2707: Glaciar no Monte Branco está em risco de colapsar

CIÊNCIA

TRAILSOURCE.COM / Flickr
Monte Branco, Chamonix

O degelo deixou de ser um problema apenas da Gronelândia, Antárctida ou Árctico. O risco de colapso de um bloco de gelo de 250 mil metros cúbicos atingiu agora o Monte Branco, a mais alta montanha dos Alpes e da União Europeia.

Parte do glaciar Planpincieux, situado no lado italiano do Monte Branco, está em risco de colapso como consequência do aquecimento global. O alerta foi feito pelas autoridades locais que mandou encerrar a estrada municipal Val Ferret devido ao perigo de avalanche.

O alerta foi feito pelas autoridades locais que mandou encerrar a estrada municipal Val Ferret devido ao perigo de avalanche. De acordo com os especialistas, são cerca 250 mil metros cúbicos do glaciar que estão em risco de colapso, estando a derreter entre 50 e 60 centímetros dessa massa de gelo por dia.

O autarca da vila de Courmayeur, Stefano Miserocchi, explicou que alguns edifícios na região de Rochefort foram evacuados por precaução e garantiu que o risco de avalanche não abrange uma zona residencial ou turística, não havendo motivos para alarme.

“Este fenómeno só mostra, mais uma vez, como a montanha está a atravessar um período de maiores mudanças devido às alterações climáticas e portanto está particularmente vulnerável”, afirmou Stefano Miserocchi, citado pelos media italianos.

Os peritos da Fundação Montanha Segura sublinham que não é possível prever antecipadamente quando poderá ocorrer a avalanche, razão pela qual apelam às autoridades para se manterem vigilantes.

O Monte Branco é a cordilheira mais alta da Europa Ocidental. Possui 11 picos acima de 4.000 metros em França e Itália e atrai centenas de milhares de turistas todos os anos. O glaciar Planpincieux é monitorizado de perto desde 2013, na tentativa de estabelecer a frequência com que o gelo está a derreter. Mas as autoridades alertam que não existe um “sistema de alerta” em vigor.

Em Agosto de 2018, recorda a BBC, um casal de idosos morreu perto de Planpincieux, em Courmayeur, quando o seu carro foi arrastado de uma estrada para um vale durante um deslizamento de terra. Centenas de pessoas foram evacuadas, algumas delas de helicóptero.

No início deste mês, dezenas de pessoas participaram de uma “marcha fúnebre” para marcar o desaparecimento do glaciar Pizol no nordeste da Suíça. O glaciar, nos Alpes Glarus, encolheu para uma fracção minúscula do seu tamanho original. Os cientistas dizem que perdeu pelo menos 80% do seu volume apenas desde 2006, uma tendência acelerada pelo aumento das temperaturas globais.

Esse foi o segundo “funeral” a um glaciar, tendo o primeiro sido na Islândia. Esse evento comemorou a vida do glaciar Ok, que foi declarado morto há cinco anos.

Turistas na Islândia também observaram, no início deste ano, uma secção de um outro glaciar – chamado Breiðamerkurjökull – a quebrar e a formar uma grande onda.

ZAP //

Por ZAP
25 Setembro, 2019