3147: Duas bonecas da NASA vão voar em redor da Lua para serem atingidas por radiação

CIÊNCIA

HubertRoberts / Wikimedia
Duas pessoas humanas a usar o sistema de proteção AstroRad

Em 2020, quando a NASA lançar a nave Orion como parte da missão Artemis I – a primeira de uma série de missões que levarão a primeira mulher e o próximo homem a pousar na Lua, – dois manequins femininos estarão a bordo.

Os manequins, chamados Helga e Zohar, viajarão uma distância maior do que qualquer humano já percorreu numa nave espacial. Os dois manequins estarão sentados nos assentos dos passageiros, para serem atingidos por radiação durante a viagem, a fim de medir a eficácia dos novos fatos projectados para proteger órgãos e tecidos mais sensíveis à radiação, como por exemplo, o peito, estômago, intestinos, pulmões, medula óssea e ovários.

De acordo com a Agência Espacial Europeia, os manequins são compostos por 38 fatias de plástico equivalente ao tecido, simuladas para replicar a densidade variável de tecidos, ossos e órgãos nos torsos femininos adultos. Além disso, serão equipados com 5.600 sensores para medir a quantidade de radiação que os astronautas enfrentarão em futuras missões.

Desenvolvido pela empresa israelita e americana StemRad, os coletes AstroRad, de acordo com testes realizados na Terra, deverão fornecer protecção aos astronautas, em conjunto com o abrigo contra tempestades do módulo da tripulação Orion, onde os astronautas se protegerão se acontecer algum evento de radiação.

Se o teste for bem-sucedido, isso significaria que os astronautas poderiam realizar actividades importantes mesmo durante uma tempestade de protões, de acordo com a StemRad.

Os fatos, que são feitos para o torso feminino, – mas que podem ser ajustados para corpos masculinos – usam blocos de polietileno que já são usados ​​para proteger os dormitórios dos astronautas na Estação Espacial Internacional, segundo o Space.

Durante a missão, Zohar será a boneca sortuda que usará o traje, enquanto Helga enfrentará todos os efeitos dos raios cósmicos galácticos e das partículas solares emitidas pelo Sol durante as explosões solares.

“A blindagem em si do AstroRad é composta por um polímero com uma alta abundância de hidrogénio, o que é vantajoso para a protecção contra a radiação espacial, pois minimiza a geração de radiação secundária”, de acordo com a StemRad. “Elementos de blindagem sólidos individuais são organizados numa arquitectura semelhante a uma balança para permitir um movimento desinibido e confortável dos astronautas enquanto usam o AstroRad.”

Atualmente, a StemRad está a explorar o uso de materiais plásticos reciclados gerados a bordo das naves espaciais do futuro para uso nos elementos de blindagem, o que reduziria drasticamente a massa de carga útil associada ao equipamento.

ZAP //

Por ZAP
6 Dezembro, 2019

spacenews