2301: Bilionários pensam seriamente em levar indústrias para o Espaço

NASA

Um grupo de especialistas, incluindo vários empresários de renome, está a considerar seriamente a possibilidade de mover indústrias pesadas da Terra para o Espaço noticia esta terça-feira a revista científica Discover.

De acordo com o artigo, que foi publicado na última terça-feira, o objectivo de mover as indústrias para fora Terra passa por reduzir o aquecimento global, tentando assim aumentar o tempo de sobrevivência da espécie humana a longo prazo.

A Discover escreve que esta iniciativa, que conta com vários bilionários como o CEO da Amazon, Jeff Bezos, pode ser a chave para garantir que os humanos sobrevivam.

Para levar a cabo este projecto, é necessário construir satélites equipados com robôs e estações espaciais para minerar asteróides, a Lua e outros planetas.

“O Sistema Solar pode suportar uma indústria mil milhões de vezes maior do que a que temos na Terra”, explicou Phil Metzger, da Universidade Central da Florida, nos Estados Unidos, que é também um antigo membro da agência espacial norte-americana.

“Poderíamos promover sociedades saudáveis em todo o mundo. Em simultâneo, estaríamos a reduzir o fardo ambiental da Terra”, acrescentou Metzger. “Quando se vai para escalas de civilização amplamente maiores, para lá da escala que um planeta pode suportar, os tipos de coisas que uma a civilização pode fazer são incompreensíveis para nós”.

De acordo com um relatório da American Semiconductor Industry Association (SIA), e a menos que haja um progresso na computação quântica, a Terra deixará de ser capaz de produzir energia suficiente para alimentar os computadores de todo o mundo em 2040.

O mesmo documento detalha que as energias limpas – como os painéis solares e as turbinas eólicas – podem também esgotar-se à medida que as reservas de terras raras diminuem no planeta.

Tendo em conta este cenário, a SIA sublinha que asteróide e outros corpos cósmicos são fontes de metais preciosos e outros recursos e, muitas das vezes, contêm os ingredientes utilizados para fazer o combustível dos foguetes lançados. Mover a indústria para o Espaço também removeria estas emissões da Terra.

Será a indústria espacial inevitável?

Muitos empresários acreditam que a indústria espacial será inevitável. Desde 2012, recorda a Russia Today, várias empresas relacionadas com a mineração espacial surgiram em vários países como a Rússia, a Coreia do Sul, o Japão, a Índia, os EUA e o Luxemburgo.

Há vinte anos, esta ideia poderia parecer ficção científica, uma vez que não era lucrativo extrair recursos do Espaço. Mas agora pode estar a torna-se mais palpável, já que se reduziram consideravelmente os custos associados às viagens ao Espaço

O multimilionário Elon Musk, o CEO da Tesla, e Jeff Bezos são algumas das personalidades que acreditam no potencial da exploração espacial. Musk defende esta actividade é a chave para preservar a espécie humana, enquanto Bezos considera que recorrer a recursos espaciais, bem como a colonização da Lua, são a chave para “salvar a Terra”.

“Um problema fundamental de longo alcance é que ficaremos sem energia na Terra (…) É apenas aritmética. Vai acontecer”, apontou Bezos no mês passado, durante a apresentação da sua sonda lunar, citado pela Discover.

Contudo, existem ainda cientistas reticentes com este tipo de exploração, considerando que, mesmo que seja possível “conquistar” o Sistema Solar, há o risco de o pôr em perigo caso sejam usadas as mesmas técnicas de extracção da Terra.

Um grupo de cientistas assinou uma proposta na qual pede que mais de 85% do Sistema Solar seja protegido dos humanos, noticiou em maio o diário britânico The Guardian.

“Se não pensarmos sobre isso agora, seguiremos em frente como sempre fizemos e, em algumas centenas de anos, enfrentaremos uma crise extrema, muito pior do que a que temos agora na Terra”, apontou Martin Elvis, astrofísico sénior da Observatório Astrofísico Smithsonian, nos Estados Unidos, e autor principal da proposta, em declarações ao jornal.

“Depois de explorar o Sistema Solar, não há mais nenhum lugar para onde ir”, alertou.

ZAP //

Por ZAP
11 Julho, 2019

[vasaioqrcode]