5340: Rússia inaugura telescópio de neutrinos dentro do Baikal, um dos lagos mais profundos do mundo

CIÊNCIA/FÍSICA

(dr) Baikal GVD
Telescópio de neutrinos subaquático

No sábado, dia 13 de Março, os cientistas submergiram um dos maiores telescópios subaquáticos de neutrinos do mundo no lago Baikal, na Rússia.

Segundo o Interesting Engineering, o Baikal-GVD (Gigaton Volume Detector) vai procurar neutrinos – algumas das mais pequenas e mais abundantes partículas actualmente conhecidas – nas águas cristalinas do lago Baikal, na Rússia.

Aquele que é o maior telescópio de neutrinos subaquático profundo do hemisfério norte vai competir com o Ice Cube, localizado na Antárctida.

O lançamento do telescópio contou com a presença do ministro russo da Ciência e do Ensino Superior, Valery Falkov, que sublinhou que a pesquisa de neutrinos no lago Baikal é um dos eventos centrais do Ano da Ciência e Tecnologia na Rússia. O propósito de observar neutrinos é entender melhor como surgiu o Universo e como evoluiu ao longo do tempo.

Durante a cerimónia, foi assinado um memorando entre o ministério e a organização intergovernamental internacional Joint Institute for Nuclear Research, que inclui 18 países.

O telescópio foi instalado entre 750 e 1.300 metros de profundidade, a cerca de quatro quilómetros da margem do Baikal.

Os neutrinos são muito difíceis de detectar e a água é um meio muito eficaz. O facto de o lago ser profundo e coberto por gelo espesso durante mais de dois meses a cada ano é útil para que o Baikal-GVD consiga observar melhor os neutrinos.

O observatório flutuante consiste em cordas com vidro esférico e módulos de aço inoxidável anexados. Os cientistas esperam que este instrumento ajude a registar neutrinos astrofísicos e a direcção da sua chegada com precisão recorde.

Por Liliana Malainho
16 Março, 2021