2356: Descoberta uma super-Terra rochosa com 3 sóis vermelhos

Universidade Nacional da Austrália / Instituto Niels Bohr

O LTT 1445, também conhecido como TIC 98796344, TOI 455, L 730-18 ou BD-17 588, é um trio hierárquico de estrelas anãs vermelhas a aproximadamente 22,5 anos-luz de distância.

O mundo recém-descoberto orbita o LTT 1445A, o membro mais brilhante do sistema. Chamado de LTT 1445Ab, o planeta é cerca de 1,35 vezes maior que a Terra, cerca de 8,4 vezes mais massivo, sendo rochoso na composição. De acordo com o estudo publicado na revista Astronomical Journal, tem um período orbital de 5,36 dias e uma temperatura de superfície de cerca de 155ºC.

“A distância orbital do LTT 1445Ab aproxima-o mais da sua estrela hospedeira do que o anel da zona habitável da estrela, onde recebe 5,1 vezes a irradiação do Sol da sua estrela hospedeira”, disse a autora principal, Jennifer Winters, do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics, ao Sci News.

O LTT 1445Ab é o segundo exoplaneta em trânsito mais próximo encontrado até ao momento, o mais próximo conhecido em que a estrela primária é uma anã vermelha, e pode ser o planeta rochoso mais acessível espectroscopicamente para estudos atmosféricos até hoje detectado. “A profundidade do trânsito planetário é significativa (0,2%) e a estrela hospedeira é brilhante”, disseram os astrónomos.

“O sistema planetário em trânsito mais próximo é o HD 219134, a uma distância de 21 anos-luz. Mas enquanto a sua estrela hospedeira é mais brilhante que o LTT 1445A, as profundidades de trânsito planetário são quase uma ordem de magnitude menor”.

“Em contraste, o sistema TRAPPIST-1 de múltiplos planetas a 41 anos-luz exibe profundidades de trânsito planetárias que são, em média, três vezes maiores que a do LTT 1445Ab, mas a estrela hospedeira é fraca.”

“O LTT 1445 é particularmente favorável para observações terrestres para estudar a atmosfera do planeta, já que o par misturado LTT 1445BC pode fornecer uma valiosa fonte de calibração com o mesmo tipo espectral que a estrela primária, embora a sua utilidade como fonte de comparação possa ser limitada”, disseram.

O Transiting Exoplanet Survey Satellite, também conhecido como TESS, descobriu recentemente que algumas estrelas próximas têm muitos planetas fascinantes as orbitá-las. A missão TESS já dura há mais de um ano.

A missão da TESS indica a presença de exoplanetas comparando o brilho de cada uma das 200 mil estrelas que segue. A sonda espacial concentra-se nas estrelas próximas, uma vez que são as mais brilhantes.

ZAP //

Por ZAP
23 Julho, 2019

[vasaioqrcode]