1683: Cientistas calculam quanto pesa a Via Láctea

Chao Liu/National Astronomical Observatories, Chinese Academy of Sciences

Numa árdua tarefa conjunta, dados do telescópio espacial Hubble, da NASA, juntamente a medições da missão Gaia, da ESA, permitiram um novo cálculo para estimar com precisão a massa da nossa galáxia.

De acordo com o novo estudo, a Via Láctea tem o peso de 1,5 biliões de massas solares, abrigando cerca de 200 mil milhões de estrelas.

Anteriormente, estimativas previam que a Via Láctea pesava algo entre 500 mil milhões e 3 biliões de vezes a massa do Sol, com diferentes métodos usados para medir a distribuição da matéria escura, que representa cerca de 90% da massa de toda a galáxia.

Como não é possível detectar a matéria escura directamente, estes cálculos usando variados métodos acabavam a gerar dados incertos, ainda que possíveis.

Para fazer o novo cálculo, a equipa usou um método inteligente que conta com a medição das velocidades dos aglomerados globulares, que são bastante densos e orbitam o disco espiral da galáxia a grandes distâncias.

N. Wyn Evans, da Universidade de Cambridge, explica que “quanto mais massiva é uma galáxia, mais rapidamente os seus aglomerados se movem sob a força da sua gravidade”.

Ele também explica que “a maioria das medições anteriores encontrou a velocidade em que um aglomerado está a aproximar-se ou a recuar da Terra, que é a velocidade ao longo da nossa linha de visão. No entanto, também pudemos medir o movimento lateral dos aglomerados, dos quais a velocidade total, e consequentemente a massa galáctica, podem ser calculadas”.

Por isso, foi essencial usar dados da missão Gaia, em cuja última libertação de dados há medições de aglomerados globulares a 65 mil anos-luz da Terra. “Estes aglomerados estendem-se a uma grande distância, por isso são considerados os melhores rastreadores que os astrónomos têm para medir a massa de nossa galáxia”, diz Tony Sohn, que conduziu a recolha de dados do Hubble para este estudo.

As observações do Hubble permitiram a recolha de dados de aglomerados globulares fracos e ainda mais distantes, a até 130 mil anos-luz da Terra.

“Combinando as medidas da Gaia em 34 aglomerados globulares com as medições de 12 aglomerados mais distantes pelo Hubble, podemos fixar a massa da Via Láctea de uma maneira que seria impossível sem estes telescópios espaciais”, declarou Roeland P. van der Marel, do Space Telescope Science Institute.

Muitas questões cosmológicas importantes ainda não foram respondidas justamente porque não conhecíamos a massa, de maneira mais precisa, da Via Láctea. Determinar com precisão a massa da nossa galáxia é importante para que possamos compreender ainda melhor o universo ao nosso redor.

ZAP // Canal Tech

Por CT
8 Março, 2019