2596: A Terra está a ser afectada por forte tempestade geo-magnética

CIÊNCIA

O nosso planeta está a ser atingido por uma forte tempestade geo-magnética. Segundo os cientistas, a Terra tem-se debatido com este fenómeno desde o passado sábado.

Uma tempestade geo-magnética ou solar é uma perturbação temporária da magnetosfera da Terra. Esta é causada por uma onda de choque do vento solar que interage com o campo magnético da Terra.

Campo magnético do vento solar interage com o campo magnético da Terra

Segundo as informações disponibilizadas pelos cientistas do laboratório de astronomia de raios-X do Instituto de Física da Academia de Ciências da Rússia, a tempestade alcançou rapidamente o nível de dois pontos na escala de 1 a 5. Esta escala foi estabelecida pela Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês).

Além disso, os especialistas também explicaram que a actual tempestade foi prevista com antecedência devido à aproximação de uma rápida corrente de vento solar da Terra. Contudo, o que pareceu ser uma surpresa foi a sua potência. O prognóstico contemplava apenas “uma tempestade de primeiro nível”, o que seria comum para esta época do ano.

O aumento da velocidade do vento solar, assim como a temperatura do plasma cósmico, também superaram os índices esperados.

Planeta poderá ser atingido de novo no final de Setembro

Nos últimos dias, esta tempestade tem estado a diminuir gradualmente para os seus valores originais. No entanto, como podemos ver, a alta velocidade da corrente de vento solar e a situação estável do Sol sugiram que a situação se repita entre 27 e 28 de Setembro.

Esta tempestade magnética é a segunda mais poderosa dos últimos oito meses, a primeira foi registada em maio, quando a magnitude passou de 3 para 5, o que afectou o bem-estar das pessoas.

376: Tempestade magnética pode afectar telecomunicações esta semana

NASA

Uma corrente de vento solar chega à Terra entre esta quarta-feira e quinta-feira, um fenómeno que pode afectar as telecomunicações e provocar efeitos naturais como auroras boreais, segundo informou a Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM).

O director do Laboratório Nacional de Clima Espacial do Instituto de Geofísica da UNAM, Américo González Esparza, explicou que entre os dias 14 e 18 de Março o planeta pode experimentar falhas nas telecomunicações por causa do vento solar de uma tempestade geomagnética de intensidade moderada que se originou no Sol há 27 dias.

Segundo indica o jornal Mail Online, o temporal coincide com o fenómeno de formação de fissuras no campo magnético da Terra durante o equinócio de primavera que ocorre a 20 de Março.

Estas fissuras diminuem a protecção natural do planeta contra as partículas carregadas provenientes de erupções solares. Com o campo magnético enfraquecido, as partículas podem também afectar voos comerciais e causar erros nos sistemas GPS.

A tempestade geomagnética que se espera a partir desta quarta-feira tem origem em estruturas chamadas “buracos coronais“, que giram no eixo do Sol. Neste caso, a estrutura formou-se há 27 dias, o tempo que demorou para chegar à Terra.

Desses buracos sai o vento solar, que também tem interacções com o campo geomagnético do nosso planeta, produzindo fenómenos como as auroras boreais, assim como algumas alterações menores nas telecomunicações.

O especialista comparou o fenómeno a “um tremor de magnitude 4 ou 5”, ou seja, um evento comum que ocorre cerca de 300 vezes num ciclo solar – onze anos.

O cientista aproveitou para lembrar que é preciso estar alerta para as tempestades solares apesar de a última ter ocorrido há 160 anos. Essa tempestade gerou grandes interrupções na comunicação telegráfica numa época em não havia telemóveis ou serviços de geolocalização.

“Foi conhecida como o evento Carrington e o próximo poderia ocorrer dentro de 50, 30 ou em dois anos, não sabemos. A nível mundial, estes eventos servem para nos concertarmos na forma de actuar”, comentou o especialista.

ZAP // EFE

Por ZAP
15 Março, 2018

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=b1751a7c_1521112853072]

68: Tempestade magnética atinge a Terra esta sexta-feira

Além das superstições inerentes à data, esta sexta-feira 13 ficará marcada por uma tempestade magnética.

A tempestade é provocada pela chegada de vento solar ao nosso planeta. Com magnitude 4,0 numa escala de 10, a tempestade magnética terá lugar nos dias 13 e 14.

Segundo a agência de notícias TASS, o fenómeno teve início a 6 de Setembro, data em que as primeiras partículas de plasma solar escaparam da gravidade do Sol após uma sucessão de fortes erupções na sua atmosfera, e tem o seu auge entre os dias 12 e 15 de Outubro.

Neste período, em particular nos dias 13 e 14, espera-se que possa haver alterações significativas na magnetosfera, o escudo magnético que envolve a Terra e a protege das “agressões” da radiação solar. Em Junho de 2015, uma forte tempestade solar causou uma fenda no campo magnético da Terra, a nossa primeira linha de defesa contra a radiação.

NASA Goddard / Flickr
Conceito de artista do Campo Magnético da Terra

Os meteorologistas alertam para o facto de este fenómeno poder causar falhas nos dispositivos electrónicos e aumentar o risco de acidentes, por poder desencadear problemas de navegação e nos equipamentos de telecomunicações.

Apesar de não ter repercussões no clima, as pessoas mais sensíveis aos fenómenos meteorológicos poderão sofrer algum desconforto físico, dores de cabeça, irritabilidade ou ansiedade.

O astrónomo Sergei Popov explica ao portal Ridus que os seres humanos “sempre coexistiram com as tempestades magnéticas, mesmo quando não tinham conhecimento da actividade solar e do campo geomagnético” da Terra.

No entanto, Popov explica que “é impossível prever com precisão como é que a tempestade pode afectar as pessoas”, acrescentando que, por uma questão de precaução, importa ter em consideração a magnitude, “a temperatura ambiente e a pressão atmosférica” durante os dias de tempestade.

O fenómeno é resultado da reacção do nosso planeta às erupções solares, que expulsam milhares de milhões de partículas que atingem a Terra em forma de vento solar.

ZAP // Ridus / TASS

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=42]

[yasr_visitor_votes size=”medium”]

[powr-hit-counter id=9b06deaa_1507898638659]