1196: Não, não bastou uma pancadinha e um reboot para reparar o Hubble

NASA
Telescópio espacial da NASA Hubble, lançado em 1990

Desde o início do mês que o telescópio espacial Hubble, lançado em 1990, não estava a funcionar. Mas não bastou desligar e voltar a ligar o equipamento.

Há 28 anos a vasculhar o espaço, a NASA já esperava que o telescópio Hubble reportasse algum tipo de avaria durante este ano, mas foi surpreendida com uma repentina avaria: o equipamento começou para direcções erradas comprometendo as observações do cosmos.

Kenneth Sembach, director do Instituto de Ciências do Telescópio Espacial, disse na altura que, apesar de estar programado para 2021 o lançamento do telescópio James Webb, o sucessor do Hubble, o plano era garantir que este se mantivesse operacional até pelo menos 2025.

E essa meta pode mesmo ser possível. Os engenheiros da NASA descobriram uma forma de reactivar o telescópio espacial, reparando um instrumento que não estava a funcionar correctamente, de acordo com o Extreme Tech.

A NASA decidiu colocar o Hubble em modo de hibernação depois de um dos seus giroscópios falhar. O Hubble precisa de três giroscópios activos para detectar o movimento e garantir que esteja apontado na direcção certa.

Segundo o The Washington Post, no dia 16 de Outubro, a agência espacial tentou pela primeira vez o método de desligar e ligar o equipamento. Mas isso não funcionou. “Assim, teria sido fácil”, disse Patrick Crouse, gestor de operações do Hubble.

Esta segunda-feira, a NASA explicou, numa nota publicada no seu site, a forma como fez a reparação. O equipamento foi testado a partir do dia 18, com manobras em direcções opostas, que serviram também para testar a sua velocidade. A partir do dia 19, as rotações do giroscópio foram normalizadas. Alguns testes ainda serão feitos antes que o Hubble possa voltar ao seu funcionamento regular.

“Sempre acreditámos que o giroscópio parecia ser útil e só tínhamos de conseguir recuperá-lo para o ser novamente”, disse Crouse.

A notícia também foi ao Twitter, onde a NASA diz que “depois de avaliar o desempenho do Hubble, espera-se que o telescópio volte à ciência como sempre“.

ZAP //
Por ZAP
25 Outubro, 2018