4135: Reservas naturais chinesas salvaram os pandas da extinção (mas “esqueceram-se” dos leopardos)

CIÊNCIA/ZOOLOGIA

tambako / Flickr

Uma nova investigação revela que os esforços da China para salvar os pandas gigantes foram bem sucedidos, mas os mesmos falharam na protecção de outros animais que partilham o mesmo habitat, como é o caso dos leopardos.

Os pandas gigantes, recorda o portal New Scientist, afastaram-se da extinção em meados de 2016, depois de as reservas naturais terem traçado planos para salvar esta espécie em 1960 – mas há várias outras espécies que precisam de ajuda.

A mesma investigação, cujos resultados foram publicados recentemente na revista Nature Ecology & Evolution, mostra que, durante o mesmo período e nas mesmas reservas naturais em que vivem as pandas, houve uma diminuição de 81% nos leopardos (Panthera pardus) e de 38% entre os leopardos da neve (Panthera uncia).

Dois outros carnívoros, os lobos (Canis lupus) e dholes (Cuon alpinus), um cão-selvagem-asiático, diminuíram as suas populações 77 e 95%, respectivamente, deixando-os muito próximos da extinção nesta mesma região.

A equipa de cientistas, constituída por especialistas chineses e norte-americanos e liderada por Sheng Li da Universidade de Pequim, chegou a estes valores depois de calcular os declínios na população das quatro espécies comparando registos de investigações levadas a cabo entre 1950 e 1970 com registos de armadilhas fotográficas de 2008 a 2018.

Especialistas e moradores locais citados pelo mesmo portal sugerem que a maioria das perdas entre estes animais ocorreu durante os anos 90, impulsionado pela desflorestação e pela caça furtiva dos animais e das respectivas presas.

“Não fiquei tão surpreso com os declínios, mas os números são dramáticos“, diz o líder da investigação, observando que os valores dos declínios são consistentes com os dos grandes mamíferos terrestres do mundo.

Os investigadores dizem ainda que estes resultados são um alerta contra a tendência de tentar preservar a biodiversidade concentrando apenas esforços numa só espécie. “Estas descobertas alertam contra a forte dependência de uma política de conservação de espécies únicas para a conservação da biodiversidade na região”, pode ler-se.

ZAP //

Por ZAP
9 Agosto, 2020