1870: A lua cheia desta noite é rosa e em maio há uma azul. Mas ambas podem ser laranja

Os nomes que são dados às diferentes luas não têm nada a ver com as cores com que vão surgir no céu.

Lua cheia
© EPA/LAVANDEIRA JR

A lua cheia desta noite é conhecida como “lua rosa”, mas isso não significa que vá aparecer dessa cor nos céus. O mesmo acontece com a “lua azul” do próximo mês. Os nomes das luas têm diferentes significados: no primeiro caso, relacionado com as primeiras flores da primavera, no segundo com o facto de ser a terceira lua cheia numa estação em que há quatro.

Quanto à cor da Lua, quando “nasce” junto ao horizonte costuma parecer laranja e passa a amarelo e a branco à medida que vai subindo nos céus, por causa das partículas na atmosfera que dispersam alguns comprimentos da onda da luz (a da extremidade azul do espectro), permitindo que outros passem (a dos vermelhos).

A “lua rosa” é o nome que é dado à lua cheia do mês de Abril, tendo origem nos índios norte-americanos. Refere-se à cor da Phlox subulata, uma flor nativa da América do Norte que costuma florescer por altura da lua cheia de Abril, criando um manto rosa. A lua pode contudo parecer rosa e até vermelha em algumas ocasiões: no caso de um eclipse total, mas aí é conhecida como “lua de sangue”.

A lua pode ser baptizada de “azul” em duas situações: a de 18 de maio de 2019 é assim conhecida por ser a terceira lua cheia numa estação em que há quatro. É uma lua azul sazonal. A outra lua azul é quando existem duas luas cheias no mesmo mês — a segunda recebe esse nome.

“As luas azuis não são azuis e as luas rosas não são (normalmente) rosas e o nascer da lua alaranjada vai parecer exactamente igual a qualquer outro, uma das visões mais extraordinárias do mundo natural”, escreveu o jornalista de Ciência da Forbes, Jamie Carter.

Diário de Notícias
19 Abril 2019 — 12:02

[vasaioqrcode]