460: NASA quer saber se é possível reprodução humana no espaço

Não há como fugir ao assunto: temos de sair do planeta Terra mais século, menos século e o corpo humano é ainda uma incógnita quando exposto a muitos cenários espaciais. Será que é possível fazer bebés no espaço?

Essa é uma resposta que um grupo de cientistas da NASA quer descobrir… para bem da humanidade!

NASA – Os espermatozóides funcionam em gravidade zero?

Há muitas condicionantes que o Espaço impõe ao corpo humano. Há imensos casos que mostram as fragilidades do homem quando exposto aos elementos do Espaço, mas a reprodução humana é o ponto fundamental no que toca à tão falada necessidade dos humanos saírem para povoar outros planetas.

Envolvidos na dúvida existencial, um grupo de cientistas da NASA quer descobrir se é possível, num ambiente de gravidade zero, a reprodução humana. Segundo o que podemos ler na Live Science, uma das primeiras investigações passará por enviar esperma para o espaço e analisar o seu comportamento em contexto de micro-gravidade. A agência espacial norte-americana enviou amostras de esperma humano para a Estação Especial Internacional na última viagem do Falcon 9.

Este tipo de experiências podem parecer um pouco bizarras, estranhas do ponto de vista da necessidade corrente, mas de facto estas são questões pertinentes que a NASA quer ver respondidas sobre a reprodução humana no espaço, isto porque começam a ganhar cada vez mais importância face ao aumento do interesse na presença da humanidade fora do planeta.

Os planos para os humanos colonizarem Marte existem e com isso há uma necessidade de haver missões com humanos cada vez mais longas (estão em causa muitos meses para chegar a Marte). Como tal, multiplicam ideias para fundar colónias permanentes em ambiente de gravidade zero e falar sobre sexualidade no espaço torna-se cada vez mais incontornável. Estamos assim perante um estudo pioneiro nessa área.

Como se irá desenrolar a experiência?

Na prática, a Missão Micro-11, nome dado a esta experiência, consiste em observar o comportamento do esperma humano e de touro e verificar se os espermatozóides se conseguem movimentar de forma livre e veloz o suficiente para se fundirem com o óvulo dentro do espaço de micro-gravidade da Estação Internacional.

Os investigadores irão depois voltar a congelar o esperma e enviá-lo de volta à Terra, onde outra equipa de cientistas usará tecnologia semelhante à fertilização in vitro para testar se é capaz de reproduzir.

Experiências para preparar o ser humano para as viagens no Espaço

A NASA já vem há algum tempo a debruçar a sua atenção nesta temática, não é a primeira vez que o comportamento de esperma é estudado no espaço. Em 2017, a agência fez experiências com esperma de rato e concluiu que o sémen conseguiu sobreviver congelado durante uma viagem de 9 meses até à Estação Espacial Internacional. Quando voltou à Terra, conseguiu produzir ratos saudáveis.

Os cientistas também mostraram que invertebrados aquáticos foram capazes de se reproduzir no espaço em 1998: os caracóis e as pulgas da água foram capazes de manter ciclos de vida dentro de um tanque cheio de água durante uma viagem de quatro meses a bordo da Estação Espacial Mir.

Apenas um passo de uma longa caminhada

Ainda estamos longe de saber realmente se o ser humano terá futuro na gravidade zero. Mesmo entendendo como os espermatozóides operam no espaço, ainda haverá muitas outras dúvidas. Como será fazer sexo no espaço? Os seres humanos podem sobreviver dando à luz na micro-gravidade? Como vamos superar a enorme quantidade de níveis de radiação? A falta de gravidade afectará o desenvolvimento inicial das crianças?

A ciência lançou as bases e a NASA vai, finalmente, descobrir se teremos uma chance como viajantes de longo prazo no espaço sideral. Ainda há muito que fazer, vamos com calma.

Pplware
Vítor M.
12 Abr 2018

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=2f474c4c_1523655948300]