3268: Cerberus Fossae é a primeira zona sísmica activa identificada em Marte

CIÊNCIA

InSight_IPGP / Twitter

Cerberus Fossae, um conjunto de fissuras semi-paralelas formadas por falhas que separam a crosta de Marte, foi identificada como a primeira zona sísmica activa descoberta no Planeta Vermelho.

O sismómetro do InSight da NASA, chamado SEIS (Experiência Sísmica para Estruturas Interiores), concentrou-se nesta enorme estrutura tectónica, o epicentro de dois importantes MarsQuakes – tremores terrestres marcianos – detectados durante os sóis (dias marcianos) 173 e 235 da missão.

De acordo com o Europa Press, Cerberus Fossae mede 1.235 quilómetros de diâmetro. As magnitudes de ambos os tremores situavam-se entre os 3 e os 4 na escala Richter, de acordo com as informações antecipadas no Twitter pela equipa do SEIS, antes da publicação da pesquisa em revistas científicas. O primeiro “grande” terremoto ocorreu em maio e o segundo em Julho deste ano.

Devido a variações térmicas e ventos, Marte é um lugar barulhento. No entanto, entre as 17 horas e até pouco depois da meia-noite, o Planeta Vermelho torna-se muito silencioso. É nestes momentos que o sismómetro consegue monitorizar todas as frequências com uma nitidez cristalina, incluindo faixas invisíveis na Terra.

Mesmo que o Planeta Vermelho pareça petrificado, Marte continua a “bater”. A taxa de terramotos continua a aumentar, sem que os geofísicos entendam o motivo. Ainda assim, os terramotos verificados em Marte são muito fracos.

ZAP //

Por ZAP
26 Dezembro, 2019

 

spacenews