4598: Astrónomos captam detalhes cósmicos da Nebulosa da Caveira, a 1.600 anos-luz da Terra

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

(dr) ESO
Nebulosa da Caveira

O Observatório Europeu do Sul revelou uma das imagens mais “sinistras” da sua colecção: a Nebulosa da Caveira, conhecida como primeira nebulosa planetária com um sistema estelar triplo hierárquico no seu centro.

Para celebrar o Halloween, o Observatório Europeu do Sul (ESO) decidiu revelar uma das fotografias mais “sinistras” que faz parte do seu programa Jóias Cósmicas, uma iniciativa dedicada aos objectos espaciais mais intrigantes.

A Nebulosa da Caveira, ou NGC 246, localiza-se a cerca de 1.600 anos-luz de distância da Terra, na constelação austral da Baleia, e é conhecida como a primeira nebulosa planetária com um triplo sistema de estrelas no seu centro. Duas das estrelas orbitam em torno uma da outra, enquanto a estrela mais exterior orbita as duas.

Segundo a Sputnik News, a imagem revelada pelo ESO foi captada pelo Very Large Telescope (VLT) no Chile, e mostra a luz emitida em faixas estreitas de comprimentos de onda, associadas ao hidrogénio e ao oxigénio. Estas observações da radiação emitida por determinados elementos ajudam os cientistas a compreender as composições químicas e estruturais dos objectos espaciais.

De acordo com os astrónomos, a Nebulosa da Caveira foi formada quando uma estrela com uma tipologia semelhante ao nosso Sol chegou ao final da sua vida e expeliu as suas camadas exteriores, revelando seu núcleo – ou seja, transformando-se numa anã branca.

Apesar de não ser visível na imagem, a anã vermelha está muito perto da estrela central, a uma distância aproximadamente 500 vezes superior à que existe entre a Terra e o Sol.

As anã vermelha e anã branca orbitam em torno uma da outra, enquanto que a estrela mais exterior orbita as duas anãs a uma distância 1.900 vezes superior à separação entre a Terra e o Sol.

Apesar de ser conhecida há vários séculos, só em 2014 é que os astrónomos descobriram que há uma terceira estrela no coração da nebulosa.

ZAP //

Por ZAP
4 Novembro, 2020