4622: Virgin Hyperloop: a cápsula ultra-rápida levou pela primeira vez passageiros

CIÊNCIA/TECNOLOGIA

A Virgin não é a única empresa que desenvolve este sistema, que consiste em deslocar em suspensão cápsulas capazes de movimentar-se entre 1.000 km/h e 1.200 km/h dentro de tubos de baixa pressão colocados em postes.

© EPA/VIRGIN HYPERLOOP

A empresa de tecnologia Virgin Hyperloop anunciou nesta segunda-feira que executou com sucesso o primeiro teste de transporte de passageiros no deserto do Nevada a bordo de uma cápsula futurista ultra-rápida.

Duas pessoas embarcaram na cápsula – funcionários da Virgin Hyperloop – no domingo para um percurso numa pista de testes de 500 metros em 15 segundos, alcançando 172 km/h, segundo um comunicado da empresa.

© EPA/VIRGIN HYPERLOOP

Sara Luchian, directora de marketing, foi uma dos passageiros e descreveu a experiência à BBC como “estimulante tanto física como psicologicamente”. Luchian e o responsável pela tecnologia Josh Giegel usaram simples calças de ganga e camisolas em vez de fatos de voo para o evento. Para Luchian a viagem foi “suave e nada como uma montanha-russa”, apesar de a aceleração ter sido mais enérgica do que noutro tipo de comboio

A Virgin não é a única empresa que desenvolve este sistema, que consiste em deslocar em suspensão cápsulas capazes de movimentar-se entre 1.000 km/h e 1.200 km/h dentro de tubos de baixa pressão colocados em postes.

“Não posso dizer quantas vezes perguntaram se o Hyperloop é seguro. Graças a este teste com passageiros, respondemos com sucesso a essa pergunta”, disse Jay Walder, CEO da Virgin Hyperloop, citado no comunicado.

© EPA/VIRGIN HYPERLOOP

O conceito do Hyperloop foi lançado em 2013 pelo milionário Elon Musk, fundador da empresa de carros eléctricos Tesla e da empresa de exploração espacial SpaceX.

Mas outras empresas de tecnologia entraram na disputa, incluindo a Virgin, a americana Hyperloop Transportation Technologies (HyperloopTT ou HTT) e a canadiana TransPod.

A Virgin Hyperloop foi fundada em 2014 em Los Angeles com o nome Hyperloop Technologies, antes de ser rebaptizada em 2017 com a chegada do milionário britânico Richard Branson. O objectivo declarado é ter estas cápsulas em funcionamento até meados da década.

Diário de Notícias
DN/AFP
09 Novembro 2020 — 11:45


2827: Elon Musk quer enviar passageiros para o Espaço já no próximo ano

CIÊNCIA

oninnovation / Flickr

O bilionário Elon Musk, também fundador da fabricante de automóveis eléctricos Tesla, fez um anúncio surpreendente: quer que pôr passageiros no Espaço já em 2020.

“Isto pode soar totalmente louco, mas queremos tentar entrar em órbita em menos de seis meses”, anunciou o empresário, de acordo com a Visão.

Elon Musk fundou a SpaceX com o objectivo de facilitar a colonização de Marte, já que acredita que a sobrevivência do ser humano depende da exploração de outros planetas.

A nave espacial Starship será fundamental para a concretização dos seus intentos. É tão poderosa como o foguetão Saturn 5, que levou os astronautas da agência espacial americana (NASA) à lua há 50 anos. No entanto, ao contrário da Apollo, a Starship é totalmente reutilizável.

De acordo com os cientistas da SpaceX, a versão de transporte da carga da Starship poderá estar operacional em 2021, mas o CEO da empresa acredita que o prazo poderá ser antecipado já para o próximo ano. Musk acredita mesmo que poderá ser possível transportar os primeiros passageiros para o espaço em 2020.

Perante o anúncio de Musk, o administrador da agência espacial americana, Jim Bridenstine, lembrou a SpaceX do atraso no desenvolvimento da cápsula Crew Dragon, que deverá transportar astronautas da NASA até à Estação Espacial Internacional.

A relação entre ambas as organizações tem-se estado tensa. A SpaceX queixa-se dos procedimentos que considera demasiados meticulosos da NASA, enquanto a agência teme que a obsessão com Marte distraia a empresa dos seus demais compromissos.

Musk garantiu que se não fossem as verificações da NASA poderiam entrar em órbita muito mais cedo. O administrador da agência espacial americana duvida dos prazos estabelecidos pelo empresário e afirmou não estar disposto a facilitar os processos de verificação, o que levaria a riscos desnecessário.

Os contínuos atrasos da SpaceX e da Boeing – outra das empresas contratadas pela NASA para a construção de naves de transporte – implica que a agência americana continue dependente dos russos para conseguir chegar à Estação Espacial Internacional.

No passado, Musk chegou a afirmar que a Tesla seria capaz de desenvolver automóveis totalmente autónomos até 2017 – o que ainda não aconteceu.

ZAP //

Por ZAP
13 Outubro, 2019

 

1377: Virgin Galactic vai levar passageiros ao espaço antes do Natal, diz Branson

TECNOLOGIA

@virgingalactic / Twitter
Richard Branson, o fundador da Virgin (direita)

O empresário britânico Richard Branson disse na sexta-feira passada que a sua empresa de voos espaciais – Virgin Galactic – vai levar passageiros para o espaço antes do Natal.

O bilionário disse que estava “razoavelmente confiante” de que a Virgin Galactic poderá atingir a sua meta, com viagens tripuladas até ao espaço antes do Natal.

Os pilotos de teste farão as primeiras viagens ao espaço sem ninguém a bordo, numa nave espacial sub-orbital SpaceShipTwo. Branson afirmou ainda que será o primeiro a viajar para o espaço como passageiro.

Depois, a Virgin Galactic dará a mesma oportunidade aos turistas que puderem pagar por isso. O preço para voar e passar um dia no espaço está estimado em 250 mil dólares (cerca de 220 mil euros) e centenas de pessoas já estão em fila para adquirir bilhetes.

“O espaço é difícil. A ciência de foguetes é complexa. Isto levou 14 longos anos, e Jeff Bezos levou 14 longos anos”, disse Branson, referindo-se à empresa de voos espaciais privada do CEO da Amazon, a Blue Origin, que planeia começar a vender passagens para voos sub-orbitais no ano que vem.

Se conseguir lançar a sua primeira viagem ao espaço antes do final deste ano, a Virgin Galactic superará os seus concorrentes, como Blue Origin, de Jeff Bezos, e SpaceX, de Elon Musk. No entanto, o empresário disse que “a segurança é a única coisa que importa” quando se trata de viagens espaciais.

A Virgin Galactic tem um histórico de promessas de que a empresa estaria próxima de transportar pessoas para o espaço, mas sempre ficou aquém do esperado. Isto foi antes de os planos ambiciosos da empresa serem prejudicados pelo acidente de teste de voo do VSS Enterprise em 2014, que matou um piloto e feriu um copiloto.

A empresa só retomou os voos de teste tripulados com a sua nova aeronave SpaceShipTwo este ano.

ZAP // RT

Por ZAP
5 Dezembro, 2018

[vasaioqrcode]