5059: Substância encontrada no gelo da Antárctida pode resolver um mistério marciano

CIÊNCIA/MINERALOGIA/MARTE

GRID Arendal / Flickr

Cientistas encontraram um mineral, muito comum em Marte, nas profundezas de um núcleo de gelo na Antárctida. É composto por potássio, sulfato e ferro.

O mineral, chamado jarosita, tem uma cor amarela-acastanhada e requer água e ácido para se formar. Essas condições são muito difíceis de encontrar no Planeta Vermelho, mas o mineral é muito abundante na superfície marciana. Para os cientistas, a sua formação – e em quantidades tão grandes – ainda é um mistério.

Na Terra, a jarosita pode ser encontrada em resíduos de mineração que foram expostos ao ar e à chuva, mas não é comum. Encontrá-la nas profundezas de um núcleo de gelo na Antárctida foi uma grande surpresa para a equipa, diz Giovanni Baccolo, geólogo da Universidade de Milano-Bicocca, em Itália.

À Science, o investigador contou que os vestígios de jarosita foram encontrados quando os cientistas extraíram do solo um núcleo de gelo de 1,6 mil metros de comprimento. Os vestígios, mais pequenos do que grãos de areia, estavam enterrados nas camadas mais profundas do gelo.

A equipa analisou as partículas com um microscópio electrónico e concluiu que a jarosita se formou em sacos lamacentos dentro do gelo.

A descoberta sugere que o mineral se formou da mesma forma em Marte, embora no Planeta Vermelho a jarosita apareça em depósitos de um metro de espessura, e não em grãos espalhados.

Os investigadores adiantaram ainda que as placas grossas de jarosita podem ter-se formado em Marte porque o planeta tem muito mais poeira do que a Antárctida. “Este é apenas o primeiro passo para ligar o gelo profundo da Antárctida ao ambiente marciano”, acrescentou Baccolo.

No futuro, o investigador quer usar núcleos antárcticos para investigar se os antigos depósitos de gelo marciano eram “caldeirões” para a formação de outros minerais.

Por Liliana Malainho
4 Fevereiro, 2021