4095: ITER: A máquina que quer imitar o poder de fusão do Sol

CIÊNCIA

Assinalou-se recentemente o início da fase de montagem do reactor de fusão que imita o sol: ITER, o maior investimento científico da actualidade no qual o ISQ participa desde o primeiro momento.

Um milhão de componentes, dez milhões de peças… Será o maior e mais potente reactor de fusão do mundo. Estima-se que terá a capacidade de produzir 500 MW, o suficiente para iluminar 325 mil habitações.

Com um investimento total estimado em 20.000 milhões de euros, o projecto ITER – International Thermonuclear Experimental Reactor tem como objectivo construir o primeiro reactor experimental de fusão nuclear, do tipo Tokamak, capaz de gerar um retorno de energia positivo e demonstrar a viabilidade científica e técnica da fusão nuclear como fonte de energia limpa, revela o ISQ num comunicado enviado ao Pplware.

Simultaneamente irá testar e capacitar a indústria no domínio das tecnologias necessárias para o funcionamento de um reactor comercial deste tipo.

O ISQ é uma das poucas entidades nacionais que actua como fornecedor de primeira linha, colaborando directamente com o ITER ORG e a F4E (Fusion for Energy) através da prestação de serviços em âmbitos tão diversos como: formação, inspecção, ensaios, desenvolvimento de tecnologia de controlo não destrutivo, engenharia de processos de ligação e serviços de suporte à engenharia de base (design e análise).

https://www.iter.org/

Pplware
Autor: Pedro Pinto
01 Ago 2020

 

spacenews