4545: Descobertas pegadas fossilizadas com mais de 10 mil anos. São a trilha pré-histórica de uma mãe com um bebé ao colo

CIÊNCIA/ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA

National Park Service

Uma equipa de investigadores internacional descobriu o trilho pré-histórico mais comprido do mundo no Novo México, nos Estados Unidos. O novo estudo conta a historia de uma mulher que carregou um bebé nos braços durante 1,5 quilómetros há mais de 10 mil anos atrás.

Um novo estudo publicado na ScienceDirect analisou algumas pegadas de um lago seco conhecido como playa, que contém centenas de milhares de rastos fossilizados que datam de há 13 mil anos até ao final da última era glacial (cerca de 11.550 anos atrás).

A trilha de pegadas fósseis mais longa do mundo – mais de 1,5 quilómetros – fica no Parque Nacional White Sands, nos Estados Unidos, e conta a história de uma mãe ainda jovem que caminha com um bebé ao colo num terreno lamacento e perigoso. Além disso, trata-se de um trilho impressionante devido ao facto de ser tão linear, mostrando que quem o percorreu não se desviou do percurso, nem na ida, nem na volta.

“Uma adolescente ou pequena mulher adulta fez duas viagens, separadas por várias horas, carregando uma criança pequena ao colo pelo menos numa das direcções”, disse a autora principal do artigo, Sally Reynold, citada pela SciNews.

Os investigadores encontraram evidências de que as marcas correspondem às pegadas de uma mulher – mas a equipa de investigadores não descarta a hipótese de ser um adolescente do sexo masculino – a carregar um bebé nos braços, movendo-o do braço esquerdo para o direito quando se cansava e, ocasionalmente, colocando a criança no chão para poder descansar.

“Quando vi as pegadas intermitentes do bebé pela primeira vez, veio-me à cabeça uma cena familiar”, disse um dos autores do estudo, Tommy Urban, da Universidade Cornell, nos Estados Unidos.

As pegadas do caminho de ida tinham uma “forma de banana” e eram morfologicamente mais variadas e mais largas, o que evidencia a carga extra causada pelo peso do bebé, que teria cerca de dois anos ou até um pouco menos. Já as pegadas do caminho de volta, pelo contrário, eram mais definidas e estreitas.

“Podemos colocar-nos nos sapatos, ou pegadas, dessa pessoa e imaginar como seria carregar uma criança ao colo entre um braço e o outro, enquanto caminhamos por um terreno difícil e cercado de animais potencialmente perigosos”, disse Reynold.

Segundo o The Conversation, naquela altura o chão era lamacento e estava molhado e escorregadio, mas as pessoas caminhavam a mais de 1,7 metros por segundo – sendo que a velocidade considerada confortável para se caminhar é cerca de 1,2 a 1,5 metros por segundo, numa superfície plana e seca.

Além disso, o artigo sugere que mamutes, preguiças gigantes, felinos dente-de-sabre, lobos, bisões e camelos (agora extintos) frequentavam aquele local e os seus rastos terão ajudado a determinar a idade do trilho.

“Descobriu-se que preguiças gigantes e mamutes colombianos cruzaram os rastos humanos daquele caminho, mostrando que o terreno hospedava humanos e animais de grande porte ao mesmo tempo. Isso torna a jornada feita por este indivíduo com a criança pequena ao colo muito perigosa“, diz o artigo.

As pisadas humanas, no entanto, destacam-se por terem sido feitas em linha recta e por se repetirem umas horas mais tarde, já sem o bebé, revela o estudo.

“Esta pesquisa é importante para nos ajudar a entender os nossos ancestrais, como viviam e as suas semelhanças e diferenças connosco”, disse Reynold.

ZAP //

Por ZAP
25 Outubro, 2020

 

4358: Milhares de pássaros migratórios estão (misteriosamente) a morrer no Novo México

CIÊNCIA/BIOLOGIA

Allison Salas / New Mexico State University

Um elevado número de pássaros migratórios está a morrer em todo o Novo México, numa misteriosa mortalidade em massa que está a preocupar os cientistas.

Estima-se que o número de pássaros mortos seja de centenas de milhares, “se não forem milhões”, explica Martha Desmond, professora da New Mexico State University, ao jornal Las Cruces Sun-News.

A investigadora americana explica que, em conjunto com biólogos da NMSU, examinou quase 300 carcaças de pássaros que foram encontradas perto do condado de Doña Ana, na semana passada. Contudo, os biólogos também viram relatórios, fotografias e vídeos do fenómeno, que está a afectar todo o estado, mas que também está a ocorrer no Colorado e no Texas.

Segundo a IFLS, embora pareça afectar apenas aves migratórias, a mortalidade afectou também uma grande variedade de espécies de aves, como é o caso de andorinhas, papa-moscas e toutinegras-de-cabeça-preta.

Os habitantes do Novo México garantem que os pássaros agiam de forma estranha, uma vez que não comiam, voavam baixo, moviam-se lentamente, e estavam tão lentos que eram frequentemente atropelados por veículos.

A causa deste mistério ainda não foi descoberta, mas os biólogos estão a investigar algumas teorias. Os incêndios florestais que estão a devastar a Califórnia, podem ser uma das principais causas deste cenário trágico.

Acredita-se que esta situação possa ter estimulado os pássaros a iniciar a migração de outono mais cedo do que o normal. Porém à medida que se deslocavam para o interior, as fontes de comida e água estavam a diminuir devido às secas trazidas pelo verão longo e quente. Alguns cientistas também consideram que as aves podem ter inalado fumo e isso lhes tenha causado danos nos pulmões.

Esta região dos EUA também foi atingida por uma frente fria local na primeira semana de Setembro, o que também pode ter prejudicado os planos de migração das aves. Os biólogos acreditam que a junção de todos estes factores criam um ambiente perfeito para estimular problemas às aves, que depois acabam por morrer.

Foto do perfil, abre a página do perfil no Twitter em uma nova aba

Simon Romero
@viaSimonRomero
NEW: What’s causing huge bird die-off in New Mexico? Biologists say wildfires, combined with drought & record heat waves, could be trigger
New Mexico Mystery: Why Are So Many Birds Dropping Dead?
Scientists say that the wildfires in the West combined with drought and record heat waves could be triggering one of the Southwest’s largest migratory bird die-offs in recent decades.
nytimes.com

Para ajudar a desvendar o mistério, o Southwest Avian Mortality Project está a pedir ajuda aos habitantes locais, para que estes registem qualquer ave morta que encontram através da aplicação, ou do site iNaturalist.

Como alternativa, os investigadores estão a pedir à população para recolher amostras em sacos plásticos, armazená-las no frigorífico e, em seguida, entrar em contacto com os a equipa para que possam analisar o estado em que os animais acabam por sucumbir.

ZAP //

Por ZAP
20 Setembro, 2020

 

 

1020: Documentário revela que Marilyn Monroe foi morta por saber demais sobre extraterrestres

– Uma notícia de Maio de 2017 mas que se relaciona com o artigo abaixo publicado. É positivo ler os comentários a esta notícia.

Dell Publications, Inc. / wikimedia
Marilyn Monroe em 1954.

Um novo documentário apresenta alegados documentos confidenciais que provam que Marilyn Monroe pode ter sido assassinada porque estaria prestes a revelar informações secretas sobre extraterrestres.

Intitulado “Unacknowledged”, o documentário realizado por Michael Mazzola avança com a teoria de que Marilyn Monroe terá sido morta por saber demasiado sobre o fenómeno extraterrestre e, particularmente, sobre o misterioso episódio de Roswell, no Novo México, ocorrido em 1947.

A versão oficial indica que um rancho da cidade de Roswell foi palco da queda de um balão de vigilância da Força Aérea dos EUA, mas as teorias da conspiração apontam que terá sido um ovni que aterrou na área.

O documentário aborda este episódio misterioso, baseando-se na investigação do controverso especialista de ovnis Steven Greer.

A tese de Greer quanto a Marilyn Monroe centra-se num documento que é descrito como uma “sentença de morte” e que terá sido firmado depois de a actriz ter falado ao telefone com a jornalista Dorothy Kilgallen que estava a investigar o caso de Roswell.

“”Unacknowledged” foca-se nos ficheiros históricos do Projecto Disclosure e de como o sigilo ufológico foi impiedosamente reforçado – e porquê”, revela-se na descrição do documentário no site Vimeo, onde se pode descarregar o vídeo por 18,41 euros.

“A melhor prova para contacto extraterrestre, datada de há décadas, é apresentada com depoimentos directos ultra-secretos de testemunhas, documentos e filmagens de ovnis, 80 por cento dos quais nunca foram revelados em mais lado nenhum”, refere ainda o texto de divulgação do documentário no Vimeo.

“A pesquisa atrás dos bastidores e os encontros de alto nível reunidos pelo Dr.º Steven Greer vão expor o grau de operações ilegais encobertas no centro do secretismo ovni”, avança-se também.

“Desde briefings com o Director da CIA e Generais e Almirantes de topo do Pentágono a um briefing do presidente Obama, através do conselheiro sénior John Podesta, director de campanha de Hillary Clinton, – levamos o espectador para trás do véu de sigilo e para dentro dos corredores do poder real onde residem os segredos de ovnis“, sublinham os responsáveis do filme.

“Unacknowledged” também fala de como “ocorreu um golpe de estado silencioso” em 1950 e de como “o Congresso, o Presidente e outros líder mundiais foram postos de lado por elementos criminosos de dentro do complexo Militar-Industrial-Financeiro”.

SV, ZAP //

Por SV
27 Maio, 2017

[vasaioqrcode]

See also Blogs Eclypse and Lab Fotográfico

1019: FBI evacuou misteriosamente Observatório perto de Roswell (e não explica porquê)

uıɐɾ ʞ ʇɐɯɐs / wikimedia
Observatório Solar Nacional em Sunspot, no Novo México, EUA.

O encerramento súbito e sem explicações do Observatório Solar Nacional, em Sunspot, no Novo México, EUA, por parte do FBI gerou uma onda de teorias da conspiração. Uma semana depois do estranho fecho do local, ainda não se sabe o que aconteceu.

Na passada quinta-feira, 6 de Setembro, o FBI encerrou misteriosamente o Observatório Solar em Sunspot, e uma Agência de Correios que está localizada nas suas imediações, não apresentando justificações oficiais para o sucedido.

Essa ausência de explicações originou uma série de teorias da conspiração. E uma semana depois do encerramento, ainda não foram revelados os motivos da evacuação do local.

Numa publicação no Facebook, o Observatório fala de um “problema de segurança”, notando que o encerramento foi uma “medida de precaução”, mas sem explicar mais nada.

A associação das Universidades para a Pesquisa em Astronomia (AURA), que gere o Observatório, anunciou que foi sua a decisão de “desocupar a instituição” como “uma medida preventiva“, conforme declarações da porta-voz Shari Lifson, que recusou ser mais concreta sobre o tal “problema de segurança”.

Shari Lifson acrescentou que o Observatório ficará fechado “até notificações posteriores”.

O xerife do condado, Benny House, fala de uma situação bizarra, lamentando que “o FBI recusa-se a dizer o que está a acontecer”. “Queriam que ajudássemos na evacuação sem nos dizer nada”, refere, destacando que tudo parecia tranquilo e sem sinal de ameaça.

“Não sei porque é que o FBI se envolveria tão rapidamente e não nos disse nada”, queixa-se Benny House, revelando que “havia helicópteros Blackhawk, um bando de pessoas ao redor de antenas e equipas de trabalho em torres”.

Nem a AURA, nem o Observatório comentaram, até agora, o envolvimento do FBI e o serviço de Inteligência dos EUA não apresenta quaisquer explicações.

Não muito longe de Roswell…

Tanto mistério alimenta as teorias de conspiração que lembram o facto de o Observatório estar localizado a cerca de 200 quilómetros de Roswell, a cidade do Novo México onde alguns defendem ter caído um OVNI em 1947.

Agora, há também quem argumente que o FBI pode ter encontrado no  Observatório de Sunspot alguma prova de vida extraterrestre.

Por outro lado, há quem refira que a evacuação foi motivada pelo facto de o local estar alinhado com a tempestade solar que está prevista para esta sexta-feira. Mas à parte perturbações nos GPS e nos satélites, este fenómeno não parece justificar o encerramento.

Outros teóricos da conspiração reparam que a evacuação levada a cabo coincidiu com uma tempestade geomagnética que assolou a Terra no início da semana.

O Observatório de Sunspot existe desde 1958, acolhendo vários telescópios para estudar o Sol. O espaço tem uma zona aberta a visitantes, onde se podem conhecer algumas das instalações, bem como usar telescópios. Mas após a estranha evacuação, nem sequer os funcionários lá podem entrar.

Por ZAP
14 Setembro, 2018

[vasaioqrcode]

See also Blogs Eclypse and Lab Fotográfico