2996: Praia finlandesa coberta de milhares de “ovos de gelo”

CLIMA

Risto Mattila / Instagram

A praia de Marjaniemi, na ilha de Hailuoto, entre a Finlândia e a Suécia, foi invadida por milhares de “ovos de gelo”, um fenómeno meteorológico captado por um fotógrafo amador.

No domingo, Risto Mattila caminhava com a sua esposa na praia de Marjaniemi, na ilha de Hailuoto, quando foram surpreendidos por milhares de bolas de gelo. Segundo o fotógrafo amador, que não perdeu tempo a registar o fenómeno, as formas maiores tinham um tamanho semelhante a uma bola de futebol.

“Estava a passear com a minha mulher na praia Marjaniemi. Estava um dia de sol, com temperatura de -1ºC, e ventoso. Foi quando encontrei este extraordinário fenómeno. Havia neve e ovos de neve por toda a praia, na linha de água”, disse Mattila à BBC.

Esta grande “colecção” de “ovos de gelo” foi o resultado de uma conjugação rara de condições climáticas. As pequenas bolas de neve são enroladas em simultâneo por acção do vento e da água, neste caso em particular, as ondas do mar.

Foi uma vista incrível. Eu nunca vi este fenómeno antes. O maior dos ovos era do tamanho de uma bola de futebol”, acrescentou o fotógrafo.

Um especialista em meteorologia, consultado pelo The Guardian, explicou que estes “ovos de gelo” não são um fenómeno raro na Finlândia. O fenómeno pode ser observado uma vez por ano sob determinadas condições atmosféricas e meteorológicas como “temperatura do ar abaixo dos zero graus, temperatura da água do mar gelada, uma praia de areia rasa e ligeiramente inclinada e ondas calmas”.

Também James Carter, professor da Universidade do Illinois, nos Estados Unidos, explicou ao jornal que o gelo começa por ser uma espécie de “lama” na superfície da água, que com o movimento das ondas se vai cristalizando até solidificar.

ZAP //

Por ZAP
8 Novembro, 2019

 

2640: O pico mais alto da Suécia foi destronado por causa da sinistra remodelação das montanhas

CIÊNCIA

Tadeáš Gregor / Wikimedia

Os suecos tiveram um novo exemplo da alteração do clima do nosso planeta, com a notícia de que o ponto mais alto do país já não é o mesmo.

Em apenas 60 anos, o pico sul da montanha Kebnekaise, no extremo norte da Suécia, 150 quilómetros acima do Círculo Polar Árctico, perdeu 24 metros, e com eles o título de topo do país.

O pico norte roubou-lhe a designação de pico mais alto da Suécia, posicionando-se agora a 1,2 metros acima do irmão, nos seus 2096,8 metros. A principal diferença entre estes picos é o facto de este último ser de rocha, enquanto que o do sul é um glaciar fustigado pelo aquecimento global.

Esta alteração vai obrigar a alterar os compêndios de geografia suecos, segundo a equipa de investigadores responsável pela medição do Kebnekaise. “Isto é um marco, um sinal muito óbvio e muito claro para todos na Suécia de que as coisas estão a mudar” e que “é preciso fazer alguma coisa quanto a isso”, disse a geógrafa que liderou o projecto, Gunhild Ninis Rosqvist, da Universidade de Estocolmo, ao The Guardian.

A equipa assume uma margem de erro de apenas alguns centímetros. “Quase toda a redução deu-se nas duas últimas décadas, em que o glaciar perdeu uma média de um metro por ano“, explicou a cientista.

Rosqvist acredita que os picos norte e sul vão andar a disputar o primeiro lugar do pódio nos próximos anos, devido à neve e aos Invernos que se avizinham. Ainda assim, a prazo, o destino do pico sul está traçado e é “muito claro”.

As medições do pico foram realizadas no dia 3, concluído o degelo do verão, num ano em que a Suécia registou os meses de Maio e Julho mais quentes da sua história. A localidade de Markusvinsa, a norte do Circulo Polar Árctico, registou 34,8 ºC no dia 26 de Julho.

ZAP //

Por ZAP
14 Setembro, 2019

 

1331: Combinação rara de arco-íris lunar e aurora polar captada na Suécia

DESTAQUES

Lights Over Lapland / Facebook

Fotógrafos que correm o mundo em busca de auroras polares ficaram estupefactos ao encontrar muito mais do que estava à procura: uma combinação rara de arco-íris lunar e aurora polar na Suécia.

O céu de Abisko, na Suécia, surpreendeu alguns fotógrafos ao conseguir unir dois fenómenos extraordinários numa só imagem. “Eu fotógrafo auroras polares há dez anos e esta foi uma experiência única para mim”, confessou ao portal Lonely Planet o fotógrafo Chad Blakeley.

O arco-íris lunar é um fenómeno raro e quase desconhecido, que surge na fase próxima ao plenilúnio. Para isso acontecer, o único satélite natural da Terra deve estar a uma altura relativamente pequena e é preciso que haja uma grande quantidade de humidade.

Lights Over Lapland é uma empresa sueca especializada em ajudar os turistas a encontrar e a fotografar fenómenos especiais e bizarros como estes no céu do país. Blakeley é o fundador da empresa que, à medida que as noites polares se tornam longas e as luzes do norte mais visíveis, ruma ao horizonte para captar estes momentos incríveis.

A empresa faz também a transmissão ao vivo do fenómeno. Foi quando reviu as imagens que Blakeley se apercebeu de que o arco-íris nocturno foi produzido pelo luar em vez de ter sido produzido pela luz do Sol. Além disso, este arco-íris formava-se em frente a uma aurora boreal.

Os fenómenos, autênticos Picassos do céu, proporcionaram um momento único e alegraram os olhos de todos que assistiram de perto a este fenómeno.

ZAP // SputnikNews

Por ZAP
24 Novembro, 2018

[vasaioqrcode]

 

1113: Menina de 8 anos encontra espada com 1500 anos em lago na Suécia

Jönköpings Läns Museum
A pequena Saga Vanecek encontrou uma espada milenar

Uma menina de oito anos encontrou uma espada da era pré-viking, com cerca de 1500 anos, enquanto nadava num lago na Suécia durante o verão.

Saga Vanecek, de oito anos, encontrou esta relíquia no lago Vidöstern, na cidade sueca de Jönköping, quando passava férias na casa de férias da família.

Na altura, o nível da água estava extremamente baixo, devido a uma seca, o que provavelmente explica como é que a criança encontrou a espada da era pré-viking.

“Senti que estava alguma coisa na água e levantei. Tinha uma alça e contei ao meu pai que parecia uma espada”, relatou Saga à emissora de rádio Sveriges, citada pela BBC.

O pai de Saga, Andy Vanecek, afirmou ao site The Local ter pensado inicialmente que a filha tinha encontrado um bastão ou um galho diferente na água. Só quando pediu a um amigo para analisar a espada descobriu que provavelmente seria uma relíquia antiga.

Jönköpings Läns Museum

Inicialmente, Andy foi informado que a espada tinha mil anos, mas especialistas do Jönköpings Läns Museum – que agora ficou responsável pela peça histórica – acreditam que pode ter cerca de 1500 anos.

O museu afirmou ainda que a espada estava extremamente bem preservada. “Não é todos os dias que pisamos uma espada num lago”, brinca Mikael Nordström, que trabalha no museu.

Esta descoberta levou o museu e as autoridades locais a realizar mais escavações no local, tendo já encontrado um broche do século III. O Jönköpings Läns Museum adianta que as buscas no lago estão a decorrer e que ainda podem revelar outras peças mais antigas.

ZAP // BBC

Por ZAP
7 Outubro, 2018

[vasaioqrcode]

 

215: NASA desvenda o mistério do “anjo” que apareceu no céu da Suécia

O fenómeno óptico atmosférico foi observado por vários praticantes de esqui em Vemdalen, na Suécia: um halo de gelo nos céus suecos.

Recentemente, os esquiadores que se encontravam na estância de Vemdalen, na Suécia, foram brindados com um inesperado fenómeno atmosférico, que fez aparecer no céu um majestoso “anjo luminoso”.

Esta segunda-feira, a NASA escolheu uma foto do fenómeno meteorológico como “foto do dia” e explicou o que é na realidade o anjo luminoso que inundou as redes sociais no passado mês de Dezembro.

Segundo os cientistas da agência espacial norte-americana, as imagens, que foram gravadas por um esquiador, mostram um halo solar.

Os halos solares são anéis de luz que se produzem quando se formam cristais de gelo suspensos na troposfera, que fazem com que a luz solar mude de localização e se crie um efeito óptico em forma de círculo em torno do Sol. Este círculo possui um anel iridescente, de cor vermelha no lado interior e verde e azul no lado exterior.

O fenómeno causou um grande alvoroço nas redes sociais. De acordo com a RT, há quem compare o fenómeno com a imagem de um anjo: “parece a imagem que imaginas que verias quando os anjos começaram a formar a primeira luz no céu da Jordânia, no Natal”, escreveu um utilizador.

Certo é que esta comparação não é totalmente descabida. Parece haver uma semelhança entre o fenómeno meteorológico e o halo de um anjo – um círculo luminoso que se representa em cima das cabeças, como o símbolo de um aura na iconografia religiosa.

Neste caso, este halo de gelo foi particular por ter combinado vários tipos de halo: um halo circular de 22º, pilares de luz, um círculo parélico, parélios, um arco tangente superior, e o mais raro, um halo de 46º.

Embora se tenha avistado o fenómeno no dia 1 de Dezembro, até agora não havia explicação para o “anjo singular” que surgiu nos céus da Suécia.

ZAP //

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=42]

[powr-hit-counter id=873f4a46_1514979357846]