavelmente, suportava o telhado do templo.

O templo secreto é, até aos dias de hoje, a estrutura mais antiga da pirâmide, ou seja, é datado de ainda antes do século XII, de acordo com a declaração do INAH.

Por ZAP
17 Julho, 2018

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=423f5040_1531842468084]

See also Blog