3098: Lançamento de foguete chinês destruiu um prédio e cobriu cidade com detritos tóxicos

CIÊNCIA

China Aerospace Science and Technology Corporation

No sábado passado, a agência espacial chinesa lançou o foguete Long March 3B do Xichang Satellite Launch Center. A missão foi um sucesso, colocando dois satélites em órbita.

No entanto, nem tudo correu bem. Quando o primeiro reforço do foguete regressou à Terra, aterrou numa área povoada, de acordo com a Ars Technica, destruindo um prédio e cobrindo a área com fumo tóxico.

LaunchStuff @LaunchStuff

 

LaunchStuff @LaunchStuff

As the old saying goes, what goes up must come down by smashing into a building, cause significant damage to it and light it on fire.
Or something like that, I’m paraphrasing…

ℹhttps://www.weibo.com/3279752321/Ihy1liV5Y 

 

Um lançamento em Abril também encheu a paisagem chinesa de detritos tóxicos. O especialista em espaço comercial Greg Autry pediu ao governo Trump que tratasse das normas de segurança da China.

“Os padrões de segurança usados no lançamento espacial chinês deixariam os reguladores americanos apopléticos”, escreveu Autry no Space News. “Como é o caso em muitas indústrias globais, esta abordagem negligente dos padrões ambientais e da segurança humana promete fornecer à China uma vantagem de custo significativa sobre empresas americanas mais responsáveis e altamente regulamentadas”.

Os Estados Unidos e muitas outras nações espaciais costumam construir os seus locais de lançamento perto da costa. Isso acontece especificamente para que possam evitar colocar em risco a vida dos moradores, uma vez que os detritos que regressem à Terra podem simplesmente cair no oceano.

Porém, durante a Guerra Fria, a China construiu vários grandes centros de lançamento no interior para “fins de segurança”. Nas décadas seguintes, as missões desses locais colocaram os moradores em perigo repetidamente. Em 1996, um foguete chinês colidiu com uma vila logo após o lançamento, matando seis pessoas, segundo fontes chineses. Porém, de acordo com as fontes internacionais, o acidente matou centenas de moradores.

A China poderia, de acordo com o Futurism, diminuir os seus esforços espaciais ao construir novos locais de lançamento em áreas despovoadas ou costeiras. Porém, em vez disso, aumentou o número de lançamentos de foguetes nos últimos anos em busca de dominação espacial.

ZAP //

Por ZAP
26 Novembro, 2019