4548: Monstros marinhos no deserto? Restos de ancestral do peixe-boi encontrados em deserto no Egipto

CIÊNCIA/PALEONTOLOGIA

usfwsendsp / Flickr
Peixe-boi

De acordo com um novo estudo, há 40 milhões de anos, o Deserto Oriental Africano era o lar dos ancestrais dos peixes-boi e dos dugongos. 

No ano passado, uma equipa de arqueólogos encontrou fósseis de um antigo parente dos peixes-boi e dos dugongos no Egipto. Datados do final do Eoceno, os Sirenia nadavam numa parcela de água que se transformou no actual Deserto Oriental Africano.

Peixes-boi são mamíferos marinhos principalmente herbívoros. O Live Science explica que, tal como as baleias, os ancestrais mamíferos dos Sirenias viviam em terra firme antes de se adaptarem ao ambiente marítimo. Esta espécie semi-aquática ainda tinha patas traseiras e dianteiras, tal como outras criaturas terrestres.

A descoberta de vértebras, costelas e ossos dos membros do animal não é o primeiro conjunto de ossos da espécie encontrados no Egipto, mas são os únicos fósseis datados do período Eoceno.

A investigação indica que a primeira espécie de Sirenia, chamada Pezosiren portelli, nasceu na primeira metade do período Eoceno na região da Jamaica, aproximadamente há 50 milhões de anos.

De acordo com os cientistas, a descoberta do fóssil também sugere que, no passado, o deserto egípcio era um ambiente marinho levemente raso, o típico habitat dos Sirenia. Actualmente, uma pequena população dos descendentes deste animal vive no Mar Vermelho, mas já foram encontrados fósseis da espécie na Líbia, Madagáscar e Somália.

O artigo científico ainda carece de uma revisão por pares, mas foi apresentado recentemente na conferência anual da Sociedade de Paleontologia Vertebrada.

ZAP //

Por ZAP
26 Outubro, 2020