2870: NASA – Asteróide perigoso passará perto da Terra a uma velocidade de 40 mil km/h

CIÊNCIA

No próximo dia 25, sexta-feira, passará “perto” da Terra um asteróide à velocidade de 40 mil km/h. De acordo com o Centro de Estudo de Objectos Próximos à Terra da NASA, o objecto 162082 (1998 HL1) tem um tamanho de cerca de 700 metros de diâmetro e é da categoria Apollo.

A rocha espacial foi descoberta em 1998 e é vigiada desde então. Segundo os especialistas, se algum dia este asteróide colidir com o nosso planeta, as consequências serão desastrosas.

Asteróide perigoso debaixo de olho da NASA

Conforme está catalogado pela NASA, este é um asteróide do tamanho de um arranha-céus. Descoberto em 1998, foi já visto pela nossa vizinhança pelo menos 408 vezes. A sua classificação refere que é um Asteróide Potencialmente Perigoso (PHA).

No século passado, quando foi descoberto por astrónomos no projecto Lincoln Near-Earth Asteroid Research (LINEAR) em Socorro, Novo México, deram-lhe o nome de 1998 HL1.

1998 HL1 vai passar perto, mas o que é esse “perto”?

De facto vai passar perto. A passagem mais próxima do asteróide Apollo este ano será de 241.401.600 km de distância, ou 16 vezes a distância da Lua. Claro, comparando com a nossa noção de proximidade terrestre, esta rocha vai passar muito longe. Mas na unidade astronómica, ele vai passar aqui mesmo pertinho!

Apesar de ter já passado várias vezes no quintal da Terra ainda irá passar mais algumas vezes “sem entrar”. Segundo os cálculos da NASA, este não tem uma rota de colisão com o planeta nos próximo 120 anos.

A próxima vez que passar perto da Terra, como agora, será somente no dia 26 de Outubro de 2140. Nessa altura, esta rocha passará a uma distância de 6,18 milhões de quilómetros. Mas antes disso, a gigantesca rocha Apollo continuará a girar o Sol uma vez a cada 508 dias enquanto ele se move numa órbita elíptica.

NASA afirma que nenhum asteróide registado vai colidir com a Terra nos próximos 100 anos

Há hoje uma preocupação maior relacionada com os asteróides. Ameaças do asteróide do Apocalipse ou do Deus do Caos estão a ser vigiadas pela NASA que desdramatiza os possíveis casos de colisão com a … Continue a ler NASA afirma que nenhum asteróide registado vai colidir com a Terra nos próximos 100 anos

Pplware
Imagem: NASA
20/10/2019

 

2042: Asteróide gigante com lua própria vai passar muito próximo da Terra este sábado

Um asteróide com sua própria “lua” potencialmente perigoso passará este sábado no ponto mais próximo em relação ao nosso planeta pela primeira vez desde que foi descoberto em 1999.

Segundo o portal Cnet, trata-se de um sistema binário composto por dois asteróides – o maior tem 1,5 quilómetros de diâmetro e é orbitado por um satélite com 0,5 quilómetros. O sistema é conhecido pela Ciência como (66391) 1999 KW4.

Quando chegar ao seu ponto mais próximo da Terra, o corpo celeste passará para 13,5 das distâncias lunares do nosso planeta, isto é, para 5.182.015 quilómetros, com uma velocidade de 77.446 quilómetros por hora. Também atingirá o seu nível máximo de luminosidade, estimada em magnitude 12,5.

Quando isso acontecer, o objecto será observado por dezenas de telescópios que colaboram com a Rede Internacional de Alerta de Asteróides (IAWN), utilizando as mais variadas técnicas de observação e comprimentos de onda, detalha a Agência Espacial Europeia (ESA).

Dessa maneira, os astrónomos terão a oportunidade de testar a capacidade dos seus respectivos observatórios de recolher uma grande quantidade de informações sobre potenciais corpos celestes que no futuro possam aproximar-se inesperadamente de distâncias perigosas da Terra.

A ESA publicou uma animação do (66391) 1999 KW4 com base em imagens do asteróide obtido a 9 de maio por um observatório localizado na Ilha da Reunião no Oceano Índico.

O Observatório de Las Cumbres descreve o asteróide principal no sistema como “ligeiramente achatado nos pólos e com uma crista montanhosa em redor do equador, que percorre todo o asteróide. Essa crista dá ao primário uma aparência semelhante a uma noz.”

O asteróide 1999 KW4 foi descoberto em 1999 pelo LINEAR, que procurava asteróides próximos à Terra, e é considerado um dos maiores asteróides a orbitar o nosso planeta.

ZAP //

Por ZAP
24 Maio, 2019


[vasaioqrcode]