3301: Descoberto palácio da civilização Maia no meio da selva mexicana

CIÊNCIA/ARQUEOLOGIA

(dr) Mauricio Marat / INAH

Um antigo palácio da civilização Maia foi descoberto no meio da selva mexicana, no estado de Iucatã, perto da histórica cidade de Kulubá.

A descoberta foi anunciada, na passada terça-feira, através de um comunicado do Instituto Nacional de Antropologia e História do México (INAH). De acordo com a Newsweek,

O palácio tem 55 metros de comprimento, 15 metros de largura e seis metros de altura.

Os vestígios encontrados apontam para duas fases de ocupação: no período Clássico Tardio (600–900 d.C.) e no período Clássico Terminal (850–1050 d.C.).

“Foi no Clássico Terminal que Chichén Itzá, tornando-se uma metrópole de destaque no nordeste do actual Iucatã, ampliou a sua influência sobre locais como Kulubá, o qual podemos inferir que, devido aos dados e materiais de cerâmica que possuímos, se tornou um enclave de Itzá”, explica Alfredo Barrera Rubio, um dos arqueólogos envolvidos.

Vários outros achados de importância arqueológica foram descobertos perto do palácio, incluindo um altar, duas residências e uma construção redonda que se acredita ter sido um forno.

Este sítio arqueológico fica no meio da selva, o que o torna vulnerável às intempéries. Por isso, foram adicionados pisos e outros revestimentos para proteger os acabamentos originais do palácio.

Os arqueólogos estão neste momento a escavar a área à volta da cidade vizinha de Kulubá. Segundo o Yucatan Times, a antiga metrópole possui templos de até 80 metros de altura.

A civilização Maia durou quase dois mil anos e teve origem em Iucatã mas, durante o seu auge, estendeu a sua influência a outras partes do México, Guatemala, Belize e Honduras.

Segundo o INAH, as visitas públicas a Kulubá devem começar dentro de pouco tempo.

ZAP //

Por ZAP
3 Janeiro, 2020

spacenews