1716: Astronautas que sobreviveram à Soyuz voltam ao espaço (apesar de novas anomalias)

NASA
Cápsula russa Soyuz acoplada à Estação Espacial Internacional

Em Outubro do ano passado, a nave-espacial Soyuz fez uma aterragem de emergência, quando ia em direcção à Estação Espacial Internacional (EEI). Agora, cinco meses depois, os astronautas que iam a bordo, dizem estar preparados para um novo voo.

Os dois astronautas a bordo da Soyuz tiverem de realizar uma aterragem de emergência, depois de uma falha detectada nos propulsores após o lançamento. O russo Alexey Ovchinin da Roscosmos e o astronauta da NASA Nick Hague estavam a bordo da nave espacial.

A Soyuz MS-10 foi obrigada a aterrar de emergência devido a uma falha no motor, depois de ter descolado no Cazaquistão rumo à Estação Espacial Internacional, onde permaneceriam durante seis meses.

Volvidos cinco meses, os dois astronauta têm esta quinta-feira viagem marcada para a EEI. Os tripulantes que viajavam a bordo da Soyuz não se mostram receosos, apesar de ainda na terça-feira terem sido identificados e substituídos alguns componentes defeituosos da nave.

Eu tenho conhecimento dessa situação“, disse Ovchinin, em conversa com os jornalistas antes do lançamento. O astronauta russo diz-se “100% confiante” e diz que já “não há qualquer problema com a nave”.

Nick Hague também se mostrou confiante na viagem. O norte-americano disse que a aterragem de emergência de Outubro de 2018 o ajudou “a esclarecer em mim a razão pela qual fazemos o que fazemos e se os riscos que tomamos valem a pena. E para mim, está muito claro que sim“.

Ovchinin assume que a descolagem falhada foi uma desilusão, uma vez que levou mais de um ano e meio de preparação. No entanto, garante que foi “uma experiência interessante e precisa” para testar a preparação do programa espacial.

Com descolagem do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, os cosmonautas fazem-se agora acompanhar de Christina Koch, astronauta americana da NASA, segundo a Phys.

Desde a descolagem falhada da Soyuz, outra nave-espacial partiu para a EEI. Em Dezembro, Oleg Kononenko das Roscosmos, Anne McClain da NASA e David Saint-Jacques da Canadian Space Agency partiram para Estação Espacial Internacional.

ZAP //

Por ZAP
14 Março, 2019

[vasaioqrcode]

 

1240: Roscosmos revela causa da avaria na nave Soyuz

NASA
Uma nave espacial russa Soyuz

Um sensor danificado durante a montagem está na origem do incidente do passado dia 11, que impediu o lançamento de uma nave, informaram esta sexta-feira membros da comissão de investigação ao caso, em conferência de imprensa.

“Ficou demonstrado e confirmado por documentos que a culpa foi desse sensor e esta [deformação do sensor] só pode ter sido provocada durante a montagem no cosmódromo de Baikonur”, segundo Nikolái Sevastiánov, da comissão.

Sevastiánov, diretor do TsNIIMash, centro de investigação da indústria espacial russa, explicou que o sensor defeituoso, impediu a abertura de uma tampa e o lançamento da nave espacial Soyuz.

“Excluímos também que o sensor possa ter-se danificado ao cair. Foi estabelecido, sem sombra de dúvida, que o único local onde possa ter ocorrido foi durante a montagem em Baikonur [no Casaquistão]”, segundo a mesma fonte.

O sub-director de Roscosmos, a agência espacial russa, Alaxandr Lopatin, notou não ser responsabilidade da comissão apontar responsabilidades pessoais neste caso.

“Desses aspectos ocupam-se os respectivos órgãos judiciais (…). Nós examinamos o lado técnico da avaria, mas naturalmente, cada avaria tem um nome e apelido”, respondeu Lopatin à questão sobre se foi identificado o responsável.

Dois foguetes montados da mesma forma serão desmontados e examinados.

No passado dia 11, a nave espacial Soyuz MS-10, com dois tripulantes a bordo, foi obrigada a aterrar de emergência, tendo na altura sido apontada uma falha no motor. A Soyuz transportava o cosmonauta russo Alexei Ovchinin e o astronauta norte-americano da NASA, Nick Hague.

“Os dois astronautas estão vivos e devem aterrar no Cazaquistão”, transmitia a estação de televisão Rossiya 24 minutos antes da aterragem da nave espacial no cosmódromo russo de Baikonur, em território cazaque.

A nave devia transportar os dois tripulantes para a Estação Espacial Internacional onde permaneceriam durante seis meses. De acordo com os planos estava previsto que a nave viesse a cumprir quatro voltas à Terra para seis horas depois acoplar na Estação Espacial Internacional.

Na Estação Espacial Internacional encontram-se, desde Junho, os membros da Missão 57, o comandante Alexander Gerst da Agência Espacial Europeia, a piloto da NASA, Serena Auñon-Chancellor e o piloto da Roscosmos Serguei Prokópiev.

ZAP // Lusa

Por Lusa
3 Novembro, 2018

[vasaioqrcode]

1228: Revelado vídeo do momento em que falhou o foguetão que levava astronautas à Estação Espacial

Os dois tripulantes da Soyuz fizeram uma aterragem de emergência que lhes salvou a vida

© Roscosmos

As imagens do momento em que o foguetão russo que falhou após a descolagem quando transportava dois astronautas para a Estação Espacial Internacional (ISS na sigla inglesa) foi esta quinta-feira revelado pela agência espacial Roscosmos.

As imagens são de uma câmara instalada na lateral do engenho e mostra o lançamento até ao momento em que um dos reactores auxiliares falha a ejecção.

Veja aqui (o incidente acontece ao minuto 1.22)

Também esta quinta-feira foi revelado que um sensor danificado durante a montagem esteve na origem do incidente, ocorrido no passado dia 11.

“Ficou demonstrado e confirmado por documentos que a culpa foi desse sensor e esta [deformação do sensor] só pode ter sido provocada durante a montagem no cosmódromo de Baikonur”, disse Nikolái Sevastiánov, da comissão de investigação ao caso, em conferência de imprensa.

Sevastiánov, director do TsNIIMash, centro de investigação da indústria espacial russa, explicou que o sensor defeituoso impediu a abertura de uma tampa e provocou o acidente.

No passado dia 11, a nave espacial Soyuz MS-10, com dois tripulantes a bordo, foi obrigada a aterrar de emergência, tendo na altura sido apontada uma falha no motor. A Soyuz transportava o cosmonauta russo Alexei Ovchinin e o astronauta norte-americano da NASA, Nick Hague.

A nave devia transportar os dois tripulantes para a Estação Espacial Internacional onde permaneceriam durante seis meses.

Na Estação Espacial Internacional encontram-se, desde Junho, os membros da Missão 57, o comandante Alexander Gerst da Agência Espacial Europeia, a piloto da NASA, Serena Auñon-Chancellor e o piloto da Roscosmos Serguei Prokópiev.

Diário de Notícias
Ricardo Simões Ferreira com Lusa
01 Novembro 2018 — 22:34

[vasaioqrcode]