3946: Simulação da NASA revela como seria o pôr-do-sol noutros planetas


Dado que não foi disponibilizado o URL do vídeo, teve de recorrer-se a uma captura de écran.

Durante um pôr-do-sol, será que o céu é mais avermelhado em Marte e apresenta tonalidades diferentes em Júpiter? Um grupo de cientistas da NASA criou várias simulações para ver como seria este evento em diferentes planetas do nosso Sistema Solar.

O pôr-do-sol é o resultado da interacção da luz projectada pela nossa estrela, incluindo todas as cores do arco-íris, com os gases e a poeira da atmosfera. Por esse motivo, quanto menor for a atmosfera do planeta em questão, menos impressionante será o evento.

O grupo de cientistas, liderado pelo argentino Gerónimo Villanueva, astrónomo do Centro de Voo Espacial Goddard da NASA, criou simulações do pôr-do-sol em Vénus, Marte, Úrano, Titã (uma das luas de Saturno) e no exoplaneta TRAPPIST-1e.

O projecto integra os preparativos para uma possível missão de pesquisa em Úrano. O planeta gasoso possui muitos mistérios e qualquer leitura da sua atmosfera precisaria de avaliar os níveis de luz que chegam aos sensores da nave espacial. Com os dados da simulação, a sonda poderia avaliar a composição da atmosfera do planeta à medida que absorve a luz, analisando que comprimentos de onda se dispersam e por que motivo.

Segundo o New Atlas, os novos modelos fazem parte do gerador de espectro planetário, construído por Villanueva e pelos seus colegas, e são utilizados para interpretar a luz que chega aos telescópios e descodificá-la para tentar compreender a atmosfera de outros mundos.

Em Vénus, o amarelo brilhante torna-se laranja, castanho e, por fim, preto, à medida que o Sol desaparece. Devido à rotação muito lenta do planeta sobre o seu eixo, seria preciso esperar cerca de 116 vezes o tempo que esperamos na Terra para ver um pôr-do-sol neste planeta.

Já em Marte, o pôr-do-sol é digno de uma tela de cinema: a mistura das cores amarelo e castanho pinta o céu quando o Sol desaparece por trás do horizonte.

A sonda Curiosity já revelou imagens que mostram como são as tardes no Planeta Vermelho: os dias podem terminar com um tom azulado, uma vez que que a poeira dispersa os comprimentos de onda vermelhos, revelando os comprimentos de onda azuis.

Um pôr-do-sol em Úrano começa com um azul forte que desbota para um turquesa, que surge da interacção da luz solar com a atmosfera do planeta.

Quando a luz solar atinge a atmosfera, hidrogénio, hélio e metano absorvem a porção vermelha da luz, que tem o maior comprimento de onda. As luzes azul e verde, com comprimentos de onda mais curtos, dispersam à medida que os fotões refletem as moléculas de gás e outras partículas na atmosfera.

Em Titã, a maior lua de Saturno e uma das maiores do Sistema Solar, o pôr-do-sol é menos entusiasmante devido à névoa muito espessa que cobre a lua.

Já no exoplaneta TRAPPIST-1e – que orbita em torno da estrela anã TRAPPIST-1, na constelação Aquário, a 40 anos-luz da Terra – o pôr-do-sol começa com tons amarelados, que evoluem para tons mais fortes e brilhantes, terminando com um final laranja e acastanhado.

ZAP //

Por ZAP
3 Julho, 2020

 

spacenews

 

2112: NASA mostra-lhe um pôr do sol inesquecível

© Twitter / @NASA A página de Twitter da agência espacial partilhou imagens captadas a partir da Estação Espacial Internacional.

Alguma vez pensou como seria assistir a um pôr do sol a partir da Estação Espacial Internacional? O vídeo partilhado pela NASA que pode ver abaixo é a sua melhor forma de saber e ter uma ideia do quão especial deve ser este acontecimento.

“A Estação Espacial é o sítio perfeito para ver um pôr do sol. Na verdade, a Estação orbita a Terra a cada 90 minutos, o que significa que este pôr do sol é na verdade um dos 16 que os residentes da Estação vêm num dia. Aproveitem a paisagem e vejam onde está a Estação”, pode ler-se na publicação de Twitter.

Mesmo com esta frequência, é difícil pensar que um pôr do sol como o que pode ver acima possa ser considerado um acontecimento aborrecido ou repetitivo.

msn notícias
Miguel Patinha Dias
04/06/2019



[vasaioqrcode]