5053: O ciclo da Lua parece estar a roubar-nos horas de sono

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

O ciclo da Lua gera alterações nos padrões de sono do Homem, sugere uma nova investigação internacional, que contou com a participação de cientistas da Universidade de Washington e Yale, nos Estados Unidos, e da Universidade Nacional de Quilmes, na Argentina.

De acordo com o novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na Science Advances, os ciclos de sono oscilam durante o ciclo da Lua: nos dias que antecedem a Lua cheia, as pessoas deitam-se mais tarde e dormem durante períodos de tempo mais curtos.

“A luz da Lua é tão brilhante para o olho humano que é completamente razoável imaginar que, na ausência de outras fontes de luz, esta fonte de luz nocturna possa ter tido um papel na modulação da actividade nocturna humana e do sono“, escreveram os cientistas no novo estudo, que foi liderado por Horacio de la Iglesia, neuro-biologista da Universidade de Washington e autor sénior da investigação.

Ainda assim, observaram no artigo, esta é uma questão “ainda controversa”.

Para tentar resolver esta questão, a equipa internacional de cientistas contou com a participação de 500 voluntários distribuídos em áreas diferentes, que viram os seus padrões de sono rastreados através de monitores de actividade de pulso.

Num primeiro momento, os especialistas conduziram o procedimento com 98 pessoas do povo Toba-Qom, uma comunidade indígena que vive na província de Formosa, na Argentina. Destes 98 voluntários, alguns não tinham acesso a electricidades nas suas casas, outros tinham um acesso limitado e apenas uma franja dos participantes vivia num ambiente urbano com acesso total à rede eléctrica.

Num outro procedimento, a equipa analisou os padrões de sono de 464 estudantes universitários que viviam na área da cidade norte-americana de Seattle, uma grande área altamente modernizada e com acesso geral à electricidade.

Um mesmo padrão, duas localizações

Depois de analisar a actividade de sono dos diferentes grupos durante o ciclo do mês lunar, a equipa concluiu que existe um mesmo padrão durante o sono e a vigília de todos os participantes, independentemente da região em que vivem ou do acesso à rede eléctrica.

“Observamos uma modulação lunar clara do sono, com o sono a diminuir e a ter um início mais tardio nos dias que precedem a Lua cheia”, explicou Iglesia. “Embora o efeito seja mais robusto em comunidades sem acesso à electricidade, está presente em comunidades com electricidade, incluindo alunos da Universidade de Washington”, acrescentou.

Em comunicado, a equipa sintetiza: de forma geral, e apesar de algumas variações identificadas, os dados mostraram que o sono tende a começar mais tarde e dura menos tempo nas noites que antecedem a Lua cheia, quando o luar oriundo da Lua crescente é mais brilhante nas horas após o crepúsculo.

“Combinados, estes resultados sugerem fortemente que o sono humano está sincronizado com as fase da Lua, independentemente da origem étnica e/ou sociocultural e do nível de urbanização”, pode ler-se ainda no estudo.

Por Sara Silva Alves
3 Fevereiro, 2021