4465: Pequeno crocodilo do Cretáceo pode ter-se alimentado de titanossauros bebé

CIÊNCIA/PALEONTOLOGIA

Aina and Agnès Amblás / Institut Català de Paleontologia Miquel Crusafont
Ogresuchus furatus

O pequeno crocodilo do período Cretáceo foi identificado a partir de restos de um esqueleto encontrado numa área de nidificação de titanossauros na Catalunha, em Espanha.

Segundo o Sci-News, o Ogresuchus furatus foi uma espécie de crocodilo da família dos Sebecidae que viveu durante o período Cretáceo Superior, há cerca de 71,5 milhões de anos. O animal media cerca de 1,1 metros de comprimento e pesava 9kg.

Os cientistas encontraram os restos do esqueleto no sítio paleontológico de El Mirador na área de Coll de Nargó, província de Lleida, na Catalunha. “A principal característica dos Sebecidae é que, ao contrário dos crocodilos existentes, estes animais tinham os membros sob o corpo”, explicou o paleontólogo Albert Sellés.

Esta característica permitiu que a espécie se tornasse um predador eficiente, já que permitiu ao Ogresuchus furatus mover-se de forma semelhante aos mamíferos existentes.

Quando descobriram o esqueleto parcial, os investigadores repararam que, junto dele, havia cascas de ovos de titanossauros. Essa descoberta secundárias fez a equipa levantar a hipótese de que o crocodilo pode ter-se alimentado destes animais.

“Os titanossauros bebé não eram a sua principal fonte de alimento, mas podem ter sido uma presa fácil, de acordo com as características anatómicas do crocodilo”, complementou Sellés. O artigo científico com as descobertas foi publicado em Setembro na Scientific Reports.

Ogresuchus furatus representa o registo mais antigo de Sebecidae em todo o mundo e o primeiro conhecido na Eurásia, sendo 10 milhões de anos mais velho do que qualquer outro Sebecidae conhecido até hoje. “Esta descoberta leva-nos a redefinir a história evolutiva de toda a família”, rematou o investigador.

ZAP //

Por ZAP
10 Outubro, 2020