2146: Já se sabe como é que as marés podem desencadear terramotos

CIÊNCIA

(CC0/PD) Free-Photos / Pixabay

Como e porquê que as marés desencadeavam terramotos sempre foi uma incógnita que os cientistas têm tentado resolver ao longos dos anos. Agora, o mecanismo foi descoberto num novo estudo.

Actividade sísmica e vulcânica pode ser desencadeada pela força das marés, com terramotos a acontecerem nas profundezas oceânicas. Estes terramotos acontecem durante a maré baixa, apesar de teorias convencionais sugerirem que deveriam acontecer em alturas de maré alta.

Um novo estudo publicado esta sexta-feira na revista Nature Communications mostra como o magma debaixo da dorsal oceânica é responsável por esta actividade sísmica, até agora inexplicável.

É a câmara de magma a respirar, expandindo e contraindo devido às marés, o que está a fazer com que as falhas se movam”, explicou Christopher Scholz, sismólogo do Lamont-Doherty Earth Observatory da Universidade da Columbia.

Os cientistas ficaram surpreendidos com os resultados, uma vez que esperavam que quando a maré estivesse alta, o bloco superior seria empurrado para baixo e causaria terramotos numa falha. “Em vez disso, a falha desliza durante a maré baixa, que é o oposto do que esperávamos”, explicou Christopher.

Como alvo de análise, os cientistas usaram o vulcão submarino Axial, do oceano pacífico. Posteriormente, analisaram os resultados e exploraram as diferentes maneiras que a maré baixa poderia estar a causar actividade sísmica.

Com isto, perceberam que quando a maré está baixa, há menos água em cima da câmara de magma, o que faz com que esta se expanda. O Tech Explorist explica que, à medida que aumenta, ele movimenta as rochas ao redor, forçando o bloco inferior a deslizar para cima da falha e, consequentemente, causando terramotos.

“As pessoas no negócio do hydrofracking querem saber. Há alguma pressão segura que se possa exercer sem que se desencadeiem terramotos? E as resposta a que chegamos é que não há. Pode acontecer a qualquer nível de pressão”, realçou o cientista.

ZAP //

Por ZAP
9 Junho, 2019



[vasaioqrcode]