454: Vídeos da SpaceX afinal são contra a lei

O foguetão Falcon 9 teve apenas autorização parcial para emitir imagens | REUTERS/Gene Blevins

Há oito anos que os fãs do espaço seguem a par e passo os vídeos do foguetão Falcon 9 da SpaceX. À margem parece que estava apenas a Administração Nacional Atmosférica e Oceânica (NOAA, na sigla em inglês) que só agora percebeu que este foguetão não tem licença para transmitir vídeos do espaço.

Foi preciso a própria SpaceX ter pedido à NOAA – entidade governamental que controla os sistemas lançados para o espaço pelos americanos – autorização para emitir vídeos do espaço, para o lançamento do satélite Iridium, a 30 de Março. A questão foi que a NOAA apenas emitiu uma licença parcial, o que levou a SpaceX a justificar-se perante os subscritores do seu canal, refere o site Quartz.

Questionada pelos jornalistas, a NOAA referiu ter alterado a sua análise em relação aos objectos que são lançados no espaço e emitem imagens ainda que por curta duração. Os produtores de foguetões não pedem normalmente licenças porque não consideram que os seus veículos, que apenas estão em órbita algumas horas, antes de serem abandonados, estejam na mesma categoria de satélites que são enviados para ficar anos em órbita.

Depois da primeira explicação dada pela NOAA, o porta-voz veio explicar que esta agência estatal mudou o seu entendimento em relação a estes objectos. E que agora se querem transmitir imagens têm de pedir licenças.

DN
11 DE ABRIL DE 2018 | 00:20

[vasaioqrcode]

[SlideDeck2 id=1476]

[powr-hit-counter id=98bfd4f4_1523435921875]