2736: Novo avião hipersónico vai permitir voar de Londres a Sidney em 4 horas

DINHEIRO

A Agência Espacial do Reino Unido anunciou a construção da “primeira ponte espacial do mundo” graças a um verdadeiro avião espacial

A Agência Espacial do Reino Unido anunciou esta semana, na Conferência Espacial do Reino Unido 2019, que vai trabalhar com a Agência Espacial Australiana para a construção da “primeira ponte espacial do mundo”.

O projecto, nomeado de Synergetic Air-Breathing Rocket Engine (SABRE), está a ser desenvolvido pela Reaction Engines, que conta com o financiamento da BAE Systems, da Rolls-Royce e da Boeing HorizonX.

O resultado do projecto promete ser uma boa surpresa para os entusiastas dos voos supersónicos. A barreira do som não era quebrada desde que o Concorde parou de voar em 2003. Em Abril deste ano, a Reaction Engines anunciou testes bem-sucedidos, que simulavam uma velocidade três vezes mais alta do que a do som. Ou seja, 50% mais rápido que a velocidade do já defunto Concorde, que conseguia fazer a viagem entre Nova Iorque e Paris em cerca de 3,5 horas, e corresponde ao recorde de velocidade dos jactos mais rápidos já feitos.

No entanto, de acordo com a CNN, o motor está a ser construído para que possa atingir cinco vezes mais do que a velocidade do som. O SABRE “respira” o ar da atmosfera, o que permite uma maior eficiência do combustível e diminuição do peso. Em comparação com os outros motores existentes, o SABRE sai na frente, uma vez que, todos os outros precisam transportar o seu próprio suprimento de oxigénio.

“Os foguetões realmente não progrediram nos últimos 70 anos, enquanto os motores aeronáuticos tornaram-se muito eficientes. No entanto, ao combinar um motor aeronáutico e um foguetão, pode-se ter um sistema de propulsão muito leve e eficiente e, na prática, criar um avião espacial”, explica Shaun Driscoll, director de projectos da Reaction Engines, na Conferência Espacial do Reino Unido 2019.

Diário de Notícias
DN/Dinheiro Vivo
29 Setembro 2019 — 11:57

 

469: Gigantes da aviação preparam avião hipersónico

A procura por formas mais rápidas de voo e o desejo de construir aeronaves que possam circular nas capacidades superiores da atmosfera tem levado os principais construtores aeronáuticos a investir em novas tecnologias para tentar atingir velocidades hipersónicas de uma forma que seja financeiramente viável. E o segredo poderá estar no Sabre, um motor desenvolvido pela Reaction Engines.

O Sabre é um reactor que combina as melhores características de um motor a jacto com um foguetão. Do primeiro, consegue duplicar o baixo consumo, enquanto do segundo é capaz de atingir as velocidades. Assim, a Reaction Engines tem como objectivo atingir velocidades de Mach 5,4 (cerca de 6700 km/h) em atmosfera normal, o dobro de um motor a jacto militar, enquanto aviões sub-orbitais deverão atingir Mach 25 (mais de 30.000 km/h).

A Reaction Engines já atraiu a atenção de investidores interessados no Sabre, incluindo algumas das empresas gigantes no sector da aviação. A BAE Systems, especializada em equipamento militar, já tinha feito um investimento de 20,6 milhões de libras (23,4 milhões de euros) em 2015, e agora foi a vez da Boeing e da Rolls-Royce comprometerem-se a ajudar no desenvolvimento da tecnologia, como parte de um investimento de 26,5 milhões de libras (30,6 milhões de euros).

DN
16 DE ABRIL DE 2018 22:03
Motor 24

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=c639117f_1523963683256]