715: Humanos para quê? Inteligência Artificial recria tabela periódica

maveric2003 / Flickr

Os humanos demoraram quase um século para organizar a tabela periódica, mas um novo programa de Inteligência Artificial realizou a mesma tarefa em apenas algumas horas.

Tabela periódica é indiscutivelmente uma das maiores realizações científicas em química, mas demorou quase um século para estar completamente concluída. Agora, um novo programa de Inteligência Artificial, desenvolvido por físicos da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, conseguiu o mesmo feito mas em apenas algumas horas.

O Atom2Vec, programa que conseguiu igualar o feito humano num período de tempo menor, aprendeu a distinguir diferentes átomos depois de analisar uma lista de nomes de compostos químicos a partir de um banco de dados online.

A Inteligência Artificial usou conceitos emprestados do campo do processamento de linguagem natural para agrupar esses elementos de acordo com suas propriedades químicas, sem qualquer ajuda humana.

“Queríamos saber se uma IA podia ser inteligente o suficiente para descobrir a tabela periódica por conta própria”, disse o principal autor do estudo, Shou-Cheng Zhang. E pode mesmo!. Este é um importante passo – e o primeiro – em direcção a uma meta muito mais ambiciosa: projectar um substituto para o teste de Turing, um dos mais importantes para definir a inteligência de uma máquina.

Para passar no teste de Turing, a IA deve ser capaz de responder a perguntas de maneira indistinguível à de um ser humano.

“Os seres humanos são produto da evolução e as nossas mentes estão cheias de qualquer tipo de irracionalidade. Para uma IA passar no teste de Turing seria necessário reproduzir todas essas irracionalidades humanas. Isso é muito difícil de fazer”, diz Zhang.

Em vez disso, Zhang propõe um novo marco para a inteligência da máquina. “Queremos tentar projectar uma Inteligência Artificial capaz de derrotar humanos ao descobrir uma nova lei da natureza. Para fazer isso, temos de testar, em primeiro lugar, se a nossa IA consegue fazer algumas das maiores descobertas já feitas por humanos”, como a tabela periódica.

Zhang e a sua equipa desenvolveram o Atom2Vec a partir de um programa de Inteligência Artificial que engenheiros da Google criaram para analisar a linguagem natural, o Word2Vec. A IA da Google converte palavras em códigos numéricos ou vectores. Ao analisar os vectores, o programa consegue estimar a probabilidade de uma palavra aparecer num determinado texto. “Podemos aplicar a mesma ideia aos átomos”, explicou Zhang.

“Em vez de alimentar todas as palavras e frases de uma colecção de textos, fornecemos ao Atom2Vec todos os compostos químicos conhecidos“, adianta a investigadora. O estudo foi publicado recentemente na Phys Org.

A partir destes dados, o Atom2Vec descobriu, por exemplo, que o potássio (K) e o sódio (Na) devem ter propriedades semelhantes, porque ambos os elementos podem-se ligar ao cloro (Cl).

Aplicações práticas

Os investigadores esperam que, no futuro, o conhecimento do Atom2Vec seja aproveitado para descobrir e projectar novos materiais, como “um material altamente eficiente na conversão de luz solar em energia”, sugeriu Zhang.

A sua equipa está agora concentrada em desenvolver a versão 2.0 do programa, que se irá preocupar com a resolução de um problema intratável na investigação médica: desenvolver o anticorpo certo para atacar antígenos específicos de células cancerígenas.

ZAP // HypeScience

Por ZAP
1 Julho, 2018

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=cfe01956_1530442342170]

– Não sei se foram os cientistas que afirmaram isto se foi o anormal que transcreveu este texto e colocou um cabeçalho paranormal: “Humanos para quê? Inteligência Artificial recria tabela periódica“. Claro, pá! Acabe-se, extermine-se a raça humana que a Inteligência Artificial toma conta disto…