4065: Pandemia reduziu para metade as vibrações terrestres. Nem no Natal a Terra é tão silenciosa

CIÊNCIA/GEOLOGIA

(CC0/PD) PIRO4D / pixabay

As medidas tomadas à escala global para conter a pandemia nos últimos meses reduziram para metade o ruído sísmico de alta frequência da Terra, concluiu uma nova investigação levada a cabo por uma equipa internacional de cientistas.

No novo estudo, cujos resultados foram recentemente publicados na revista científica Science, os cientistas dizem que esta é, provavelmente, a mais longa e proeminente diminuição de vibrações desde que este estes ruídos são controlados.

“Este período silencioso é, provavelmente, o maior e mais longo amortecimento sísmico produzido pelo Homem desde que começamos a controlar a Terra em detalhe utilizando extensas redes de monitorização sismométrico”, disse o co-autor do estudo Stephen Hicks, cientista do Imperial College London, citado em comunicado.

Os cientistas analisaram dados de cerca de 268 estações sísmicas localizadas em diferentes países do mundo e em 185 destas encontraram reduções significativas do ruído antropogénico em comparação com qualquer outro período do ano.

Os cientistas observaram um onda de amortecimento inicial na China, no final de Janeiro de 2020, seguindo depois para a Europa e no resto do mundo em Março e Abril, à medida que vários países iam tomando medidas para conter a pandemia, tais como a quarentena, o confinamento ou o regime de teletrabalho.

De acordo com os cientistas, o baixo nível de ruído sísmico observado durante o período de confinamento não só foi mais longo quando comparado com os habituais período de baixa actividade, como o Natal ou Ano Novo, como também foi mais silencioso.

Segundo os cálculos da equipa, entre Março e Maio a média global de ruído sísmico ambiental de alta frequência (hiFSAN, na sigla em inglês) foi reduzida até 50%.

ZAP //

Por ZAP
28 Julho, 2020

 

spacenews