4771: A NASA está a comprar pó da Lua, o Regolito, por 1 dólar

CIÊNCIA/NASA

A NASA fechou contratos com quatro empresas na quinta-feira para recolher amostras lunares. Pelo solo lunar recolhido, a agência espacial norte-americana vai pagar de 1 dólar a 15.000 dólares. Estes “preços baixos” visam abrir um precedente para a futura exploração de recursos espaciais pelo sector privado.

O regolito que será recolhido nos próximos anos será usado para preparar a missão Artemis.

NASA quer comprar pó da Lua

A Lua está cada vez mais no foco das empresas privadas. O regolito poderá ser usado para extrair os metais preciosos, assim como oxigénio, conforme várias experiências já levadas a cabo. Contudo, este pó também tem implicações nefastas na saúde dos astronautas e nas naves.

Nesse sentido, a NASA quer ter mais deste pó para poder colher informação importantíssima para a missão Artemis. Para tal, em Setembro, a agências espacial informou que aceita propostas para que empresas recolham amostras da Lua e vendam esse material à NASA.

Conforme pode ser lido na nova informação, a agência espacial norte-americana revela que seleccionou e fechou acordos com várias empresas. São elas as americanas Masten Space System e Lunar Outpost, assim como a ispace Japão e ispace Europa.

No contrato está definido que o valor total será de 25.001 dólares. Nesse valor está contemplada a extracção, venda e uso destes recursos originados da Lua.

Acho incrível que possamos comprar regolito lunar de quatro empresas por um total de 25.001 dólares.

Referiu Phil McAlister, director da Divisão de Voo Espacial Comercial da NASA.

Preços variam de empresa para empresa

Nos contratos está definido o preço a pagar pelas recolhas. A Lunar Outpost propôs a 1 dólares pela recolha, que será feita em 2023. Já a ispace do Japão deverá realizar a recolha em 2022 a um preço de 5.000 dólares. No caso da ispace Europa, o valor será o mesmo da sua congénere nipónica, mas apenas em 2023.

Por fim, a Masten Space Systems irá realizar o procedimento pelo preço de 15.000 dólares e também só em 2023. Estes preços são muito baixos porque a NASA está a pagar apenas o material recolhido. Assim, os custos da operação das empresas não entram no cálculo.

As empresas devem recolher uma pequena quantidade de solo lunar. Isto é, cada uma das amostras do solo lunar irá pesar entre 50 g e 500 g. de regolito da Lua e terão de fornecer imagens à NASA da recolha a ser feita e do material conseguido. Além disso, a propriedade do solo lunar será então transferida para a NASA e se tornará “propriedade exclusiva da NASA para uso da agência sob o programa Artemis”.

Este recurso é muito importante quer para o programa Artemis como para futuras missões a Marte.

Precisamos aprender a gerar a nossa própria água, ar e até mesmo combustível. Viver da terra permitirá actividades de exploração ambiciosas que resultarão em ciência inspiradora e em descobertas sem precedentes.

Referiu Phil McAlister.

Sob o programa Artemis, a NASA planeia pousar um homem e uma mulher na Lua até 2024 e estabelecer as bases para uma exploração sustentável e uma eventual missão a Marte.

Pplware
Autor: Vítor M.
04 Dez 2020